quarta-feira, 22 de julho de 2015

Opinião - Livro "Arrume a Sua Casa, Arrume a Sua Vida" de Marie Kondo

Se lês este blog, deves ter percebido que ando a fazer um "destralhamento total da casa". É o segundo que faço, pois há uns anos não fui tão longe quanto devia e também não tinha os conhecimentos que tenho hoje (lá está, a vida é uma eterna aprendizagem).

Quase no início do processo, comprei o livro "Arrume a Sua Casa, Arrume a Sua Vida" da japonesa Marie Kondo (autora do método KonMari). Adaptei as ideias que me pareciam correctas e rejeitei o que não se adequava à minha vida. De qualquer modo considero-o uma excelente fonte de motivação para quem pretende destralhar.

Em traços gerais, o método da autora sugere o seguinte:

1- Faz um destralhamento radical, de uma só vez - A autora considera que para a casa não voltar a ficar cheia de tralha, devemos fazer um único destralhamento radical. Que se fizermos um pouco cada dia, andaremos sempre a arrumar e desmotivamos. Refere ainda que este método não deve ser alterado para adaptá-lo à nossa personalidade.

Aqui entrei logo em choque com a autora (felizmente continuei a leitura, pois o livro tem muito boas ideias, valendo realmente a pena):

a) Em primeiro lugar, soa um pouco a falta de humildade pensar que o seu método é o único que resulta para todas as pessoas. Continuo a pensar que cada um deve escolher o que melhor funciona para si, e não tem de ser necessariamente o método KonMari.
b) Pode ser fantástico fazer um destralhamento radical, mas nem todas as pessoas têm essa possibilidade. Há que convir que, por exemplo uma pessoa solteira que vive num apartamento com poucos objectos, pode ter bem mais facilidade do que uma família com 3 filhos e anos de tralha acumulados. Para além disso, a maioria das pessoas trabalha fora de casa, pelo que fica dependente das férias ou dos fins-de-semana para o fazer e, no meio disso, ainda tem de dar atenção aos filhos, cozinhar etc. Por isso, considero que não há nada de errado em fazer aos pouquinhos. É preferível ir devagar e fazer, do que estar à espera do dia para o destralhamento radical, que pode nunca chegar.
c) A autora fala que, segundo a sua experiência, quando é feito um pouco em cada dia as pessoas desmotivam. Pois, provavelmente, e é a minha mera opinião, não estão a utilizar técnicas de motivação (e digo técnicas que não surgem de uma mera opinião, mas antes que foram comprovadas cientificamente - já as referi neste post). Por exemplo no meu caso, os incentivos funcionam. Vou lendo um pouquinho de um livro sobre organização, ou algo sobre o tema na Internet e, logo de seguida, fico motivada para destralhar.

2 - Destralha por categorias, não por local - A ideia é que quando destralhamos por assoalhadas, tendemos a esquecer objectos da mesma categoria que estão noutros lugares. Assim, ao não vermos o «todo», podemos não ter noção dos excessos que temos. No meu caso estou a organizar, não por assoalhadas, mas por áreas menores. Mas acho esta técnica de organizar por categorias fantástica.

Por exemplo quando cheguei a uma área onde havia medicamentos, resolvi ir buscar todos os medicamentos que haviam em casa e destralhei tudo de uma só vez. Em consequência, por vezes consigo fazer mais do que uma área por dia. E sim, ficamos com uma noção muito maior dos excessos, do que precisamos manter e do que podemos deixar ir.

3 - Organiza segundo uma ordem específica - De acordo com a autora devemos organizar pela seguinte ordem:
1.º Roupa;
2.º Livros;
3.º Papéis;
4.º Komono (objectos variados);
5.º Coisas com valor sentimental.

A ideia é começar por objectos que sejam mais fáceis de destralhar e deixar os mais difíceis para o fim. Isto torna o processo mais rápido, uma vez que à medida que vamos destralhando vamos aprimorando a capacidade de nos desapegarmos das coisas. No final, isso facilita bastante, quando tivermos de lidar com objectos de valor sentimental.

4 - Mantém só que te traz alegria - A ideia é olharmos para cada objecto, um a um, e questionarmo-nos se o mesmo nos traz alegria. Se trouxer fica. Agora aquelas roupas que sabemos que não vamos usar, aquele livro que não é tão interessante e continuamos a adiar a leitura... tudo isso vai.

Aqui concordo em parte com a autora, pois devemos realmente escolher os objectos que nos fazem sentir bem, que nos trazem alguma felicidade. Mas eu acrescentaria que também devemos deixar ficar os objectos realmente necessários (mas que podem ou não trazer-nos alegria). Por exemplo a minha pasta de dentes pode não ser uma fonte de alegria, no entanto preciso dela para manter os dentes limpos. Logo, tem de ficar.

5 - Sente gratidão pelos objectos que estás a deixar ir - A ideia é sentir-mo-nos gratos pelos objectos que tiramos da nossa vida, pois cumpriram um importante papel. Ou já nos deram alegria no passado ou simplesmente deram-nos lições sobre o que não gostamos, o que não nos assenta bem, o que não tem a ver com a nossa personalidade, etc.

6 - Destralha primeiro, organiza depois - Isto é importante, para não atrapalhar o processo, pois às tantas acabas por não deitar fora tudo o que precisas e começas a organizar tralha. Assim, destralha primeiro e só depois deves pensar em organizar o que sobrou.

7 - Trata bem os teus objectos - A autora diz que, no que respeita aos objectos que sobraram, devemos fazê-los sentir-se amados e apreciados. Chega a referir que devemos agradecer verbalmente pelo papel que cumpriram ao longo do dia (ok, esta parte faz-me um bocadinho de confusão). Mas creio que a principal ideia é a de que precisamos de cuidar bem dos nossos objectos, para que estes durem e continuem a dar-nos alegria.

