terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Como simplificar a sua vida

A falta de tempo é uma das causas de infelicidade nas sociedades contemporâneas, e explica, em certa medida, o aumento de casos de depressão.

Excesso de tecnologia, de informação, de actividades, de objectos… tudo isto poderá contribuir para sermos menos felizes. De acordo com Norbert Scwartz “Quando existem demasiadas exigências em competição sobre o nosso tempo e a nossa atenção, a capacidade para estarmos presentes é diminuída – e, com ela, a nossa capacidade para apreciar a experiência”.

Como pudemos ultrapassar isto e ser mais felizes? De acordo com Tal Ben-Shahar, o segredo está em simplificar a nossa vida. Para saber por onde começar, deixo-lhe aqui 33 sugestões para simplificar a sua vida.

««»»

1 – Registe o seu tempo – Durante 2 ou 3 dias registe todas as actividades que realiza e o tempo que despende em cada uma delas. De seguida avalie os seus gastos de tempo, e distinga as actividades prioritárias, das inúteis. A partir daqui, redesenhe o seu dia, concentrando-se no que é mais importante, e eliminando o que só lhe faz perder tempo.

2 – Estabeleça prioridades - Elabore uma lista com as 5 coisas mais importantes da sua vida e que você gosta mais de fazer (pode ser passar tempo com a família, escrever, meditar, etc.). Tente incluir estas actividades no seu dia-a-dia, pois são as suas prioridades e o que o faz feliz. O facto de realizar estas actividades dar-lhe-á energia para realizar outras menos prazerosas.

3 - Faça da simplificação um projecto – Defina o seu objectivo principal (que é simplificar a sua vida) e divida-o em objectivos específicos, de menor dimensão, que poderão incluir pequenas tarefas que possa realizar todos os dias (Ex.: objectivo específico - reorganizar a cozinha; tarefa de 2.ª feira - organizar 2 gavetas da cozinha).

4 - Dê um passo de cada vez – Organize hoje 1 gaveta, amanhã uma estante… Em vez de executar múltiplas tarefas, concentre-se numa de cada vez até a terminar. O sucesso alcançado em cada tarefa concretizada, será uma fonte de motivação para alcançar os seus objectivos.

5 – Utilize uma agenda – Encontre ou faça uma agenda à sua medida. Planear as suas actividades no dia-a-dia, é fundamental para cumprir as tarefas que realmente deseja.

6 – Agende tempo para as actividades que lhe dão prazer – Inclua na sua agenda tempo para o que mais importa. Por vezes, quando não se anota, acaba por fazer-se tudo o que nos dá menos prazer e ficamos sem tempo para o que nos faz feliz.

Por exemplo, se não anota tempo para se dedicar exclusivamente aos seus filhos, tenderá a estar com eles enquanto realiza outras tarefas, o que poderá fazer com que os momentos que passa com eles o deixem mais tenso e stressado (pois é impossível dar total atenção a várias coisas em simultâneo).

7 – Agende tempo diário para estar consigo mesmo – Muito importante para repor as suas energias. Nesse tempo realize algo que lhe dê prazer (ler um bom livro, fazer exercício…) ou simplesmente fique de olhos fechados no silêncio e descanse do stress diário.

8 – Evite compromissos que só faz por obrigação – Estou a falar daquelas actividades que lhe roubam tempo para o que mais gosta, e a que você não dá muito valor. Será que é tão importante beber um copo ao fim do dia com os colegas de trabalho? Está farto de administrar o seu condomínio há anos? Comunique a sua decisão educadamente, mas livre-se disso.

9 - Reduza o excesso de consumo dos média ou de actividades que não acrescentam qualquer valor – Ver televisão, ir à Internet, ler revistas cor-de-rosa (ou não) poderá ser relaxante, mas não caia no exagero de passar todo o seu tempo livre preso aos mesmos. Existem pessoas tão viciadas nestas actividades, que não dedicam tempo à sua família ou ao seu crescimento pessoal.

Há também quem perca imenso tempo a analisar a vida de outras pessoas através dos media e que não se ocupa em melhorar a sua própria vida. Para além disso, o excesso de informação sobre consumo fá-lo-á perder mais tempo, uma vez que dificulta a tomada de decisões.

10 – Evite as chamadas desnecessárias no seu telemóvel – Não dê o seu número a toda a gente e, fora do horário de trabalho, deixe clara a mensagem de que só o devem incomodar em situação de emergência. Pondere igualmente se todas as chamadas que faz são mesmo necessárias.

11 – Estabeleça limites – Isto implica limitar o tempo que dedica a coisas que faz regularmente como: ver televisão, falar ao telemóvel, consultar o e-mail, realizar tarefas diárias, etc.

12 – Não perca demasiado tempo com o e-mail – Leia-o somente 2 vezes ao dia e apague de imediato as mensagens que não lhe interessam. Poderá guardar aquelas que ainda lhe são úteis numa pasta para o efeito, mas esvazie a caixa de entrada. Descadastre-se de e-mails, newsletters, RSS’s, etc. que não lhe acrescentam qualquer valor. Peça às pessoas para pararem de enviar piadas ou correntes de e-mails.

13 – Simplifique o método “to do list” – Reduza a sua lista de tarefas, a 10 por semana, no máximo. Se forem tarefas de maior dimensão, reduza-as a 3 ou 5 por semana. A forma de simplificar esta lista é eliminando algumas tarefas ou delegando-as em alguém. Psicologicamente, é preferível ter 3 tarefas e cumpri-las, do que ter 20 e não cumprir metade.

14 – Livre-se do excesso de objectos – Acabe com a tralha lá por casa e reserve alguns minutos por dia a manter tudo em ordem.

15 – Traga um saquinho para o lixo, no seu carro – Ao invés de entupir os compartimentos das portas com papéis, plásticos e afins, tenha à mão um saquinho para eliminar o lixo logo no fim de cada viagem.

16 – Mantenha os seus papéis organizados – Separe a documentação recorrendo a dossiers, a tabuleiros de secretária empilháveis, etc. Dedique 1 dia por mês a organizar a documentação e deite fora o que estiver a mais.

