terça-feira, 24 de maio de 2011

Como aumentar a auto-estima do seu filho

Ter uma auto-estima elevada é meio caminho andado para uma vida feliz e bem-sucedida. Enquanto pais, podemos contribuir para aumentar a auto-estima dos nossos filhos. Deixo-vos 35 sugestões para o fazerem:

1 – Ainda durante a gravidez, desfrute de cada momento desse estádio – Existem estudos que indicam que a forma como a gravidez é vivida, poderá influenciar a auto-estima da criança. A felicidade com que esta fase é vivida, é um primeiro passo para que o bebé se sinta amado e desejado pela mãe, desde os primeiros dias de vida.

2 – Aprecie cada gracinha do seu filho – Demonstrar o seu contentamento e carinho pelas gracinhas do seu filho, irá passar-lhe a ideia de que o aprecia.

3 – Não utilize expressões menos bonitas dirigidas ao seu filho – As primeiras mensagens são fundamentais na construção da auto-estima. Jamais diga ao seu bebé frases como “És feio”, “És mau” ou “Já não gosto de ti”. Critique antes o comportamento.

4 - Demonstre o seu amor – Isto significa não só tratar a criança carinhosamente, mas verbalizar o quanto gosta dela. Isto fará com que a criança se sinta valiosa e amada.

5 – Substitua frases negativas por frases positivas – Algumas apreciações que fazemos têm um impacto muito negativo e acabam por inibir a auto-estima dos nossos filhos. Por exemplo, ao invés de dizer “És cá um desarrumado” (a criança fica a pensar que não sabe arrumar), substitua por “Sei que és capaz, fizeste-o tão bem da última vez” (a criança fica a pensar que é capaz de arrumar e tem mais probabilidade de o fazer).

6 – Elogie o seu filho de forma credível – Isto significa que deve aproveitar todas as oportunidades em que o seu filho faça algo bem feito, para o elogiar. No entanto, não deve cair no exagero de elogiar tudo o que ele faz (se algo não está muito bem feito, é preferível dizer “Sei que consegues fazer melhor” do que dizer “Uau! Está tão bem feito”). Isso não o faria perceber o que realmente está a fazer bem e poderia prejudicar o relacionamento com as outras crianças, por pensar ser o melhor do mundo.

7 – Mantenha o equilíbrio entre o seu apoio e a liberdade da criança fazer tarefas sozinhas – É importante apoiar o seu filho, mas não deve fazer tudo por ele, de modo a estimular a sua maturidade. Por exemplo, quando este consegue fazer um puzzle sozinho, pode incentivá-lo dizendo “Boa, conseguiste sozinho!”. Imagine agora que tinha feito tudo por ele, a criança não ia nem sentir metade da satisfação com o seu triunfo.

8 – Ajude o seu filho a estabelecer metas, razoáveis e apropriadas para a idade – As pessoas com objectivos definidos são normalmente mais bem-sucedidas, por isso é importante que estabeleça metas para/com o seu filho, mas que saiba à partida serem possíveis de alcançar. Pode ser o aprender a vestir-se sozinho (em crianças mais pequenas), ou ter uma determinada nota numa disciplina (em crianças maiores). À medida que a criança se aproxima da meta, motive-a elogiando os seus sucessos ao longo do percurso.

9 – Respeite os sonhos da criança – Se o seu filho pretende seguir determinada profissão, e mesmo que seja muito cedo para isso, respeite os seus sonhos. Sorria-lhe com sinceridade e propicie-lhe experiências em diversas áreas, mesmo que você não as aprecie (idas a museus, ir á pesca, tocar um instrumento musical, etc.). Mais cedo ou mais tarde, os talentos do seu filho irão evidenciar-se e este pode até mudar de opinião. Mas no futuro o que o fará feliz é seguir os seus próprios sonhos, que poderão coincidir ou não com o que desejava para ele.

10 – Não permita que as críticas negativas dos outros influenciem negativamente os seus filhos – Ensine o seu filho que as críticas negativas dos outros não são impedimento para alcançar os seus sonhos. O que importa é a dedicação que demonstra e os fracassos fazem parte do caminho para o sucesso.

11 – Demonstre empatia – Sorria quando o seu filho se sente feliz, demonstre que se preocupa quando este se magoa, indique que compreende o que ele está a sentir, dizendo por exemplo “Sim, ficaste muito ofendido com o que o teu colega te disse”. O facto de evidenciar que compreende as emoções do seu filho ajudará a acalmá-lo em situações de stress e a falar consigo sobre o assunto, e ainda aumentará a sua inteligência social na interacção com os outros (compreendendo melhor os sentimentos dos que o rodeiam).

