terça-feira, 30 de abril de 2013

Serenidade...

Olho para o teclado do computador, com um misto de ansiedade e de desejo de escrever. Os últimos dias marcaram-me profundamente, mas sinto falta da blogosfera. Foi essencial afastar-me, mudar de ambiente, para adquirir a calma que precisava. Hoje posso dizer que me sinto serena, em paz comigo mesma. Voltei a sentir coragem e entusiasmo pela vida. Voltei a concentrar-me naquele que sinto ser o meu propósito.
 
Confesso-vos que fiquei extremamente magoada. Apesar de não poder explicar claramente o que se passou, só vos posso dizer que estavam a pôr em causa o bem-estar da minha própria família. Custa-me a perceber ao ponto que uma pessoa consegue ser má. De qualquer modo, com isto aprendi uma lição: não devemos partilhar demasiada informação pessoal na Internet (já apaguei os posts em que o fiz e onde tinha fotos antigas). Nunca se sabe quem está do outro lado da Internet e se há pessoas bem intencionadas (muitas, felizmente), outras há com capacidade de fazer mal. O mundo é mesmo assim, há que lidar com isso.
 
Para superar a situação, em primeiro lugar concentrei-me na resolução do problema (que penso estar sanado de vez). Depois disto, afastei-me da blogosfera e aproveitei para pôr em prática algumas técnicas para combater o stress. Tentei ligar-me ao meu lado mais espiritual, conhecer-me um pouco melhor e definir para onde quero seguir. Depois disto fui acalmando, até encontrar a serenidade que precisava para voltar a escrever.
 
Não posso abandonar a minha missão neste mundo por causa de uma só pessoa. Mas daqui por diante terei outros cuidados que anteriormente não tinha. Sinceramente, creio que também já não perderei tempo em negociações. Quando sentir que alguém está a pisar o risco denuncio e pronto. Estas pedras no caminho são uma lição, sem sombra de dúvida.
 
Por último quero agradecer todo o apoio que me deram, nem imaginam como me ajudou.
 
Sinto imensas saudades vossas. É bom regressar!...

Foto: Tim Donnelly

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Pensamento/Lema da semana #134

"Se o primeiro plano que adotou não surtiu o efeito pretendido,
 substitua-o por um novo e,
se este falhar, mude para um outro, até encontrar um realmente eficaz.
Esta é a única forma de ser bem sucedido."
Napoleon Hill

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Pensamento/Lema da semana #133





"Os melhores professores da humanidade
são as vidas de grandes homens."
Charles H. Fowler





Foto: Google images - Autor não identificado

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Ponto de situação

Hoje passei por cá para vos fazer um ponto da situação.

O que se passou não foi uma cópia dos meus textos (o que infelizmente também acontece com frequência), foi uma situação muito mais grave. Os últimos dias têm sido de puro stress, contudo, de momento não posso mesmo entrar em detalhes. Talvez um dia tenha coragem para contar o que aconteceu, pois o que me fizeram podem fazer a qualquer pessoa. Mas de momento, não posso mesmo.
 
Entretanto, após vários dias em que nem conseguia pregar o olho, a situação parece resolvida. Não sei se realmente o amor e respeito pelo próximo venceram (espero que tenha sido assim), ou se foram entidades responsáveis que agiram. Recebi um relatório, mas esta parte não ficou clara.
 
Sinceramente fiquei estupefacta, porque, como disse, jamais me imaginaria a fazer mal a quem quer que seja. Quando alguém o faz, não acredito que se sinta bem consigo mesmo. Se a pessoa que o fez mudou realmente de atitude e resolveu fazer o que é certo, só tenho a agradecer-lhe e quero dizer-lhe que a bondade vale a pena. Só demonstrando amor ao próximo podemos melhorar o mundo em que vivemos. Tenho de agradecer também a Deus, sinto que as minhas preces foram ouvidas.
 
De qualquer modo, vou precisar de pelo menos um tempo para me recompor. Creio que tenho um pensamento agendado para Segunda-feira, mas agora preciso de estar comigo mesma. Para se conseguir escrever e dizer as coisas genuinamente, há que estar bem connosco e com o mundo. Preciso de tempo...
 
Mas não poderia deixar de agradecer os comentários e e-mails de incentivo. Obrigada por serem a minha força neste momento. Gosto imenso de vocês - sem dúvida que têm mudado a minha vida para melhor. OBRIGADA!!