17 – Mantenha os seus documentos digitais organizados - Crie pastas e sub-pastas para classificar a documentação, evitando guardar documentos ou programas que sabe à partida que não volta a utilizar.

18 – Tenha um sítio certo para cada objecto - Esta é a forma mais rápida de localizar as coisas facilmente e de manter os espaços arrumados. Se necessário adquira organizadores, coloque rótulos, etc. – o importante é que em casa todos percebam o que deve ser guardado em cada local.

19 – Não compre por impulso – Para além de contribuir para o excesso de objectos, corre o risco de gastar dinheiro onde não devia.

20 – Controle as suas finanças – Elabore um orçamento, e mantenha um registo das suas entradas e saídas de dinheiro. Isto permitir-lhe-á viver com menos stress, sabendo exactamente até onde poderá gastar, racionalizando a utilização do seu dinheiro.

21 – Evite o excesso de empréstimos e de contas bancárias – Evite o excesso de contas bancárias (que multiplicarão as despesas de manutenção, e tornarão mais difícil a sua gestão), bem como contrair demasiados empréstimos (se lhe convier, consolide as suas dívidas numa só).

22 – Poupe tempo nas compras - Faça uma lista de compras mensal e vá a horas de menor movimento às compras. Tente comprar tudo no mesmo espaço comercial.

23 – Planeie uma ementa – Deste modo terá à mão tudo o que necessita. Planeie ementas simples e saudáveis – as receitas mais complexas devem ser deixadas para dias em que tenha mais tempo livre. Opte por ementas mensais, para poder incluir os ingredientes que necessita na sua lista de compras mensal e evitar andar sempre a correr para o hipermercado.

24 – Prepare previamente o que irá necessitar no dia seguinte – Isto inclui a roupa, comida para o trabalho, a mochila dos miúdos… Acredite que as suas manhãs serão bem mais calmas.

25 – Arranje ajuda para as tarefas domésticas - Partilhe responsabilidades ou pondere a ajuda de um profissional.

26 – Delegue tarefas no trabalho – Você não tem que fazer tudo. Pode até perder tempo a explicar a tarefa, mas acaba por ficar com disponibilidade para realizar actividades que considera mais relevantes e que dependem exclusivamente de si.

27 - Aprenda a dizer não – Pondere os prós e os contra e quando não lhe é possível ou não lhe convém realizar alguma coisa, seja claro e diga não. Se possível sugira uma solução, mas não pode estar sempre a ceder, pois este poderá ser um dos principais ladrões de tempo.

28 - Mantenha a sua lista de contactos, aniversários e telefones em ordem e actualizada – Isto fará com que não se esqueça de aniversários e permitirá localizar rapidamente a informação.

29 – Compre presentes ao longo do ano – Tendo em mente o registo anterior dos aniversários, vá comprando os presentes ao longo do ano. Com esta técnica poderá aproveitar as melhoras oportunidades e evitará correrias, como as da época natalícia.

30 – Planeie os dias festivos antecipadamente – Porque fazer tudo à última hora, é um enorme factor de stress e poderá contribuir para que esteja tão cansado que não consiga apreciar estas ocasiões em família.

31 – Aprenda sobre o que pode simplicar a sua vida – Leia dicas na Internet, em livros ou revistas, acompanhe blogs especializados neste assunto (ver as sugestões e evolução de outras pessoas poderá motivá-lo igualmente a avançar).

32 – Aponte as suas boas ideias – Traga consigo um caderninho ou bloco de notas, para apontar as suas boas ideias. Se não o fizer na hora, poderá esquecer-se e é uma pena não aproveitá-las na simplificação da sua vida.

33 – Evite o perfeccionismo - Esqueça a ideia de se tornar perfeito. Querer ser sempre o melhor ou ter o melhor, fá-lo por vezes perder tanto tempo em detalhes, que acaba por não ter tempo para apreciar a experiência e ser feliz com ela.

««»»

Poderá pensar que todas estas dicas lhe darão muito trabalho. Não terá de concretizar todas, nem todas em simultâneo. Acredite, com o tempo colherá os seus frutos: o tempo necessário para ser feliz, junto das pessoas mais importantes da sua vida. Vale a pena!

Foto: Galp Energia

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Pensamento/Lema da semana #69

"O que vale na vida não é o ponto de partida e sim a caminhada.
Caminhando e semeando, no fim terás o que colher
".
Cora Coralina

Foto: Rev. CD-Rom Fácil

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Sugestão da semana #4: «diário de gratidão»

Alguns estudos indicam que a gratidão pode aumentar a nossa felicidade em cerca de 25%, o que é um valor bastante significativo. Por vezes nem nos apercebermos, mas acontece tanta coisa boa na nossa vida. Pode passar por algo maior como ter um filho, ou por pequenas coisas como ver o sol a brilhar, após longos e cinzentos dias de chuva.

A minha sugestão para esta semana é que registe, em dias alternados, três coisas boas que lhe aconteceram ao longo do dia (se quiser, pode escrever um número maior), e que o faça durante pelo menos três semanas. Registe o que o fez sentir-se bem e que o faz sentir-se grato por isso: desde aqueles 10 min dedicados só para si, ao elogio do chefe, ao presente que o filho trouxe da escola, etc.

Caso prefira, ao invés de escrever sobre as coisas boas do seu dia, poderá optar por escrever sobre o que tem na sua vida, que lhe dá razões para se sentir grato. Por exemplo o facto de ter uma família (pessoalmente, sinto-me sempre grata por isso), de ter conseguido a profissão que desejava, por ter uma boa forma física, por ter tido a coragem de deixar um hábito destrutivo...

As vantagens de um diário de gratidão são sublinhadas nas palavras de Catarina Rivero e Helena Marujo: "(...) As investigações são claras na confirmação de que a prática da gratidão traz benefícios que, para além do bem-estar incluem ganhos em saúde, entre os quais melhorias na qualidade e tempo de sono, menos dores físicas, e um olhar mais optimista (...)".


Sinta-se grato e tenha um final de semana feliz!

Foto: Google images - Autor não identificado.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Selo Kreativ Blogger

Recebi da Baunilha... e companhia!, um blog que muito aprecio, um selo/desafio. Obrigada amiga! Vamos a ele...