12 – Ajude-o a criar “ferramentas” para resolução de problemas - Seja um modelo para o seu filho na resolução de problemas e em termos de coragem, no que respeita às suas próprias dificuldades. Discuta com o seu filho os problemas deste, ou situações passíveis de acontecer, e reflictam sobre as soluções.

13 – Seja optimista – Seja um exemplo para o seu filho, tente analisar as situações de uma perspectiva positiva e veja os problemas como uma fonte de aprendizagem. Isto vai ensiná-lo a pensar do mesmo modo e a ser uma criança menos ansiosa.

14 – Conte histórias inspiradoras de pessoas vencedoras graças à sua auto-confiança – Tanto pode relatar histórias de pessoas verídicas, como pode aproveitar contos de fadas para o fazer.

15 – Critique o comportamento, não o seu filho – Quando o seu filho tem um comportamento menos bom deve sempre chamá-lo à atenção para o facto. No entanto, substitua frases como “És mesmo mau, já viste o que fizeste?”, por “O que fizeste foi mau, uma criança boa como tu não deve fazer isso”.

16 – Discipline na medida certa – Disciplina em excesso costuma resultar em medo, diminuição da auto-estima e num mau relacionamento com os pais. Já a pouca disciplina poderá resultar numa criança agressiva, muito sensível às frustrações da vida e com dificuldades de interacção social (por pensar que tem direito a tudo o que quer). O segredo está mesmo no equilíbrio.

17 – Nunca viole as regras – A existência de regras permitem que a criança, mesmo que as conteste, sinta o seu lar como um lugar seguro e não volátil. Ah, e não faça promessas que não pode cumprir, do género “Nunca mais te deixo comer doces” – é preferível dizer “Porque te comportaste assim, não podes comer o pudim que tinha feito para o jantar” (esta última é mais fácil de cumprir).

18 – Demonstre orgulho pelo seu filho – Diga ao seu filho o quão orgulhoso se sente por ser o pai/mãe dele e o quanto ele o faz feliz. Fale daquilo que o orgulha à frente de pessoas que são importantes para o seu filho: avós, tios, professores, amigos, etc.

19 – Nunca compare o seu filho com outras crianças – Isto é terrível para a auto-estima: a criança poderá pensar que gosta mais das outras crianças do que dela. O importante é falar sempre do comportamento, não da criança. Demonstre que gosta dela como é. E se alguém fizer uma comparação dessas à frente do seu filho, diga-lhe o quanto ele é especial e as coisas boas que tem.

20 – Aceite o seu filho como ele é – Mesmo que o seu filho não seja o mais inteligente, o mais bonito, o melhor desportista… demonstre todo o seu amor por ele. As críticas constantes só diminuirão a sua auto-estima e é raro alguém conseguir ser o melhor em todas as áreas.

21 – Ensine o seu filho a aceitar os fracassos – O insucesso faz parte da nossa caminhada. Fazer o seu filho aceitar as suas falhas passa por dar-lhe apoio e fazê-lo pensar sobre elas e no que pode fazer para melhorar.

22 – Enfatize os pontos fortes e evite críticas aos pontos fracos – Encoraje o seu filho a desenvolver os seus pontos fortes, em vez de estar sempre a focar naquilo que ele faz de errado. Isto irá motivá-lo a desenvolver as suas qualidades.

23 – Dê a conhecer aos outros os pontos fortes do seu filho – Quando estiver com alguém que vai lidar com o seu filho (um professor, por exemplo), dê-lhe a conhecer os seus pontos fortes. Isto pode influenciar a atitude dos outros para com o seu filho e estimular a criança a evidenciar justamente as suas melhores características.

24 – Encoraje o seu filho a brincar com crianças da mesma idade – Em fases iniciais não o deixe só com eles, mas vá encorajando-o a ficar num grupo sem a sua presença. Tente não interferir nas brincadeiras (excepto se o companheiro de brincadeiras for excessivamente agressivo), pois esta é uma excelente oportunidade para o seu filho desenvolver a sua inteligência social. Em crianças maiores, pode ser importante para ultrapassar a timidez incentivá-lo a participar em competições, a fazer parte de grupos (de futebol, de música, de escuteiros, etc.).

25 – Ajude o seu filho a ultrapassar o medo – Se o seu filho sentir medo de algo ou de alguma actividade, diga-lhe que é normal e que outros também passam pelo mesmo. Procure conhecer as causas do medo e procurem soluções conjuntas, assegurando-lhe que com o tempo esse medo desaparecerá.

26 – Ensine-o a respeitar os outros - Uma criança que saiba tratar bem os outros e que saiba sentir empatia pelos mesmos, será mais facilmente aceite e igualmente respeitada.