««»»

Actualização: Tinha escrito este post ontem, mas hoje já sei que quem agiu foram mesmo as entidades responsáveis e não a pessoa em questão. Com muita pena e desilusão da minha parte.

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Desiludida e com vontade de encerrar o blog

Desde que tenho este blog, é a segunda vez que fico desiludida e com vontade de deixar de escrever. Se da primeira vez copiaram vários textos meus (já estou vacinada contra isso), desta vez aconteceu algo realmente grave (lamento, mas não posso entrar em grandes detalhes). Só sei que fico estupefacta com pessoas que não se importam minimamente com os sentimentos dos outros e em fazer-lhes mal. Sinceramente, a minha consciência não me deixaria fazer mal a ninguém, nem ao meu pior inimigo.
 
Comecei a escrever mesmo a sério neste blog, há quase 3 anos. Pesquisei imenso, aprendi muito e levantei-me cedo em praticamente todos os fins-de-semanas, para transmitir gratuitamente o que ia aprendendo, às pessoas em geral e para responder a e-mails de leitores (normalmente a pedir ajuda, opinião, etc.).  O meu objectivo passava somente por tentar ajudar quer as pessoas individualmente, quer a sociedade em geral. Gostava genuinamente que o meu pequeno contributo, ajudasse a melhorar a sociedade em que vivemos.
 
Para além disso, este blog também teve um significado profundo na minha vida. Aprendi imenso e apliquei parte dessas aprendizagens na minha própria vida. Passei a ter objectivos que consegui concretizar. Passei de pessimista a alguém que consegue ver o mundo de forma mais bonita, com esperança e positivismo. Senti que me estava a tornar útil para os que por aqui passam e me leem. E tudo isto não seria possível sem o vosso apoio, quer pela vossa presença, quer pelas palavras simpáticas que aqui deixam.
 
Apesar da desilusão que apanhei por estes dias, não posso generalizar. O acto de uma única pessoa, não me faz pensar que o mundo é mau e terrível. Nada disso. Continuo a ter fé na humanidade e sobretudo em Deus.
 
Gostava de continuar a dar o meu contributo, mas sinceramente, neste momento preciso de abstrair-me disto. Esta semana, pela primeira vez desde o início do ano, não me sinto motivada para cumprir os meus objectivos, não me apetece de escrever, nem tenho a habitual paciência para as pessoas. Apaguei alguns dos meus posts. Estou triste e preciso de tempo para recuperar e para saber sobre o que vou fazer daqui por diante. Tenho alguns posts agendados, mas tenho de ponderar bem se vale a pena continuar a publicá-los. Enfim... Calha a todos e chegou a minha vez de ficar triste. Claro que vou reagir, mas preciso de tempo para mim.
 
Mudando de assunto, estou igualmente preocupada com a minha querida tia N., uma das pessoas mais fantásticas que conheço. A situação dela piorou e está hospitalizada neste momento. Rezem pela sua saúde, por favor!
 
E é tudo! Tenho esperança que a bondade, o amor e respeito pelo próximo vençam.

terça-feira, 16 de abril de 2013

As melhores dicas... para ser feliz!

E assim termina esta série, com a selecção dos melhores posts do blog. Neste último dia, como não podia deixar de ser, o tema escolhido é especificamente a felicidade. Não foi fácil escolher, mas aqui ficam os meus textos preferidos:
 
1 - É mesmo possível ser mais feliz?;

2 - Factores que influenciam a felicidade (post 1 e post 2);

3 - Alguns obstáculos à sua felicidade;

4 - 19 formas de pensar que o ajudarão a ultrapassar os momentos difíceis;

5 - Como lidar com os seus problemas?;

6 - Porque somos tão negativos?;

7 - Controle o excesso de pessimismo, recorrendo à técnica de questionamento ABCDE;

8 - Acontecimentos adversos: procure a dádiva e a lição;

9 - Teste: e você, é optimista?;

10 - Como ser mais optimista;

11 - Como pensam e agem as pessoas mais felizes?;

12 - Atitude das pessoas felizes vs pessoas infelizes;

13 - Como lidar com as críticas;

14 - Teste: a sua atitude interior conduz à felicidade?;

15 - Como aumentar as suas experiências positivas (post 1 e post 2);

16 - 13 sugestões para começar o dia de forma positiva;

17 - Frases inspiradoras para um dia positivo;

18 - Teste: quais as actividades que o poderão fazer feliz?;

19 - Use a neuroplasticidade do cérebro a seu favor;

20 - Por favor, sorria!;

21 - Algumas técnicas para ser mais feliz:

22 - Pequenos nadas que nos fazem felizes;

23 - Como ser feliz;

24 - O que fazer para ser mais feliz?.
 