1 - Nome da minha música favorita.Mas eu lá me contentaria com uma só música? Tenho uma banda sonora inteira… já falei dela aqui.

2 - Nome da minha sobremesa favorita.
Não sou esquisita com as sobremesas, adoro doces e não me importo de experimentar novos sabores… por isso não tenho um favorito.

3 - O que me tira do sério.Pessoas que se sentem importantes a fazer mal aos outros, sem pensarem nas consequências.

4 - Quando estou chateada...Vou ao youtube ver algum vídeo cómico, ou seja, sigo esta sugestão.

5 - Qual o meu animal de estimação favorito?Não tenho animais de estimação favoritos. Mas sabem um animal que adoro? A suricata! Acho-as tão fofinhas!... Pena só as ver no zoo.

6 - Preto ou branco?Para vestir: preto (se visto branco, com a minha pele já de si tão branca, quase desapareço). Para decorar: branco.

7 - Maior medo.
Perder alguém que me é querido.

8 - Atitude quotidiana.Tentar aprender e melhorar a cada dia que passa.

9 - O que é perfeito.
A Natureza, sem dúvida (incluindo o milagre da vida).

10 - Culpa.
Por vezes sinto-me culpada, mas há que saber perdoar a nós mesmos e para a próxima fazer melhor.

Sete factos aleatórios sobre mim:1 – Casei com o amor da minha vida a 24 de Julho do ano 2004, no dia em que fiz 24 anos;
2 – Adoro viajar e provar comida de outras regiões/culturas;
3 – Trago sempre um livro comigo, para o caso de ter algum tempo livre para o ler;
4 – Escolhi o nome de Letícia para a minha filha, porque para além de gostar mmmuuuiittooo do mesmo, significa alegria em latim (e ela é, sem dúvida, a minha maior alegria);
5 – Já escrevi um livro (em trabalho), tive uma filha e, estupidamente, nunca plantei uma árvore (logo eu que sou uma defensora da Natureza… que vergonha!);
6 – Sou do signo leão e, apesar de não acreditar em horóscopos, este ano vou fazer uma excepção, dado que os prognósticos são tão bons… he, he;
7 – E agora muito a sério: quero realmente dar o meu contributo para a construção de um mundo melhor e… MAIS FELIZ! É o meu pequeno grande sonho!

As regras são as sehuintes:
1- Colocar o link da pessoa que nos ofereceu - feito;
2- Preencher o formulário com as perguntas - feito;
3- Oferecer a 10 blogs e informá-los por comentário ou e-mail - assim que tiver tempo;
4- Partilhar 7 pensamentos aleatórios sobre nós - já está!

E os blogs que gostaria de ver a responder a este desafio, são:
1 – Aproveitar a vida!;
2 – Arte e manha;
3 - Blog luz;
4 - Cala-te e poupa!;
5 - Casinha da formiga;
6 – Coisas minhas;
7 – Flyro brasileira (Organização e Otimização do Seu Tempo);
8 - Inspiração inesperada;
9 – Organizada… Pouco mas a tentar melhorar!;
10 – The busy woman and the srtipy cat.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Móvel para a despensa



Já há um tempo que me chateava com o facto de entrar na despensa e ver um série de sacos espalhados pelo chão (com cebolas, frutas que não cabiam na fruteira, alho, etc.). Para além do mau aspecto, às vezes estavam tão mal organizados, que parecia não haver espaço para nos movimentarmos.

Comprei então este móvel, cujo fundo plastifiquei, para armazenar esses produtos. Na prateleira de cima, quero ainda colocar um cestinho ou tabuleiro para acondicionar mais uns produtos.

Fiquei impressionada com a nova capacidade de armazenamento num espaço tão pequeno. Móveis, blocos de gavetas ou prateleiras que permitam guardar os produtos na vertical, são realmente uma grande ajuda.



Foto: Mafalda S.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Instituto da Felicidade em Portugal

No passado mês de Novembro, estava eu num Seminário, quando me falaram da recente criação do Instituto da Felicidade português. O objectivo deste Instituto é "a divulgação e a difusão de conhecimento sobre a felicidade com a finalidade de contribuir, na medida do possível, para a melhoria da qualidade de vida dos portugueses".

Acho importante esta iniciativa, na medida em que para se ser feliz é importante distinguir os conselhos com base científica, da simples auto-ajuda. (Aliás, eu própria faço questão de que o que escrevo aqui no blog, tenha por base investigações científicas, estudos estatísticos, etc. Na minha opinião existem por aí conselhos sem fundamento, que para além de não nos fazerem felizes, nos fazem perder tempo precioso).

No site do Instituto da Felicidade já existe um estudo sobre a felicidade dos portugueses. Se tiver curiosidade pesquise no separador «estudo» e poderá fazer download do mesmo. Para já fica a noção de que a felicidade ainda não é uma realidade na vida de muitos portugueses. As pesquisas sobre o assunto, a meu ver, poderão ajudar-nos a mudar esse paradigma. Se uma só pessoa aprender a ser feliz (porque a felicidade também se aprende) terá valido a pena!

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Pensamento/Lema da semana #68

"Jamais haverá ano novo, se continuar a copiar os erros dos anos velhos."
Luís de Camões

Foto: Mafalda S. - "Seguir em frente"

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Sugestão da semana #3: «plano para uma família feliz»

A minha sugestão para esta semana é a leitura do livro "A Família em Primeiro Lugar - o plano passo a passo para criar uma família feliz" do Dr. Phil McGraw.

Considero este um dos melhores livros, em termos de sugestões práticas (mas com base científica), para tornar uma família mais feliz. Nele são abordados temas como: lidar com as birras, fomentar a auto-estima dos nossos filhos, transmitir-lhes os nossos valores, afastá-los de caminhos destrutivos, ajudá-los a alcançar o seu melhor, criar lembranças felizes em família, restabelecer laços (mesmo quando tudo parece estar a ruir).

Para aguçar a sua curiosidade, que tal espreitar o site da Wook e ler um excerto deste livro (do capítulo "Os Cinco Factores para Criar Uma Família Feliz"), bem como o seu índice?

Motive-se para melhorar e tenha um final de semana feliz!

