terça-feira, 2 de maio de 2017

Como manter a casa limpa e arrumada diariamente #2 - Destralhar para simplificar


Fecha os olhos. Imagina a tua casa organizada, com cheirinho a limpo. Sem coisas espalhadas. Só com os objectos que te são úteis ou que realmente adoras. Um espaço cheio de energia positiva - onde sabe bem relaxar ao fim do dia, ou passar bons momentos com quem amas. 

É este o objectivo que deves ter em mente. Foi isto que me levou a agir, a mim. 

Vamos assim à 1.ª parte desta série de posts. Esperemos que no fim, estejas motivado/a para agir e que transformes a tua casa num lugar mais agradável. Comecemos por "destralhar para simplificar".

««»»

1) Destralha a tua casa - esta é talvez a medida mais eficaz, para reduzires o teu trabalho diário! Pode levar tempo (eu demorei 1 ano e 2 meses - só podia fazer pouco de cada vez), mas faz uma diferença incrível. A ideia é analisares cada objecto que tens em casa e só manteres o que te é útil ou que te traz alegria.

2) Encontra inspiração - para te motivares e para teres ideia de como destralhar a tua casa podes inspirar-te no meu próprio «plano para o destralhamento total da casa» e no percurso que fiz ao longo do tempo (post 1, post 2, post 3, post 4, post 5, post 6, post 7, post 8, post 9). [Nota: Para ser franca, apesar de ter alcançado o objectivo do destralhe, não conclui esta série de posts. Mas ainda tenciono fazê-lo.]

Outra fonte de inspiração, são os livros. Para além de te darem motivação para o destralhe, ainda partilham uma série de técnicas úteis. Eis os meus preferidos:

Livros inspiradores, para destralhares e organizares a tua casa.















- "Arrume a Sua Casa, Arrume a Sua Vida" da Marie Kondo (dei a minha opinião sobre este livro aqui);
- "Alegria" também da Marie Kondo - É uma espécie de complemento ao primeiro livro. Tem um resumo do método de destralhe KonMari, mas é essencialmente composto de dicas práticas - imagens incluídas - para arrumar uma multiplicidade de objectos (de modo a mantê-los sempre organizados e a ocupar pouco espaço). Claro que se só poderes optar por um dos livros, sugiro-te o primeiro.
- "Menos é Mais" da Francine Jay - Um livro para nos inspirar a levar um estilo de vida minimalista (sem radicalismos) e com ideias práticas para o destralhe e organização, das várias divisões da casa.

3) Destralha por categorias de objectos - percorre  as várias divisões da casa e reúne todos os objectos da mesma categoria (por ex. canetas, maquilhagens, roupas, etc.). De seguida, coloca-os todos juntos num espaço livre da tua casa (por exemplo, num canto do escritório) e analisa-os um a um. A verdade é que só reunindo tudo, teremos noção da real quantidade de objectos que adquirimos (ui... por vezes até temos coisas repetidas). Isto ajuda-nos a identificar o que temos a mais.

Destralhar por categorias de objectos,
ajuda-nos a identificar o que temos a mais.

4) Coloca o mínimo de objectos nas bancadas - durante o destralhe, retira mesmo todos os objectos das bancadas. Depois vai colocando somente um ou poucos objectos decorativos que realmente adores e algum objecto que uses frequentemente (por ex. a máquina do café na cozinha). Superfícies desimpedidas demoram muito menos tempo a limpar e transmitem mais calma.

Bancadas com poucos objectos são muito mais fáceis de limpar.

5) Evita ter objectos no chão para além da mobília - percorre todas as divisões da casa e elimina o máximo de coisas que estão espalhadas pelo chão. Para além da mobília, as únicas excepções podem ser alguma carpete, vasos ou iluminação. Mas tudo sem exageros. Lembra-te, quanto mais coisas tiveres, mais tempo terás de lhes dedicar.

Um chão livre de tralha, permite uma limpeza bem mais rápida.


6) Reduz o número de têxteis decorativos - uma casa com poucos têxteis, não tem de ser menos bonita. Cá em casa, os têxteis limitam-se a cortinados, almofadas (poucas) e 2 mantas. Retirei todos os tapetes e carpetes. Na realidade, fiz isto por causa das alergias, mas a verdade é que agora tenho bem menos trabalho a aspirar.

Menos têxteis, significa menos trabalho e menos alergias.

7) Define um lugar para cada objecto  - 
a ideia é categorizar cada objecto e guardá-lo num sítio específico, por norma junto de objectos semelhantes e próximo do lugar onde irá ser utilizado. Tem de fazer sentido o objecto estar naquele lugar, para ser funcional e para te lembrares de que é ali que deve de ser guardado. 

