quinta-feira, 11 de setembro de 2014

A meditação Mindfulness



"Ao meditar você torna-se mais feliz,
concentra-se mais eficientemente 
e pode alterar o seu cérebro de forma a apoiar tudo isso."
Dr. Richard Davidson,
médico e investigador 



Ultimamente ouvimos falar com alguma frequência na meditação mindfulness. Só na semana passada encontrei 3 revistas com artigos sobre o tema (a Máxima, a Elle e a Visão). O interesse pela meditação vai muito além do seu lado espiritual ou religioso. Cada vez mais as pessoas a procuram, como forma de promover o seu bem-estar (espreita os benefícios da meditação - comprovados cientificamente - neste post).

No meu caso pessoal, interessei-me pela meditação pelo facto desta promover a saúde e felicidade e atenuar os sintomas de stress, tão presentes no meu dia-a-dia.

As exigências da sociedade ocidental
É certo que vivemos com mais dinheiro que há uns séculos atrás. Contudo, a sociedade actual exige muito de nós e nem por isso estamos muito mais felizes.

As crescentes solicitações fazem com que o nosso cérebro tenha de conviver cada vez mais com o multitasking. E isso não significa necessariamente que sejamos mais produtivos, pois este favorece a desconcentração, aumenta as probabilidades de erro e é uma fonte significativa de stress. 

Uma mente que rumina
A par disto, ainda temos um cérebro que, frequentemente, adora divagar em preocupações sobre o passado e antecipar problemas futuros. Esta ruminação constante cria ansiedade, agitação, stress e desequilíbrios emocionais.

Como refere o psiquiatra espanhol Vicente Simón "(...) esta atitude é óptima para a sobrevivência da espécie, mas não é a fórmula adequada para a felicidade".

A meditação mindfulness pode ajudar
O mindfulness é dos principais tipos de práticas meditativas, que em português costuma ser traduzido por «atenção plena». A verdade é que esta prática pode comprovadamente ajudar-nos, quer reduzindo o stress, quer contribuindo para a nossa felicidade.

De acordo com a definição de Jon Kabat-Zinn, médico americano, o mindfulness é um processo que consiste em "Prestar atenção de uma forma particular, intencionalmente, no momento presente e sem fazer juízos de valor".

Com este tipo de meditação treinamos assim o nosso cérebro a concentrar-se numa só actividade que realizamos no momento presente, a criar um certo distanciamento entre os estímulos que recebemos e as nossas reacções (pois tentamos observar, sem emitir julgamentos). Com o tempo aumentamos a nossa capacidade de concentração e começamos a deter um maior controle sobre as nossas emoções. No fundo desenvolvemos a nossa inteligência emocional. Por outro lado, diversos estudos demonstram que somos mais felizes quando «vivemos» no momento presente, pelo que esta prática ajuda a aumentar os nossos níveis de felicidade.

Como a neuroplasticidade do cérebro, pode jogar a nosso favor
Este é um aspecto que me fascina. A verdade é que aquilo que pensamos ou fazemos com frequência, altera a estrutura e função do nosso cérebro. É por isso que, com a prática da meditação, conseguimos passar a controlar de modo mais automático a forma como enfrentamos os problemas do dia-a-dia, aumentar a capacidade de concentração e os nossos níveis de felicidade.

Num estudo do Dr. Richard Davidson, da Universidade de Wisconsin, com trabalhadores de escritório, aqueles que tinham praticado regularmente a meditação mindfulness mostravam alterações no seu cérebro: observou-se maior actividade cerebral no lado esquerdo do córtex, o que está associado às emoções de felicidade e entusiasmo.

Claro que para tudo isto surtir efeito, é necessário praticar, de preferência numa base diária e ao longo do tempo (não podemos esperar efeitos a longo prazo, se só praticamos meditação esporadicamente). É algo que quero melhorar, porque não pratico tanto quanto gostaria.

Como meditar - um vídeo com uma meditação mindfulness guiada
Escrevi num post antigo sobre como podes meditar. De qualquer modo, encontrei este vídeo no youtube, do Centro BudaDharma - Sociedade Portuguesa de Meditação, com uma meditação mindfulness guiada. Pessoalmente, adoro praticar meditação guiada, relaxa-me imenso e sinto que fico mais concentrada. Porque não experimentas?

Eis o vídeo:


Foto: Elf Sternberg

3 comentários:

  1. "Uma mente que rumina".
    E tanto que eu sofro com essa atitude. A dificuldade de me separar das mágoas do passado e de sofrer por antecipação.

    Bons conselhos que nos vai deixando....obrigada.

    ResponderEliminar
  2. Óptimos conselhos para seguir neste mundo tão atarefado! Obrigado!
    Beijinhos

    ResponderEliminar

Related Posts with Thumbnails