Foto: Wook

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Exercício físico... finalmente!

Finalmente estou a conseguir concretizar uma das minhas metas, previstas ainda em 2011 (que vergonha, há tanto tempo!): a realização de exercício físico.

Já passou cerca de um mês desde que comecei e ainda não desisti (os especialistas dizem que bastam 21 dias para que um comportamento entre na nossa rotina... e quem sou eu para discordar dos peritos).

O método que utilizei para não desistir vai soar muito ridículo (estou a avisar), mas como o que importa são os resultados... A minha estratégia foi a seguinte: no primeiro dia fiz 1 único abdominal, no segundo 2 e daí por diante até chegar aos 20. Depois disto acrescentei um novo exercício, para além dos abdominais. Aos poucos vou adicionando exercícios, de uma forma que não se torna dolorosa (aliás, custou-me mais o primeiro abdominal, do que me custam hoje os 20. Estou a falar a sério!).

E agora é rezar para me manter no bom caminho.

Foto: Google images - Autor não identificado.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Como organizar o seu roupeiro

Quantas vezes, apesar de arrumarmos o roupeiro, encontramos roupa que não usamos há uns 10 anos, acessórios completamente desadequados, ao invés daquilo que procuramos?

Na verdade, estar arrumado, não significa que está organizado. A organização requer um planeamento cuidadoso, onde será decidido um lugar certo para cada coisa, com o objectivo de criar funcionalidade. Isto significa que 1, 2 ou 6 meses depois, o seu roupeiro continuará organizado e não terá de perder tempo à procura das suas roupas.

Está disposto a começar? Aqui estão 15 dicas para organizar o seu roupeiro:

««»»

1 - Retire tudo do roupeiro e faça uma limpeza – Poderá colocar a roupa em cima da cama. Ao esvaziar o roupeiro visualizará exactamente tudo o que tem, nomeadamente, o que necessita e o que pode ser dispensado.

2 – Livre-se da tralha – Separe as roupas e acessórios em montinhos, tendo em conta os seguintes objectivos:
a) para doar (o que não usa ou não gosta);
b) para deitar fora (aquilo que devido ao seu mau estado, não serve para usar nem para doar);
c) para reparar (aquilo que tem a certeza que ainda vai utilizar, mas que precisa de reparação ou retoques de costura);
d) para o «montinho das dúvidas» (roupas ou acessórios em bom estado que tem dúvidas se deverá ou não manter – se após 1 ano não os utilizar, deverá desfazer-se deles);
e) para manter – (o que utiliza habitualmente e/ou tem forte valor sentimental para si).

Tenha igualmente em atenção de que as roupas que vão regressar ao roupeiro, devem ir limpas, perfumadas e engomadas.

3 - Aproveite todos os espaços – Consiga espaço extra com prateleiras adicionais, varões extra, módulos de gavetas…

As caixas decorativas também são muito práticas, para além de darem um ar bonito ao armário.













4 - Reserve a parte superior para guardar os objectos que usa menos – Aqui pode guardar: malas de viagem, roupa da outra estação (inclusive roupa da casa, como cobertores), roupa de uso ocasional (de cerimónia, por exemplo). Deverá guardá-los em sacos próprios para o efeito.

5 - Mantenha acessíveis roupas e acessórios que usa mais frequentemente - Estes devem ser colocados nas partes mais centrais e visíveis do roupeiro.










6 - Escolha um método de organização que facilite sua vida - Poderá ordenar a sua roupa por cores, por categoria (por casacos, saias, camisas, etc.), por função (por vestuário de trabalho, desportivo, de cerimónia, informal, etc.) ou até utilizando todos estes métodos em simultâneo. O importante é que a sua vida seja facilitada.













7 - Organize os varões – Deverá ter um varão a uma altura superior destinado a vestidos e casacos compridos e outro(s) a uma altura menor, destinado a camisas, casacos menores, saias ou calças.

8 – Escolha bem os cabides – Os cabides devem ser preferencialmente idênticos, em tamanho e cor, ajudando na localização de peças de roupa e dando um ar mais agradável ao roupeiro.

Coloque os cabides voltados para o fundo do roupeiro, pois facilita no momento de os retirar.

Não se esqueça igualmente, de ter cabides suficientes que permitam pendurar uma ou duas peças em cada um. Isto permite uma localização rápida e evita o amarrotamento das roupas.

9 - Utilize prateleiras – As prateleiras são ideais para guardar camisolas que amassam pouco e que podem ser dobradas (as de lã, por exemplo), bolsas/malas de senhora, sapatos, caixas decorativas, etc.









10 - Aproveite as portas dos roupeiros – Poderá fixar nas mesmas suportes de madeira para pendurar malas/bolsas de senhora, bijuteria, echarpes, gravatas, cintos, cachecóis, etc.
















11- Organize as gavetas – Estas são bastante úteis para guardar camisolas interiores, pijamas, roupas de ginástica, biquínis, roupa interior, meias, gravatas e acessórios, etc.

No entanto, para manter as gavetas devidamente arrumadas, o melhor é colocar organizadores de gavetas no seu interior, dividindo-as em pequenos compartimentos para guardar cada peça.

12 - Organize a bijuteria e outros acessórios – Poderá pendurar a sua bijuteria e outros acessórios em suportes de madeira fixos na porta do roupeiro, ou então utilizar caixas ou organizadores de gavetas com um compartimento para cada acessório. O importante é que a bijuteria e acessórios estejam bem visíveis e sem se misturarem uns com os outros.

13 - Organize as gravatas – Poderá utilizar cabides próprios para gravatas, ou acondicioná-las em gavetas compartimentadas por organizadores.











14 - Organize as malas/bolsas femininas – Poderá organizá-las em prateleiras, em cabideiros próprios para o efeito ou em suportes fixos nas portas do roupeiro.







15 - Organize os sapatos – Poderá colocá-los numa sapateira, ou em prateleiras na parte inferior do armário. Ah! E não se esqueça de reservar espaço suficiente para as botas altas.