Vou exemplificar. A tua maquilhagem pode estar guardada num cesto na casa-de-banho, se é lá que te maquilhas. Podes colocar divisórias nesse cesto para criar áreas menores para os batons, as sombras, os pincéis... Será funcional, porque quando o quiseres utilizar, basta tirares o cesto, onde tens tudo o que necessitas. Facilita também a arrumação. Como todos os objectos da mesma categoria estão aqui reunidos, evita que hajam coisas semelhantes espalhadas pela casa, pelo que também encontras mais facilmente o que queres. 

Sugiro-te ainda que definas uma categoria para todos os objectos, que não consideres nada como tralha (se não encontrares objectos semelhantes, podes criar uma categoria nova, mas categoriza-o!). Isto evita a ter espaços entupidos de objectos que não sabemos muito bem onde os colocar. Cá em casa deixámos inclusive de ter uma «gaveta da tralha». 

Cada objecto deve de ter um lugar próprio.

8) Depois de usares, devolve ao lugar a que pertence  - 
esta é uma regra básica para prevenir trabalho extra. Arrumar na hora, é super-rápido. Quando não o fazemos, as coisas vão acumulando e acabamos por perder bem mais tempo a arrumar. 

Uma coisa que pode ajudar, é adquirires o hábito mental de avaliares o espaço por onde passas. Este deve ser deixado, como foi encontrado antes  de haver desarrumação. 

Mas não sejas paranóico/a. A casa é para ser vivida e é normal que haja desarrumação, quando nos envolvemos em alguma actividade. Os objectos devem de ser devolvidos, mas só quando nos fartamos e vamos fazer outra coisa.

9) Arruma enquanto percorres a casa  - alguns chamam-lhe «a dança dos cómodos» e consiste em aproveitarmos para levarmos objectos que estão fora do sítio, quando vamos de uma divisão para outra. 

Depois de conhecer esta estratégia, comecei a praticá-la. A verdade é que se transformou num hábito de tal forma entranhado, que chega a ser estranho... Não sei como, mas arrumo automaticamente, quase sem me aperceber. Por vezes ouço o meu marido "Já arrumaste aquele copo? É que eu ainda o ia utilizar.". Quando dou por mim, já o coloquei na máquina de lavar louça e nem me lembro de o ter feito. Ah! Depois, pensando bem... "Sim, arrumei." Sem comentários... 

10) Antes de comprares, verifica se é mesmo necessário ou se te traz alegria  - aqui é um pouco o oposto do ponto anterior. Em vez de comprares por hábito, mesmo que seja uma excelente promoção (aproveita, só mesmo se utilizares), avalia o objecto antes de o trazeres. Precisas mesmo disso? Adoras realmente? Pensa duas vezes, porque será algo que irá ocupar mais espaço lá em casa. (Isto vale também para assinaturas de revistas). Ah! E quanto mais gastares em coisas, menos terás para experiências positivas como viagens, jantares, etc. 

Outra coisa que deves de ter em mente, é que um objecto bonito, fica em destaque se não estiver rodeado rodeado de mil e uma coisas. Se entupires a casa com bibelôs, aquele objecto que tanto adoras, que provavelmente trouxeste de uma viagem especial com o teu marido... será só mais um. Fica mais difícil, para aquele objecto, evocar emoções positivas em ti.

Um objecto decorativo, como uma jarra, parece muito mais bonito se estiver em destaque.



11) Impõe limites à quantidade de objectos  - não me refiro a um «número mágico», isso varia de pessoa para pessoa. Claro que podes definir para ti que só terás x peças de roupa, mas pessoalmente, prefiro limitar de outra forma.

Quando organizei os objectos em áreas menores, arrumei de forma a que com um olhar rápido consiga perceber imediatamente tudo o que está em dada área. Não há objectos em monte ou empilhados (excepto em coisas iguais, como os pratos da cozinha). Assim, o meu limite são essas áreas. Não comprarei mais maquilhagens, do que as que cabem no seu cesto. Não irei ter mais decorações de natal, do que as que cabem na sua caixa, etc. Quanto muito poderei comprar para substituir algo velho ou que ocupe uma área que tem realmente pouca coisa.

Por vezes, é certo que tenho de reajustar alguns limites. Na despensa, felizmente reduzi a área dedicada aos doces, enquanto que aumentei a área para produtos saudáveis (chia, quinoa, etc.). Mas nesse caso, houve uma boa justificação. E para esticar um limite, encolhi outro.

12) Opta por artigos práticos e versáteis  - isto também vem na linha de fazer compras de forma consciente. Tentar comprar roupa, móveis, electrodomésticos, fáceis de manter e limpar. E, de preferência, que desempenhem mais do que uma função. Por exemplo, se necessitas de uma secadora de roupa, porque não compras uma máquina que lave e simultaneamente seque? Assim, terás só 1 electrodoméstico em vez de dois. 