27 – Seja um exemplo de educação – Se disser palavrões, não demonstrar cortesia e bons modos para com os outros, ou se for demasiado agressivo, o seu filho seguirá o seu exemplo (por mais que lhe diga para fazer o contrário). Isso poderá fazer com que as outras crianças o evitem.

28 – Combata a imagem da perfeição – Principalmente se tiver uma filha, é importante combater a imagem de que uma mulher tem de ser perfeita, bonita e magra. Não critique a sua filha, a si mesma ou aos outros. Quantas não são as pessoas que ao folhear uma revista não dizem “Credo! Esta está tão gorda!”, “Aquela está cheia de celulite”, “Não simpatizo nada com esta, tem cá uma cara…”? São justamente estas críticas que a sua filha aprenderá a fazer aos outros e a ela mesma.

29 – Ensine o seu filho a valorizar a sua imagem – O ponto anterior não indica que o seu filho deverá descurar da sua imagem. Para este se sentir melhor, pode fazer um novo corte de cabelo, comprar vestuário que fique bem no seu corpo, etc.

30 – Incentive-o a ter uma vida saudável – Estimule o seu filho a fazer exercício e, especialmente em casa, promova uma alimentação saudável. Para além dos benefícios para a saúde, o seu filho terá e sentir-se-á melhor com a sua imagem.

31 – Dedique um momento do seu dia exclusivamente ao seu filho – Mesmo que trabalhe muitas horas, quando estiver com o seu filho, dedique parte do seu tempo só para ele, dando-lhe toda a atenção. Brinque com ele, leia-lhe uma história, ouça como foi o seu dia… Demonstre-lhe o quão importante é para si esse momento.

32 – Passe tempo de qualidade com o seu filho – Programe todas as semanas actividades conjuntas em família (pode ser um piquenique, uma ida a um museu, jogar ténis, etc.). O importante é que o seu filho se sinta desejado e saiba que essa actividade foi dedicada exclusivamente à família. Pode fazer isto especialmente ao fim-de-semana. Se tiver oportunidade, contrate alguém para lhe fazer a limpeza da casa e engomar a roupa, para que não tenha todo o tempo livre preenchido por tarefas domésticas e não consiga estar com o seu filho.

33 – Ouça verdadeiramente o que o seu filho tem para lhe dizer – Isto refere-se inclusivamente às trivialidades do dia-a-dia. Mantenha um diálogo, não se limite a acenar com a cabeça. Se tiver o hábito de ouvir as pequenas coisas, o seu filho certamente o escolherá para falar sobre problemas maiores.

34 – Certifique-se que o seu filho saiba de que pode contar sempre consigo – Diga ao seu filho que mesmo que todos o critiquem ou abandonem, e independentemente do problema que possa ter, poderá sempre contar consigo. Faça-o sentir isso, cumprindo igualmente o que foi dito no ponto anterior.

35 - Seja um exemplo de auto-confiança - Pais que não têm auto-estima terão dificuldades em criar um filho com uma elevada auto-estima. Se precisar de uma ajudinha, dê uma olhadela no post que escrevi sobre “Como aumentar a sua auto-estima”.

Foto: Google images - Autor não identificado

23 comentários:

  1. Olá minha querida!

    Eu pratico todos estes itens, mas não sou uma super mãe, também somos falíveis e nem sempre sai tudo na perfeição, no entanto, esforço-me para que se sintam amados e com a certeza de que a mãe e o pai estarão sempre aqui para eles.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. existem verdades incontestáveis, cresci sendo elogiada e incentivada e ví minhas duas primas serem comparadas e criticadas o tempo todo;
    o resultado ? hj eu sou feliz, bem resolvida e as duas são tristes, complicadas, confusas e sem rumo na vida.
    E muitas dessas 35 dicas servem para a gente a vida toda, ate depois de já adultos

    ResponderEliminar
  3. Adoro vir ao teu cantinho!
    Obrigada pela partilha minha querida!

    beijinhos & miminhos

    Anasantos79
    mamã do tanguinhas

    ResponderEliminar
  4. Ô Mafalda minha querida... como fui negligente com meu 1º filho... agora sou uma mãezona mto dedicada à SO, mas ainda peco mto... é bom ler seus posts sempre!
    Querida escreve pra mim, tô com sua lembrancinhas de niver do blog e quero lhe mandar, mas preciso do seu endereço.
    bjão.

    ResponderEliminar
  5. Mafalda,

    Adorei as dicas...muito úteis. Ainda não sou mãe, mas tenho clareza que essa atitude faz toda a diferença na formação de pessoas felizes!