Devo dizer que a minha parte favorita do livro são as ideias que ela dá para arrumação dos objectos, após o destralhe. Foi ela que me inspirou por exemplo, a dobrar algumas das minhas roupas na vertical (como se pode ver neste post).

 ««»» 

Em suma, considero o livro bastante inspirador. Quando o lês, dá-te uma vontade enorme de começares a organizar a casa (lá está, para mim funciona como técnica de motivação). E mesmo discordando de algumas ideias da autora, acho que tem óptimas sugestões para melhorar as nossas vidas.

E tu, já leste este livro? Qual a tua opinião?

Foto: Wook

12 comentários:

  1. O importante no destralhe é mesmo sentir a necessidade e dar o primeiro passo.
    Depois de sentir o bem estar pelo primeiro passo dado, passa a ser uma necessidade.
    Comigo é assim que funciona. Já não acumulo coisas há imenso tempo e meu dia a dia tornou-se muito mais leve.
    De qualquer forma, os itens partilhados pela Mafalda são muito úteis para orientar quem que quer começar e não sabe por onde.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Obrigada por esta opinião. Estou interessada em adquirir este livro mas estaria na dúvida se valeria a pena ou não. Depois de ler o teu post, fiquei ainda com mais vontade de o comprar.

    Bjs

    ResponderEliminar
  3. "uma pessoa solteira que vive num apartamento com poucos objectos, pode ter bem mais facilidade do que uma família com 3 filhos e anos de tralha acumulados." Claro, e acrescento: quem vive com outras pessoas têm muito mais dificuldade em destralhar porque não tem só coisas suas em casa ... É muito difícil para mim destralhar porque esbarro sempre com coisas que não são minhas e não podendo decidir sozinha acabo por desmotivar ...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que a autora sugere neste caso é não recriminares, nem exigires que comecem a destralhar. É sim começares nos teus próprios objectos. Supostamente, as mudanças serão tantas que começas a influenciar os que te rodeiam, que começam também a querer destralhar. A ver vamos, cá em casa também tenho um pouco esse problema. Mas noto que o facto de andar a destralhar já os está a influenciar um pouco. No meu caso, eu não me permito é desmotivar, tento sempre arranjar forma de dar a volta por cima, para alcançar os meus objectivos.

      Eliminar
  4. Ainda só li a versão deste livro em inglês e adorei. Partilho aqui a minha opinião, publicada no ano passado quando o li: http://musicacomcafe.blogspot.ca/2014/11/o-livro-revolucionario-sobre-magia-de.html
    Boa sorte com o destralhe em sua casa!

    ResponderEliminar
  5. Já conhecia o livro de nome mas nunca o li.O b) do ponto 1 faz-me lembrar a minha situação.
    Temos também de contar com o entralhamento que fazem na nossa casa, sim, aquelas pessoas que destralham na deles e depois entralham a nossa.
    Tenho mesmo é de ver técnicas de motivação quer funcionem comigo :)
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu destesto que me façam isso! Aliás a autora alerta para isso, mas é um pouco ao contrário. Avisa-nos para não transferirmos a tralha para a casa de outras pessoas. Na minha modesta opinião, se te derem alguma coisa, se realmente gostares ou seja útil, aproveita. Caso contrário, destralha mesmo. Certamente já tens afazeres suficientes, para ainda teres de te preocupar a organizar/arrumar tralha.
      Bjs

      Eliminar
  6. Também tenho o livro, que li só depois de fazer parte dos muitos grupos de FB existentes e de ler vários artidos sobre o assunto. Concordo em 90% com ela e vou fazer a experiência a sério em Setembro.

    ResponderEliminar
  7. Já li e concordo/discordo basicamente com o mesmo. Uma frase que sublinhei no texto da Mari Kondo é que o processo que ela chama "radical" demora cerca de 6 meses. Ou seja, embora seja radical em cada categoria o processo de destralhar o total das categorias que enumera ainda demora o seu tempo. Dessa forma quando ela refere que se deve destralhar de uma vez se refere a que o devemos fazer de uma forma contínua e radical até obtermos a casa que queremos e os objetos que nos dão prazer e que a partir daí não há mais lugar a destralhar porque aprendemos a não juntar tralha. Numa casa com muitas pessoas pode não ser fácil manter esta realidade, mas tenho esperança que a nossa própria organização influencie os restantes.

    ResponderEliminar
  8. Olá Mafalda! ! Antes de mais parabéns pelo blog, adoro!!! Eu comprei o vida organizada e tendo já esse achas que vale a pena comprar este? Beijinho e obrigada, Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Ana! Antes de mais, obrigada pelas palavras simpáticas.
      Quanto ao livro, eu acho que vale mesmo a pena. O "Vida Organizada" fala mais sobre gestão de tempo. Apesar de falar de destralhar, este vai muito mais longe (o que tem lógica, pois é esse o tema principal do livro). Para além de te dar uma motivação extraordinária para começares a destralhar, dá-te ideias de organização muito boas. Para ser franca, estou a pensar relê-lo.
      Beijinho

      Eliminar
  9. Adoro desafios... ;-)

    ARRUME/O a Sua/Minha Casa, ARRUME/O a Sua/Minha Vida, será mais um desafio para mim...

    http://feltronasmaos.blogspot.pt/2016/09/arrume-sua-casa-arrume-sua-vida-novo.html

    E depois do que acabo de ler aqui, ainda com mais motivação! :-)

    Bem haja!

    ResponderEliminar

Related Posts with Thumbnails