13) Faz destralhes periódicos  - depois de destralhar, temos de fazer uma manutenção, para não perdermos o controle da situação. Há a desarrumação diária, decorrente das actividades em que nos envolvemos, mas há também coisas que se vão acumulando com o tempo (por ex. caixas de medicamentos, novos manuais escolares, prendas que recebemos, etc.). 

Eu costumo destralhar com a seguinte frequência (claro que no teu caso, deves destralhar como for mais prático para ti):
- destralhe diário - uns 15 minutos antes de jantar percorro toda a casa. Arrumo o que está fora do sítio e deito fora o que é tralha. Antes de deitar, basta arrumar os objectos das actividades em que nos envolvemos ao serão;
- destralhes semanais - no meu caso, sempre que faço compras, aproveito para retirar o que está a mais no frigorífico;
- destralhes mensais - em cada mês, aproveito para destralhar uma área específica: cestas com medicamentos, arca congeladora, etc.;
- destralhes bi-anuais, quando muda das estações quentes para as frias e vice-versa - em vez de ter tudo misturado, passei a ter mais acessível no roupeiro, a roupa da estação em questão. Assim, quando muda a estação, é uma desculpa para verificar a roupa que tenho e se necessito de desfazer-me de alguma coisa;
- destralhes anuais, durante a «limpeza geral de Verão» - sim, eu faço as limpezas maiores no Verão e não na Primavera. Gostos!... Mas é nessa ocasião que aproveito para verificar o interior de todos os armários e retirar o que já não faz sentido;
- destralhes ocasionais - estes são feitos quando sinto que tenho de o fazer, devido a alguma alteração no estilo de vida (por exemplo, quando reduzi o espaço para doces na despensa) ou simplesmente por que me apetece.

««»»

Este é o primeiro passo para manter uma casa limpa e arrumada diariamente. É talvez o mais difícil e demorado, mas vale muito a pena. Até porque depois do «grande destralhe», os destralhes seguintes são quase mínimos (pelo menos no meu caso) e a manutenção fica radicalmente mais fácil.

Se tudo isto te parecer complicado, lembra-te que estás a criar boas energias para a tua casa. Como será bom chegares ao fim do dia, e teres tempo para te sentares no teu recanto favorito a ler um bom livro. De preferência com imagens bonitas ao teu redor, num espaço que convida ao relaxamento. 


Fotos:1.ª karlssonuddare; 2.ª Wook; 3.ª Pexels;   4.ª Skeppsholmen; 5.ª Esny; 6.ª e 8.ª Interior Design and Decoration7.ª El Mueble; 9.ª svenskfast.
.............................................................
"A Felicidade é o Caminho" também está aqui:

5 comentários:

  1. Eu cá ando no meu caminho, já consegui dar a volta a muitas zonas. Mas ainda este fim de semana, que tinha posto ideia não "arrumar" porque queria sair e apanhar sol, divertir-me na rua... dou por mim hoje a olhar e a pensar... rsrsrsrsr já não consigo organizar tudo isto nos 15 minutos diários... mesmo com a ajuda dos pequenos..
    Nem sei o que aconteceu de "diferente" para a sala voltar a estar com "tralha em cima da mesa"
    Enfim... logo.. já sei como é... :)))

    ResponderEliminar
  2. Adorei este post. Também ando a destralhar há alguns meses e encontrei aqui dicas muito boas. E acabei de decidir que já não quero um tapete para a sala. A minha filha mais nova tem eczema atópico e estava a pensar comprar outro tapete, de pelo mais curto porque o chão da sala é de mosaico mas, na verdade, acho que não preciso dele.
    Vou seguir os restante posts com toda a atenção. :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Bem haja por todas estas dicas!
    Confesso, por vezes, não é fácil... 😊
    Mas estas dicas vão ajudar, sem dúvida!
    Beijitos!

    ResponderEliminar
  4. Fantástico Mafalda :)
    Cada vez mais, gosto deste tema, já li o primeiro livro da Maria Kondo (há 2 anos) e foi quando fiz um grande destralhe lá em casa e desde aí tem sido um ciclo vicioso :) Tem corrido muito bem :) Na altura também segui os vários post que deixas-te cá, que me ajudou muito também :) Ainda tenho algumas coisas que quero mudar, mas sinto que estou no bom caminho :) Tive que mudar muitos hábitos para a arrumação continuar e ganhar outros ;) Neste momento ando a ler o Alegria, estou a gostar, reforça algumas ideias e relembra outras :) Cada vez mais tenho a minha casa arrumada e prática = ALEGRIA :D :D
    Obrigada pelas dicas :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Olá Mafalda
    Por já ter adoptado muito do que está aqui descrito por ti estou aqui de perna esticada a ler o teu magnífico post .Ah e já fiz um bolo para o dia da mãe e fiz panquecas para o lanche da tarde .
    Bom fim de semana e adoro estes posts
    Lulu

    ResponderEliminar

Related Posts with Thumbnails