    Bjos

    Micheli
    http://repensandoacoes.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  6. Eu sempre tentei ao máximo fazer isso pelo meu filho apesar de nem sempre resultar.
    Hoje com 16 anos torna-se mais díficil porque já não aceita tão bem tudo o que lhe digo. Mas mesmo assim não desisto porque sei que alguma coisa entra na cabeça dele e um dia mais tarde ele vai dar valor.

    Apesar de ele já não querer tanta demonstração de afecto por parte da mãe de vez em quando lá pede uns miminhos. Idade complicada.

    Gostei muito destas 35 dicas porque até para nós adultos são muito úteis.

    Boa semana!
    Beijinhos da Formiguinha

    ResponderEliminar
  7. Um excelente artigo este que partilhas Mafalda, obrigado,

    beijinhos!!

    ResponderEliminar
  8. E' uma das minhas grandes preocupacoes, sera' que vou ser uma boa mae? este artigo li-o com muita atencao e vou rete-lo para o futuro, porque sem duvida que criancas sem auto-estima serao adultos frustrados
    beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Oi, Mafalda querida
    Verdadeiro Tratado do Amor onde todas as cláusulas, se seguidas, são garantia de auto-esima e felicidade de qualquer criança. Você é genial, minha amiga!
    Depois de um fim de semana demorado já estou aqui de volta com muita saudade de todos os meus amigos dessa blogosfera tão maravilhosa. Beijos e uma linda semana!

    ResponderEliminar
  10. Ótimas orientações, concordo com tudo e procuro colocar em prática mesmo sendo em alguns momentos dificil. Bjs Eliane

    ResponderEliminar
  11. Mafalda,
    Gosto sempre de passar aqui e ler os seus registros.
    Nunca como hoje a criança foi tão cobrada e ao mesmo tempo tão não acompanhada.Muitas pesquisas se contradizem entre si nessa temática,mas uma coisa é clara em todas, que precisamos como pais, demonstrar Amor e interesse pelos nossos filhos,mas percebendo que eles não devem e não precisam ser exatamente o que almejamos,pois cada um tem a sua personalidade própria..

    ResponderEliminar
  12. Oi Mafalda,
    já conversamos no meu blog numa postagem sobre smoothies.
    Agora, meu blog está concorrendo ao TOPBLOG 2011 na categoria sustentabilidade.
    Conto com o voto de todos.
    Para visitar o blog:
    http://caroldaemon.blogspot.com/

    Para votar, visite o link abaixo e confirme sua escolha:
    http://www.topblog.com.br/2011/index.php?pg=busca&c_b=19130455

    Um grande abraço,
    Carolina

    ResponderEliminar
  13. Mafalda,
    Tem selinhos pra você lá no AMADEIRADO, ná página "Selos & Cia".
    Beijokas!!!

    ResponderEliminar
  14. Mais um artigo 5* da Mafalda.
    Um grande Abraço

    ResponderEliminar
  15. Querida Mafalda, eu simplesmente AMEI essas dicas. Tenho uma bebezinha de 8 meses, então já podes imaginar como essas dicas são preciosas pra mim.
    Beijos
    ursulaferraricoach.wordpress.com

    ResponderEliminar
  16. Olá Mafalda!!!

    Eu acho lindo esta sua preocupação para ter maiores informações, de como educar sua filha da melhor maneira possível!!!Visando a qualidade de vida!!!
    PARABÉNS!!!

    Beijinhos ILUMINADOS!!
    Muita Luz!!!

    ResponderEliminar
  17. Oi Mafalda, acho que a minha mensagem anterior te agrediu. Não era a intenção.
    Notei tb que deixou de ser minha seguidora. Pena.
    Vamos terminar essa conversa por email?
    Gostaria de te ver de volta.
    Escreva quando quiser: caroldaemon@gmail.com
    Um grande abraço,
    Carol

    ResponderEliminar
  18. Carolina, não percebo como é que o teu comentário me poderia agredir, afinal só me pediste para votar no teu blog.

    Também não percebo porque dizes que deixei de ser tua seguidora. Quando der vou verificar a situação.

    Na realidade estou com problemas com o blogger. Aliás, estou a publicar este comentário no meu próprio blog, como anónima.

    Não te preocupes que está tudo bem.

    Beijos
    Mafalda S. (Autora do blog e sem conseguir assinar... ai, ai!)

    ResponderEliminar
  19. Adorei,procurarei ser mais flexivel e mimá-lo menos.

    ResponderEliminar
  20. Adorei,procurarei ser mais flexivel e mimá-lo menos.

    ResponderEliminar

Related Posts with Thumbnails