Fotos: Foto n.º3 - Revista Micasa, restantes: googles images - autores não identificados.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Pensamento/Lema da semana #67

"Chega de velhas desculpas e velhas atitudes!
Que o ano novo traga vida nova,
como o rio que sai lavando e levando tudo por onde passa
."
Wanderleia Isabel

Foto: windoweb

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Sugestão da semana #2: «conversa com Deus»

Nesta semana proponho-lhe que se dirija a uma igreja, templo ou mesquita (o que fizer sentido para si), de modo a estimular a sua espiritualidade. Sim, porque a espiritualidade também pode trazer felicidade.

Entre, sente-se ou ajoelhe-se. Sinta a paz que advém do silêncio e tenha uma «conversa mental com Deus».

Fale-lhe das dificuldades que tem passado. Desabafe, explore o que sente no seu íntimo e peça ajuda para que tudo melhore. Pense nas alternativas que tem para enfrentar os seus problemas, ore para encontrar a melhor solução.

Depois disto, analise o que tem de bom na sua vida (certamente não serão poucas coisas) e agradeça a Deus por todas elas. Sinta-as como bênçãos e note, quantas pessoas não gostariam de estar no seu lugar (por ex. ter um trabalho, ter uma família que o adora, ter umas pernas que o levam a qualquer lugar...).

Por último, peça a Deus o melhor futuro possível e imagine-se a vivê-lo, com todos os detalhes.

Após a sua «conversa com Deus», sugiro-lhe que dê um passeio por este local de fé. Observe as pinturas, as esculturas, as pedras ornamentadas... absorva a cultura e história do local.

O objectivo é que saia de lá com o espírito mais leve e com mais esperança, do que quando entrou.

Aprecie e tenha um final de semana feliz!

Foto: Google images - Autor não identificado

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Vidas inspiradoras: histórias de amor, positivismo e confiança!

Nos serões da minha infância, na época do tempo quente, era comum a vizinhança sentar-se em frente a casa, reunindo-se em animadas conversas. Então ouvíamos os seus passos. Um casal octogenário subia a rua de braço dado, olhar cumplice e sorriso apaixonado.

Numa aldeia como a minha, numa época em que as emoções se escondiam, isto causava mais espanto do que um homem a cair de bêbado (literalmente) na rua. Não que os vizinhos achassem aquilo mal, apenas achavam estranho, diferente. Ouvia algumas mulheres suspirarem, meio tristes: "quem me dera que o meu João fosse assim..."

Cresci a admirar aquele casal, que permaneceu unido até ao fim. Sonhava um dia ter um casamento assim...

Entretanto a memória foi-se desvanecendo e quase não recordava aqueles idosos... até há poucos dias. Uma senhora amiga contou-me a história de amor dos seus pais e lembrei-me de imediato dos passos daquele casal, nas noites de Verão.

A dita senhora recordava emocionada, quando o pai dizia para toda a gente que a mãe era "a candeiazinha que veio iluminar a sua vida". Eram muito unidos e apoiavam-se mutuamente. Mas deveria haver uma fórmula secreta para se darem tão bem. Qual seria?

Em primeiro lugar o amor que os unia. Era muito forte e o pilar fundamental... mas só isso não bastava.

Em segundo lugar o positivismo da esposa. Tinha uma capacidade enorme para ver as situações pelo lado positivo e mesmo perante os maiores problemas, concentrava-se sempre nas soluções... e encontrava-as! O marido que era mais negativo, acabava por enfrentar melhor o dia-a-dia, contagiado pelo positivismo da esposa.

Em terceiro lugar, a confiança. A senhora costumava dizer à filha que jamais se deve trair a confiança do parceiro. A mentira tem perna curta, e uma vez perdida a confiança jamais se recupera, haverá sempre uma réstia de dúvida.

Foram felizes até o dia em que ele se foi.

Exactamente um mês depois, ela disse que tinha chegada a sua hora. Com uma serenidade impressionante, acalmou os filhos dizendo que iria para um local melhor, "pois não somos deste mundo". Morreu naquela noite, calma e cheia de amor.

Foto: Rev. CD-Rom Fácil

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Organizadores no frigorífico


Estou completamente rendida aos benefícios de ter organizadores cá por casa. No mês passado, recolhi uma série de recipientes que não utilizava e aproveitei para organizar o frigorífico.


Agora tudo tem o sítio certo, a cada prateleira corresponde um tipo de produto, não encontro produtos repetidos sem que eu queira e não voltou a haver o mínimo sinal de mau cheiro (sim, já estraguei umas quantas alfaces).




Um mês depois, tudo continua organizado (e ainda ganhei o tempo que despendia com arrumações constantes). E você, já aderiu a organizadores ou outros sistemas de organização?



Fotos: Mafalda S.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

TESTE: Você é um comprador compulsivo?

Vários estudos indicam que somos mais felizes se gastarmos o nosso dinheiro (para além dos bens essenciais, claro) em experiências do que em objectos. Com os objectos normalmente sentimos uma sensação de prazer momentâneo que se esbate pouco depois. Para não falar de quando compramos por impulso e depois nos sentimos tão culpados, que caímos numa profunda tristeza.

Como refere Teresa Cotrim "(...) a sua saúde financeira depende (e muito) da sua capacidade de aprender a dizer não e a controlar os impulsos". Eu acrescentaria, que para ser feliz, é importante que seja você a controlar o seu dinheiro e não o contrário.

E você, consegue gerir bem o seu dinheiro ou é um comprador compulsivo? Descubra no teste que se segue.