Foto: Micah Camara

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Pensamento/Lema da semana #132

"A felicidade da raça humana neste mundo
não consiste em estar desprovido de paixões,
mas em aprender a comandá-las".
Anónimo

domingo, 14 de abril de 2013

As melhores dicas... sobre sociedades felizes


Podemos aprender imenso com os países mais felizes do mundo.
 
Apesar da diversidade entre as pessoas, existem algumas características comuns nas sociedades mais felizes, quer seja pelos valores que adotam, quer pela segurança que é dada às pessoas, quer pela possibilidade de equilíbrio entre o trabalho e a vida familiar... Podemos efectivamente aprender com estes países e tentar fazer melhor do que fazemos. Podemos inclusive, cada um de nós, ter um papel activo na melhoria da nossa própria sociedade.
 
Eis os posts que sugiro sobre este tema:
 
 
 
 
 
 
 
 
Foto: Mafalda S. - "Lost in Romania"

sábado, 13 de abril de 2013

Gracinhas de criança #6

Não podia deixar de partilhar convosco, a última da minha filha de 5 anos.

Ela: Mamã, podes-me oferecer um mealheiro novo?
Eu: Sim. Mas porque queres um mealheiro novo?
Ela: Sabes mamã... gostava de juntar dinheiro, para comprares uma casa no Algarve.

E pronto, é oficial, a miúda é mesmo fã do Algarve (sai aos pais).

Foto: Can Stock Photo

As melhores dicas... sobre dinheiro

A história de que o dinheiro não traz felicidade... não passa de treta (desculpem lá a expressão). O cerne da questão é que o dinheiro em si não deve ser um «fim», mas antes um «meio» para nos ajudar a ser felizes. Se é verdade que uma pessoa pode sentir-se bastante infeliz por andar numa eterna correria por dinheiro e querer sempre mais, prejudicando por exemplo o tempo que está em família (aqui o dinheiro é sentido como um «fim»), outra pode ser bastante feliz por o dinheiro lhe dar a possibilidade de ocupar parte do seu tempo em actividades prazerosas (neste caso o dinheiro é percepcionado como um «meio» para atingir um fim). Em suma, o «fim» deve ser sempre a felicidade e não o dinheiro.
 
O dinheiro é importante (apesar de a partir de determinada quantia, já não influir tanto na nossa felicidade). E também é importante sentirmos que somos nós que o controlamos e não que somos controlados por ele (como quando temos dívidas, quando estamos insatisfeitos e queremos sempre mais, quando sentimos que o dinheiro "não estica" e só dá para o essencial).
 
Resumindo, o que importa é que sinta que detém o controlo do seu dinheiro e que este o ajude a concretizar experiências positivas, que contribuam para a sua felicidade. E para não estar aqui com mais conversa, vou passar ao que mais importa, a minha selecção dos melhores posts sobre dinheiro:
 
 
Foto: Gerard Van der Leun

sexta-feira, 12 de abril de 2013

As melhores dicas... para o ajudar a viver o seu propósito de vida

Viver com um sentido de propósito, ter objectivos pelos quais corremos por gosto, ter sonhos para alcançar... é algo que pode aumentar consideravelmente os nossos níveis de felicidade (não só ao chegar à meta, mas durante a própria jornada). Escrevi vários posts que o poderão ajudar a viver o seu propósito de vida. Eis os meus preferidos:
 
 
 
 
 
 
 
Foto: lee

quinta-feira, 11 de abril de 2013

terça-feira, 9 de abril de 2013

As melhores dicas... sobre relações

No fim-de-semana que passou, muita coisa aconteceu. Senti-me verdadeiramente triste, até porque as tristezas também fazem parte da vida.

