terça-feira, 30 de agosto de 2016

Liberta-te de Pensamentos Tóxicos ou a Dieta Espiritual da Rute Caldeira

Peguei neste livro e folheei-o. O título chamou a minha atenção. Mas a minha mente (terrivelmente) céptica, estava a deixar-me indecisa, pois a par de alguns estudos científicos, falava de chacras, fluxos de energia e afins. Tudo isso me soava a teorias não comprovadas pela ciência.

Mas aquele título chamava por mim. Vieram-me também à cabeça os benefícios, que acabaram por ser comprovados, de actividades como a meditação e o yoga. E acabei por trazer comigo o "Liberta-te de Pensamentos Tóxicos" da Rute Caldeira.

A autora relata-nos a sua história de vida, os seus altos e baixos, as suas tragédias pessoais. Fala-nos também de esperança, de como buscou soluções para os seus problemas, como começou a ler sem parar e como acabou num retiro espiritual na Índia, que mudou a sua vida para sempre.

Decorrente das suas aprendizagens (aprofundadas com uma série de formações), a Rute propõe-nos uma dieta espiritual para nos libertarmos dos pensamentos tóxicos (que tanto assolam a nossa mente hoje em dia).

O que aprecio na Rute, é o facto de sempre tentar explicar uma série de situações à luz da ciência. Explica-nos por exemplo como a meditação pode ajudar o nosso corpo a produzir substâncias benéficas como a serotonina, dopaminas e melatonina. De que forma o stress afecta o nosso organismo, explicando por exemplo um dos processos que leva à perda de memória. Como a meditação com uma intenção definida de um grupo de 7000 pessoas teve efeitos na redução de 16% das taxas de criminalidade (isto soou-me estranho, mas este estudo foi repetido noutros locais, com resultados ainda melhores...). A par disto, dá-nos a conhecer uma série de histórias inspiradoras, que nos levam a acreditar no poder da mudança - quando estamos predispostos para tal.

Antes de falar da dieta espiritual propriamente dita, a Rute explica-nos como funciona o nosso corpo em termos energéticos (os tais «chacras», os seus bloqueios e como ultrapassá-los, a aura, os fluxos de energia... e o que a ciência diz sobre isto tudo).

Propõe também, que façamos um check-up à situação actual da nossa vida.

Após isto, entramos então nos passos da dieta espiritual, sendo que cada um corresponde a um capítulo:
1. Correcção - Tem a ver com corrigir o modo de pensar, os hábitos e os comportamentos.
2. Intenção - Refere-se à capacidade de nos focarmos intencionalmente num determinado pensamento para nos conduzir a dado objectivo.
3. Atenção - Fala da importância de ter atenção à forma como pensamos e como nos expressamos, para  a realidade que queremos trazer à nossa vida.
4. Não reacção - Explica como gerir as emoções (as nossas e as dos outros), recorrendo à Inteligência Emocional, de forma a responder de forma compassiva - mesmo nas situações mais tensas.
5. Introspecção - Permite-nos focar em nós e não no exterior, de modo a observar com algum distanciamento a forma como gerimos o nosso dia, as nossas emoções e as nossas reacções.
6. Apreciação - Tem a ver com estar atento às mensagens que nos são trazidas através de histórias que ouvimos, de pessoas que se cruzam connosco, de coisas que nos vão acontecendo. (Esta foi talvez uma das partes do livro que ainda me mantém céptica, a de aceitar que nada acontece por acaso. Mas quem sabe...).
7. Manifestação - Por último fala-se da importância da acção para alcançar resultados, para adquirir hábitos e trazer a realidade pretendida para a nossa vida - pois embora a forma de pensar seja importante nada se inicia sem acção. (Apreciei bastante este capítulo, pois o que me deixa até meio indignada com algumas teorias que andam por aí, é levar as pessoas a acreditar que se pensarem positivo alcançarão tudo o que desejam, sem qualquer esforço. Se não acontece, é porque não acreditaram o suficiente. A vida não funciona assim. Tal como está explícito neste capítulo, se pretendemos melhorar a nossa vida, alterar os nossos hábitos, alcançar os nossos sonhos... temos de AGIR). Fala também de como largar as preocupações, os pensamentos acelerados, o medo ou de como nos libertarmos das influências negativas dos outros.

Todos estes passos têm exercícios práticos (especialmente meditações), para conseguires cumprir cada um dos mesmos.

««»»

Não esperava sentir o que senti ao ler este livro. Continuo a achar imprescindível as provas cientificas. Mas também já não descarto algumas ideias das «sabedorias milenares». Parece que o meu «eu» espiritual despertou de alguma forma. E agora o que sinto é curiosidade, vontade de saber mais. E apesar do meu espírito céptico não me ter abandonado, estou a redescobrir a Bíblia, a desvendar o Dhammapada ou Caminho do Dharma de Buda (espreita a sua versão em pdf) e ontem comecei a ler "O Monge Urbano" de Pedram Shojai (com uma série de sugestões para enfrentar os desafios do mundo moderno). 

O livro da Rute fez-me mais feliz e sinto que o vou reler, praticar os seus exercícios e mudar para melhor. Sobretudo, ficou-me uma lição: a de não desistir de experimentar algo, só por causa dos meus preconceitos. Seria uma pena desperdiçar aprendizagens, só porque não quis desafiar a minha visão do mundo.

Por último, vou transcrever uma citação de Richard Davidson, que a Rute deixou neste livro:

"A maioria das pessoas concorda que o exercício físico é bom para a saúde.
Com os exercícios mentais é igual.
Se levássemos o treino da mente tão a sério quanto o exercício físico,
poderíamos treinar o nosso cérebro para transformar
a nossa FELICIDADE."
Resume muito bem o que é tratado neste livro.

Foto: Wook
.............................................................
"A Felicidade é o Caminho" também está aqui:

4 comentários:

  1. Olá Mafalda! Muito obrigada por esta sugestão de livro. Gostei bastante do conteúdo do livro só pelo que aqui relatas e fiquei com imensa vontade de o ler. Obrigada. Beijinhos 😘

    ResponderEliminar
  2. Como sempre as tuas sugestoes literarias sao magnificas! Mais uma lembranca que tenho mesmo de voltar a meditar diariamente.

    ResponderEliminar
  3. Olá!
    Fiquei bastante curiosa.
    Obrigada pela sugestão.
    Eu dantes também era muito céptica. Com alguns contratempos na minha Vida, hoje já não sou tanto. Sou Bioquímica e como tal sempre gostei de tudo explicado à Luz da Ciência, mas hoje em dia a minha mente está muito mais aberta, por exemplo, à Religião. É isso deixa-me Feliz, que é o mais importante! :)
    Bjos

    ResponderEliminar
  4. Estás no bom caminho Mafalda, não imaginas o que o teu "eu espiritual" tem para te mostrar :D beijinhos

    ResponderEliminar

Related Posts with Thumbnails