««»»

A) Quando sai para fazer compras regressa com presentes adicionais para outras pessoas, sem o ter planeado?
4 = Sempre
2 = Frequentemente
2 = Raramente
1 = Nunca

B) Costuma fazer compras quando está deprimido, com raiva ou medo?
4 = Sempre
2 = Frequentemente
2 = Raramente
1 = Nunca

C) Comprar está entre as suas diversões?
4 = Sempre
2 = Frequentemente
2 = Raramente
1 = Nunca

D) Compra coisas que nunca usa?
4 = Sempre
2 = Frequentemente
2 = Raramente
1 = Nunca

E) Pensa excessivamente em quanto gastou nas suas compras?
4 = Sempre
2 = Frequentemente
2 = Raramente
1 = Nunca

F) Sente-se culpado após uma ida às compras?
4 = Sempre
2 = Frequentemente
2 = Raramente
1 = Nunca

G) Ao sair para as compras, você faz e cumpre a lista do que vai comprar?
1 = Sempre
3 = Frequentemente
3 = Raramente
4 = Nunca

H) Ir ao centro comercial é uma alternativa de lazer para si?
4 = Sempre
2 = Frequentemente
2 = Raramente
1 = Nunca

I) Esconde das outras pessoas o que compra e quanto custou?
4 = Sempre
2 = Frequentemente
2 = Raramente
1 = Nunca

J) Procura desculpa para dar aos outros sobre as suas compras?
4 = Sempre
2 = Frequentemente
2 = Raramente
1 = Nunca

K) Quando faz compras sente, ao mesmo tempo, euforia e ansiedade?
4 = Sempre
2 = Frequentemente
2 = Raramente
1 = Nunca

L) As pessoas costumam chamar-lhe forreta?
1 = Sempre
3 = Frequentemente
3 = Raramente
4 = Nunca

M) Sente-se desconfortável quando a pessoa que anda às compras consigo gasta mais?
4 = Sempre
2 = Frequentemente
2 = Raramente
1 = Nunca

N) Para si, fazer compras é, ao mesmo tempo, um acto proibido e desejado?
4 = Sempre
2 = Frequentemente
2 = Raramente
1 = Nunca

O) Há compras que apenas faria com o cartão e nunca com dinheiro?
4 = Sempre
2 = Frequentemente
2 = Raramente
1 = Nunca

P) Quando sai sem o cartão sente-se perdido?
4 = Sempre
2 = Frequentemente
2 = Raramente
1 = Nunca

Q) Os seus hábitos de consumo têm-no deixado em apuros?
4 = Sempre
2 = Frequentemente
2 = Raramente
1 = Nunca

R) Fazer compras é uma aventura?
4 = Sempre
2 = Frequentemente
2 = Raramente
1 = Nunca

S) Costuma gastar muito tempo a fazer compras e a equilibrar os seus gastos?
4 = Sempre
2 = Frequentemente
2 = Raramente
1 = Nunca

T) Quando tira férias, ou viaja, procura um lugar onde haja boas lojas para compras?
4 = Sempre
2 = Frequentemente
2 = Raramente
1 = Nunca

U) Costuma atingir o limite do cartão de crédito?
4 = Sempre
2 = Frequentemente
2 = Raramente
1 = Nunca

V) Recebe e-mails de diversos tipos de lojas, produtos, promoções?
4 = Sempre
2 = Frequentemente
2 = Raramente
1 = Nunca

W) Os vendedores costumam tratá-lo pelo nome?
4 = Sempre
2 = Frequentemente
2 = Raramente
1 = Nunca

X) É habitual esquecer-se que comprou um produto e vai comprá-lo novamente?
4 = Sempre
2 = Frequentemente
2 = Raramente
1 = Nunca

Y) Fica saturado quando vai às compras?
1 = Sempre
3 = Frequentemente
3 = Raramente
4 = Nunca

RESULTADOS:
De 25 a 35 pontos -
É muito controlado ou até mesmo avarento.
De 36 a 50 pontos - Mantém o consumo sob controlo.
De 51 a 61 pontos - Esteja atento: já demonstra sinais de consumismo.
De 62 a 73 pontos - É claramente um consumidor compulsivo.
De 74 a 84 pontos - O seu comportamento poderá representar uma ameaça para as suas finanças.
De 85 a 100 pontos - Procure um psicólogo para falar sobre o problema.

Foto: Corbis
Teste adaptado de: COTRIM, Teresa; Faça o Seu Dinheiro Crescer; Caderno, 1.ª Edição; Julho de 2009; citando a fonte: Revista Veja.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Pensamento/Lema da semana #66

"Que melhor resolução poderíamos tomar, na chegada do Ano Novo,
do que a de ouvir nossos próprios desejos (...) e nossas almas,
e ter a coragem de obedecê-los?
"
Bach

Foto: Google images - Autor não identificado

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Sugestão da semana #1: «serão do riso»

Com o início desta rúbrica no blog, quero propor-lhe um «serão do riso».

E porquê? Não enlouqueci, esteja descansado. Na verdade o riso poderá estimular a sua felicidade, reduzir o stress e a depressão e ainda melhorar a sua saúde. Só vantagens, portanto.

Assim, que tal ocupar um serão em casa, com a família, a ver um filme/programa cómico ou até a ver vídeos no youtube? Tudo vale, desde que deem umas boas gargalhadas! No fim, vai ver que valeu a pena.

Quer umas sugestões? Que tal começar com estes vídeos no youtube?
- Um pouco dos Gato Fedorento;
- Revisitar o Raul Solnado;
Etc., etc.

Divirta-se e tenha um final de semana feliz!

Foto: Google images - Autor não identificado.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Vidas inspiradoras: M., ou a mulher que passou a acreditar no seu valor

Quando vi M. pela primeira vez, os seus olhos cravados de lágrimas e os gestos trémulos denunciavam o seu desespero. Chegou para uma entrevista de emprego, mas a sua falta de confiança era tão grande que trouxe outra pessoa para falar por ela.

A entrevista foi feita e, como seria de esperar, correu-lhe terrivelmente mal. Chorou todo o tempo e não demonstrou estar preparada para aquele emprego.

Quis saber mais sobre ela. Desempregada de longa duração, mal sabia ler e os seus quase cinquenta anos faziam com que ninguém a quisesse contratar. Culpou a sua sorte na vida (ou azar, digo eu) que lhe tirou a mãe bem cedo, culpou a família por não lhe ter permitido ir à escola, culpou quem lhe voltava as costas e culpou o mundo em que vivíamos, que era tão injusto com ela.

Na altura disse-lhe que nas condições em que ela se encontrava, ela não ia ser seleccionada. No entanto, pedi-lhe para desta vez ela deixar de se concentrar no passado doloroso e fazer algo por ela mesma, aqui e agora. Propus-lhe que fizesse uma formação e concluísse a escolaridade mínima. Se cumprisse esse objectivo, eu faria com que ela tivesse trabalho. Mas desta vez, tudo dependeria dela, a responsabilidade pelo seu sucesso ou não, estaria nas suas mãos.