Vi a minha tia N. doente como nunca a tinha visto. Ela já tem 88 anos, mas até há 2 semanas, continuava super-activa e com uma mente bastante jovem (pela energia) e sábia (pela idade). Vê-la tão em baixo, quase sem falar e abrir os olhos, cortou-me o coração. Entretanto começou a melhorar, mas ainda não me recompus do susto. Aliás, todas as orações pelas suas melhoras são bem-vindas!
 
Aparte disto, a minha querida vizinha L. faleceu. Gostava muito dela, sempre foi uma querida desde que vim viver para o mesmo prédio. Vou ter imensa saudades! Sinto-me não só triste, mas também revoltada, pois foi mais uma pessoa que faleceu com cancro. Foi a uma simples consulta ao dentista e descobriu que tinha cancro no cérebro. Durou poucos anos depois disso. Definitivamente, detesto esta doença.
 
Face a estes acontecimentos, preciso de tempo para me recompor. Não tenho cabeça para escrever nada de novo.
 
Assim, esta semana proponho-vos a revisitar aqueles que considero os melhores posts. Há algum tempo que eu própria os queria reler e vou aproveitar esta semana para o fazer.
 
««»»
 
O primeiro destes posts trata das relações da nossa vida, que tanto podem influenciar a nossa felicidade. Eis aqueles que considero os melhores posts:
 
 

3 - Decidir perdoar;

4 - 40 formas de demonstrar o seu amor;

5 - 15 dicas para manter o romance na sua relação;

6 - Teste do Dr. Phil: Como está a saúde da sua relação?;

7 - 15 actividades para ensinar gratidão aos seus filhos;

8 - Uma criança feliz, precisa de...;

9 - 23 sugestões para actividades especiais em família (com filhos pequenos);

10 - Como aumentar a auto-estima do seu filho;

11 - Stress: soluções para ser um pai menos stressado;

12 - Como incutir regras nas crianças?;

13 - Dicas para serem bons pais;

14 - Como criar uma família feliz - as dicas do Dr. Phil (post 1 e post 2).

Imagem: http://printables4scrapbooking.com/archives/recipe-for-a-happy-family

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Pensamento/Lema da semana #131

"A força do Bem espalha-se sempre, como a Lua.
Quando você emana
vibrações do Bem,
beneficia toda a humanidade".
 Paulo Coelho

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Ponto de situação das minhas Resoluções de Ano Novo #3

Março terminou e, mais uma vez venho aqui, fazer um balanço dos meus objectivos de Ano Novo (se ainda não os conhecem, espreitem este post).

Aqui estão os resultados:

 Objectivo 1: Ser mais feliz
- Rituais associados ao objectivoutilizar, no mínimo durante 15 min por dia, uma estratégia para a felicidade.
- Avaliação: diariamente tenho utilizado uma destas estratégias, e honestamente já se tornou um hábito. Sinto-me inclusivamente mais leve, mais relaxada (talvez mais feliz...).
 
Objectivo 2: Fazer um check-up médico
- Rituais associados ao objectivoir a consultas médicas, de modo a fazer check-up.
 
- Avaliação: fui à dentista (tinha previsto em meados do ano, mas como andava com um problemazito [desde o ano passado], aproveitei e fui já). Fiz também o último dos exames solicitados pelo médico de família.
 
Objectivo 3:  Fazer uma alimentação mais saudável
Rituais associados ao objectivo: incluir na minha ementa, em pelo menos 4 jantares por semana (o almoço é consumido no trabalho), legumes para além da sopa

- Avaliação: concretizado parcialmente. Tenho feito isto em 3 dias por semana, ao invés dos 4 que pretendia inicialmente.
 
Na verdade, para mim é difícil ser criativa na confecção de legumes (tenho salteado, feito saladas, esparregado, grelhados, etc.). Mas começo a fartar-me de fazer sempre coisas semelhantes. Tenho pesquisado e experimentado receitas asiáticas (mas nem sempre encontro os ingredientes) e do programa MasterChef (confirmo que são absolutamente deliciosas, mas levam tantos, mas tantos ingredientes...). Tenho de me adaptar a cozinhar assim.

Objectivo 4: Ter mais tempo para actividades significativas e prazerosas
Rituais associados ao objectivo: eliminar, pelo menos num dia por semana, algo supérfluo da minha vida (tralha, compromissos não obrigatórios, e-mails que não interessam, etc.).

- Avaliação: na realidade, tenho feito isto todos os dias.  Acho que se está a tornar um vício.