Na altura, conseguiu-se arranjar o apoio necessário na comunidade para M. regressar à escola. Tal como prometido, passou a trabalhar na minha Instituição. Foi comovente ver-lhe um sorriso nos lábios e observá-la sentada, na sua pausa para o almoço, a fazer cópias ou exercícios de Matemática. Concluiu a escolaridade obrigatória e mesmo assim, continuava a estudar sempre que podia.

No local de trabalho, foi realizando tarefas com cada vez maior responsabilidade e hoje posso dizer que é uma das funcionárias mais exemplares na Instituição. Ela voltou a acreditar no seu valor e procura melhorar... mas desta vez, por si.

Hoje em dia, considero-a uma fonte de inspiração. Faz-me acreditar que se arregaçarmos mangas e lutarmos pelos nossos objectivos, há a possibilidade de os alcançar.

Foto: Google images - Autor não identificado.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

As minhas resoluções para 2012

Mais uma vez vou partilhar as minhas resoluções para o novo ano. Não são muito diferentes das do ano passado, até porque a boa parte delas poder-lhes-ia chamar objectivos de vida.

««»»

Crescimento pessoal:
- Manter a minha pesquisa/formação sobre a temática da felicidade.

Família:
- Reservar mais tempo diário para estar exclusivamente com a família;
- Manter a actividade especial da semana (a realizar em família);
- Dedicar mais tempo ao meu marido.

Finanças:
- Fazer uma gestão eficaz do dinheiro, de modo a controlar os custos e receitas previstos em orçamento;
- Fazer uma poupança mensal de 10% do meu vencimento.

Organização da casa e gestão de tempo:
- Eliminar a tralha em casa e ficar só com o essencial;
- Adquirir objectos de decoração que harmonizem o meu Lar;
- Utilizar técnicas de gestão de tempo, que me permitam dedicar mais tempo ao mais importante (família, saúde, propósito de vida...);
- Organizar a informação que tenho no meu computador.

Relações sociais:
- Falar com amigos chegados mais vezes (sem esquecer datas de aniversário);
- Demonstrar aos que me rodeiam o quão importantes são na minha vida;
- Não dar azo a conversas de má língua.

Saúde:
- Ir ao médico periodicamente;
- Realizar exercício físico pelo menos três vezes por semana;
- Ingerir mais líquidos (2 copos extra de água);
- Planear as refeições, de modo a fazer uma alimentação mais saudável;
- Optar pela compra progressiva de produtos biológicos.

Beleza:
- Manter as rotinas de limpeza e hidratação da pele;
- Utilizar sempre fio dentário;
- Tratar adequadamente o meu cabelo.

Espiritualidade/relaxamento:
- Fazer uma oração diária;
- Praticar visualização ou meditação;
- Efectuar viagens em família, especialmente para destinos relaxantes;
- Realizar todos os dias uma actividade que me dê prazer (por mais pequena que seja).

Ambiente:
- Incutir na minha vida hábitos ecológicos, que preservem o meio ambiente.

Solidariedade/acções para um mundo melhor:
- Participar em campanhas de solidariedade social;
- Manter este blog actualizado, informando os leitores sobre formas de serem mais felizes e de contribuirem para um mundo melhor.

Resta-me desejar-lhe boa sorte no cumprimento das suas próprias resoluções. Para garantir que cumpro as minhas, vou seguir as dicas já descritas neste post e neste também (pode ser que também o ajude).

Foto: Mafalda S. - Algures na França

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Como ser feliz em 2012

Todos os dias, especialmente nos últimos tempos, somos confrontados com más notícias, estados de espírito negativos e desesperança face ao futuro. Será que isso é sinal de que não podemos ser felizes?

A verdade é que a felicidade também se aprende, e mesmo que o próximo ano não seja propriamente fácil, há sempre forma de torná-lo mais feliz! Terá, obviamente de trabalhar para isso. Aceita o desafio?

Eis 18 dicas para aumentar a sua felicidade:

1 – Descubra quais as actividades que poderão contribuir para a sua felicidade – Todos somos diferentes, e o que faz uma pessoa feliz pode não ser o melhor para outra. Normalmente, são as actividades que lhe despertam mais interesse, que lhe dão mais prazer e trazem significado à sua vida, que o farão mais feliz. (Se tiver dificuldades em saber quais são, experimente fazer o teste da Dr.ª Sonja Lyubomirsky, que poderá encontrar aqui). Depois passe à prática e vá introduzindo-as na sua vida.

2 - Cultive o optimismo – Valorize os aspectos positivos de cada situação, retire uma lição das situações negativas que lhe acontecem e para a próxima faça melhor, tenha esperança no futuro, substitua pensamentos negativos por positivos (mas realistas, claro).

Verá que tentar ser mais optimista será mais fácil com o tempo, com a prática diária. O motivo para isso, deve-se à neuroplasticidade do cérebro, o que significa que se utilizar mais frequentemente as áreas do cérebro associadas à alegria e bons sentimentos, estas irão desenvolver-se e as suas respostas tenderão a ser mais optimistas.

3 – Procure evoluir enquanto pessoa – Isto implica estudar para melhorar, ler informação credível, ir a seminários, ler biografias inspiradoras, assistir a programas de TV que de algum modo o ensinem a melhorar a sua vida e ir aplicando os seus conhecimentos na prática.

Por exemplo, estudos confirmam que a sensação de ter controlo sobre a sua vida o fará mais feliz. Que tal ler um livro sobre finanças pessoais, e aplicar as suas dicas no dia-a-dia? Certamente melhorará este aspecto da sua vida.

4 – Aumente a sua auto-estima – O facto de nos sentirmos confiantes, seguros, competentes, atraentes… são condições que nos permitem lidar melhor com os desafios da vida, e consequentemente, sermos mais felizes. Aprenda a aumentar a sua auto-estima, lendo este post.





5 – Saboreie o presente – É óptimo ter uma visão positiva do passado e ter esperança no futuro, mas não se esqueça de viver também presente. Preste atenção aos prazeres momentâneos que o seu dia-a-dia lhe traz, aprecie a beleza das coisas, programe actividades que sabe à partida lhe trarão alegria. Se quiser conhecer mais sugestões para apreciar o momento presente, espreite este post.