Objectivo 5: Iniciar um novo projecto relacionado com a temática da "felicidade"
- Rituais associados ao objectivo: ler, pelo menos 3 vezes por semana, os livros sobre "felicidade" que tenho em casa.

- Avaliação: Tenho lido todos os dias. Este é já um hábito, sem dúvida nenhuma.

E o que fazer daqui para a frente?
Este mês não vou avançar para objectivos novos. A maioria já está consolidada, mas quero-me concentrar no objectivo n.º3, até o concretizar na totalidade. Não quero dar um passo maior que a perna. Quero ir aos pouquinhos, mas criar efectivamente um novo hábito.
 
Este objectivo está a ser um pouco difícil porque ainda estou em fase de aprendizagem, a testar sabores desconhecidos. Mas estou a apreciar a "viagem".
 
Em relação aos objectivos em geral, continuo a dizer o mesmo, o segredo para os alcançar, é fazer um pouco todos os dias.

««»»

E convosco? Como está a decorrer a concretização dos vossos objectivos? Está a correr bem ou puseram-nos de lado? Não desistam, imaginem só o que podem mudar na vossa vida, no espaço de 1 ano. O poder para isso, está nas vossas mãos!
 

quarta-feira, 3 de abril de 2013

A minha Páscoa


A manhã começou alegre, com a Letícia a pular da cama e a dizer "Hoje é Páscoa! Hoje é Páscoa!".
 
Como sabem, aproveito estas alturas para criar rituais e tradições familiares (já expliquei as vantagens disso neste post). Aproveitei algumas tradições da minha região (e não só) para tornar esta data especial.
 
Antes do dia propriamente dito, contei à Letícia a história da Páscoa, comprámos amêndoas para oferecer, ela teve um raminho benzido no Domingo de Ramos.
 
No dia efectivo da Páscoa resolvemos ir à Igreja. A Letícia nunca tinha assistido a uma celebração destas. Mas se de início estava super-entusiasmada, no fim já estava um pouco farta. E até percebo porquê.
 
Nós estávamos todos sorridentes, afinal era o dia da ressurreição de Jesus. Mas o que encontrámos? Música que sinceramente, apesar de bonita, não era nada alegre. E uma homília com palavras sábias, mas nada próximas do povo. Um ar sério, palavras caras... (eu sei que a intenção era boa, mas não resultou). A meu ver (e podem dizer-me: "quem és tu para dizeres isso?"), as missas deveriam ser mais alegres, as homílias mais extensas e as palavras repetitivas deveriam ser reduzidas. Deveriam ser utilizadas palavras simples que chegassem a todos, inclusive às crianças. O povo deveria ser motivado, inspirado a serem melhores pessoas, a serem mais bondosas na vida prática, a cultivarem a sua espiritualidade. Enfim, é só a minha opinião.
 
Depois da missa seguiu-se um almoço e uma tarde em família.
 
A Letícia participou na já tradicional «caça ao tesouro». Nesta actividade, ela tinha de seguir uma série de pistas até encontrar o ovo de chocolate com surpresas (esta é a parte favorita do seu dia).
 
Já à tardinha, passámos por um café à beira-rio e o cenário era o da foto acima. Estávamos em plena cheia e nem nos tínhamos apercebido disso. Mas sabem que mais? Foi maravilhoso! As pessoas daqui já estão habituadas a esta situação, pelo que não causa grandes transtornos. Era impressionante a quantidade de sorrisos nos seus rostos. Tinha-se juntado imensa gente para observar a paisagem, que em tempos de cheia fica deslumbrante. Eram impressionantes as gargalhadas, os flashes de máquinas fotográficas, a confraternização, os olhares luminosos, como se naquele momento tivessem esquecido a crise e quaisquer más notícias. Se noutros pontos do país pode ter sido uma chatice, aqui as pessoas estavam deslumbradas.
 
Claro que no fim da noite, tivemos de andar a retirar uns materiais do trabalho do meu marido (para não serem apanhados pela água). Mas nem isso nos custou.
 
Foi assim a nossa Páscoa. Para ser franca preferi a do ano passado, em que rumámos ao Algarve. Mas esta não deixou de ser uma boa Páscoa, com uma história para recordar.
 
Foto: Mafalda S. - "Rio em tempo de cheia" (via telemóvel)

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Related Posts with Thumbnails