6 – Descubra e concretize o seu propósito de vida – Ter um sentido de missão, realizar aquele trabalho que não considera uma obrigação mas um prazer, no qual fica tão envolvido que até se esquece do tempo a passar… é sem dúvida fundamental para a sua felicidade! Há pessoas que têm uma noção exacta do seu propósito neste mundo, outras nem tanto. Se é o seu caso, garanto que descobri-lo o irá fazer ter outro entusiasmo pela vida. Saiba como neste post.

Após ter a noção exacta da sua paixão, trace um plano, com objectivos específicos e datas para a sua concretização. Quando o deve colocar em prática? A resposta é só uma: hoje.



7 - Assuma o controlo da sua vida – Se sente que tem uma vida desorganizada, estude técnicas de organização e aplique as sugestões na sua vida prática. Se tem falta de tempo, aprenda a dizer não e implemente técnicas de gestão de tempo. Se os seus problemas são financeiros, controle as suas despesas e receitas diariamente, faça planos e cumpra-os. Se não existirem problemas na sua vida, de qualquer modo há sempre modo de a melhorar e de deter mais controlo sobre a mesma. O importante mesmo, e o que o fará mais feliz, é sentir que você é que controla a sua vida e não os outros, o tempo ou dadas circunstâncias.

8 – Simplifique – Identifique o que é realmente importante na sua vida e vá retirando tudo o que lhe dá trabalho e preocupações desnecessárias. Pare de tentar fazer tudo ou de ter tudo. Sabia por exemplo que ter objectos a mais aumentam em média, 40% do trabalho doméstico? Livre-se do supérfluo e cinja-se ao que realmente importa e é necessário.





9 – Rodeie-se de lembranças felizes – A recordação de momentos felizes passados poderá trazer alegria ao nosso presente. Rodeie-se de alguns objectos com significado que evoquem os momentos felizes que já passou (ao contrário do número anterior, estou a falar de objectos com significado para si e não de «tralha»). Para pôr esta sugestão em prática poderá seguir as dicas deste post. Dê igualmente uma espreitadela a um exemplo concreto de como eu incluo elementos na minha decoração, que me recordam os bons momentos passados.

10 – Nutra as suas relações – Nutra os seus relacionamentos, investindo tempo e desfrutando dos mesmos. Não coloque o trabalho sempre em primeiro. Se tiver uma vida demasiado ocupada é fundamental incluir na sua agenda actividades a realizar com a sua família ou com os seus melhores amigos (caso contrário o mais importante poderá ficar sempre para último).








11 - Aproxime-se e conviva com pessoas com alegria de viver – Está provado que as emoções são contagiosas, pelo que é muito fácil começar a pensar negativo se estiver rodeado de pessoas que pensam dessa forma. Deste modo, é fundamental começar a relacionar-se com pessoas alegres e que encaram a vida com positivismo.


12 – Saiba perdoar – A raiva e o ressentimento poderão prejudicá-lo mais a si do que à pessoa que o magoou. Isto não significa que esqueça a situação, que tenha de conviver como se nada tivesse acontecido, ou que diga que perdoa sem efectivamente o sentir, mas sim que tem de seguir em frente.

Constate a inutilidade do sofrimento na sua vida e deixe de se reger por este. Opte por investir o seu tempo em actividades construtivas e positivas. Como refere a psicóloga Maria Helena Matarazzo “(…) o perdão se torna uma possibilidade quando a dor do passado para de reger nossas vidas; (…) perdoar é usar a energia da vida, não para reprimir esses sentimentos, mas para quebrar o ciclo da dor se voltando para o futuro e não machucando outras pessoas como fomos machucados”.

13 – Tenha uma vida espiritual – As pessoas que têm uma vida espiritual activa (e não estou a falar propriamente de ir a uma igreja organizada, mas sim de um sentido profundo e intenso do significado espiritual da vida) têm tendência a ser mais felizes. Converse com Deus, agradeça as suas bênçãos e desabafe em momentos menos bons. Inclua a oração ou meditação na sua rotina, ou se preferir, envolva-se nas actividades da sua igreja.



14 – Aprenda a lidar com os seus problemas – Faz parte da vida enfrentar problemas, desde crises, stress ou até tragédias. No entanto, a forma como lida com eles, poderá ser determinante para a sua felicidade. É normal sentir-se triste e magoado, mas o importante é reagir, ao invés de ficar a remoer do assunto e concentrar-se na busca activa de soluções. Se necessário, leia este post, para lidar melhor com os seus problemas.



15 – Cuide do seu corpo e da sua mente – É difícil ser feliz num corpo doente e numa mente transtornada. Cuide de si! Pratique exercício físico regularmente, adquira hábitos para um sono reparador, faça uma alimentação saudável, aprenda a relaxar… se possível com um sorriso nos lábios.




16 - Dedique algum tempo a si mesmo, diariamente – Conceda algum tempo do seu dia (se necessário memorize na sua agenda) à realização de pequenos prazeres: ler um bom livro, tomar um banho relaxante, cuidar da sua aparência…




17 – Contribua para um mundo melhor – Seja bondoso com os outros, pratique actos de solidariedade. Quando desejamos e fazemos bem a alguém, acabamos por ficar mais felizes.

Por outro lado, envolver-se em causas humanitárias, defender o meio-ambiente, lutar por uma sociedade mais igualitária… implica que está a contribuir para um mundo melhor, onde todos sairão a ganhar.



18 – Sinta-se grato pelo que já tem de bom – Despenda alguns minutos do seu dia a pensar ou escrever sobre o que já tem de bom, celebre as suas conquistas, partilhe o sucesso com as pessoas que lhe são queridas. O enfoque nos aspectos positivos da sua vida, fá-lo-ão mais feliz. Acredite!

Feliz 2012!!



Fotos: Foto 1 – istock; Foto 5 - Danielle Lacerda; Foto 8 – Elle Decor; Foto 11 – Stock Photos; Foto 17 – Xeneras, restantes da Google images, com autores não identificados.
Related Posts with Thumbnails