terça-feira, 28 de janeiro de 2014

6 razões para não te comparares com os outros


Imagina que chegas a casa e vais espreitar as novidades no facebook. Subitamente vês caras sorridentes com roupas giras, em jantares, viagens, rodeados de amigos ou com uma família linda... E pensas: “Bolas, não sou tão bonito(a)!”. “Mas onde é que vão ao dinheiro para tanta viagem?”. “Todos(as) eles(as) têm miúdas(tipos) giros(as) e eu aqui, sozinho(a)!”.
Existem alguns estudos que revelam que algumas pessoas ficam deprimidas após consultar este género de redes sociais. Mas o que as deprime não é a rede social em si, mas a comparação que fazem entre as suas próprias vidas e as dos outros. E quem fala em redes sociais fala no olhar para o vizinho que tem aquele carro de sonho, ou para a colega de trabalho que parece ter uma família extraordinária… o ser humano passa a vida nisto. O pior é que as comparações tendem a ser pela negativa. É por isso que te quero apresentar 6 razões para não te comparares com os outros:
1. As comparações tornam-nos mais infelizes – este é um hábito que diminui efectivamente a felicidade, principalmente se o repetires frequentemente. Isto porque afecta a tua auto-estima e rouba-te a alegria.
2. As comparações normalmente são injustas – a verdade é que costumamos comparar o nosso pior com o melhor dos outros. Mas para fazermos uma comparação justa deveríamos de conhecer todas as vertentes da situação. Aquela colega pode parecer ter uma vida bem mais espectacular que a tua, mas a verdade é que só conheces os aspectos positivos, provavelmente desconheces os seus problemas. E não há vidas ou pessoas perfeitas…
3. A única comparação justa é contigo mesmo(a) – a verdade é que, se olhares para trás, certamente vais aperceber-te que alcançaste uma série de objectivos ou que desenvolveste qualidades das quais te podes orgulhar (um curso que conseguiste tirar, a família que conseguiste construir, a sensibilidade que tens para ajudar os outros…). Esta sim, é uma comparação justa, porque na tua vida conheces todos os aspectos que envolvem dada situação e consegues deter o controle sobre muita coisa.
4. Não tens nada a ganhar em comparar-te – a verdade é que ao fazê-lo não acrescentas valor nenhum à tua vida. Pelo contrário, poderás sentir-te mais deprimido(a), infeliz, desmotivado(a), ressentido(a)… Poderás inclusive tornar-te numa pessoa amarga, que passa a vida a criticar os outros, o mundo ou a ti mesmo(a).
5. As comparações roubam-te tempo e energia preciosos – ao invés de ocupares o tempo de forma útil (com o teu próprio desenvolvimento pessoal, poe ex.), perdes tempo em algo que ainda por cima te fará infeliz! Reverte este quadro e investe a tua energia a melhorar vários aspectos da tua vida [por ex. a tua formação, o aspecto da tua casa, a gestão do teu dinheiro, o teu aspecto físico, a tua saúde… há sempre coisas que podes melhorar em ti mesmo(a)].
6. Corres o risco de transformar as comparações num hábito – se começares a comparar-te com os outros, lembra-te que há sempre mais e mais aspectos com os quais te podes comparar. Quando deres por ti, o teu cérebro já começa a comparar em «modo automático», porque o ensinaste a pensar assim. O que é um acto esporádico, se repetido frequentemente, pode transformar-se num hábito… neste caso, num péssimo hábito.
Em suma a «comparação com os outros» pode ser um entrave na tua vida. Mas nada está perdido! Liberta-te deste hábito, seguindo os passos descritos neste post. Pode ser difícil, mas vale a pena o esforço!

5 comentários:

  1. Eu penso exactamente assim. Em vez de perder tempo com comparações, o melhor é olhar em frente e concentrar-me em melhorar e em ser cada vez mais feliz!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Concordo com o exposto, mas acho muito difícil a prática.

    ResponderEliminar
  3. Mafalda, quando nos comparamos com as outras pessoas nossa vida passa a ser um fardo pesado demais. Como querer ser o que não somos? na verdade o que nem sabemos se realmente é real? a felicidade é uma construção real , que nos pertence na nossa mais íntima maneira de ser. Pois a felicidade para um nem sempre será plena para o outro.Quando a gente mantém o foco em nós mesmos , nossos objetivos se tornam claros e assim bem mais fácil de exito. É um exercício diário mas quando o executamos com afinco nossa vida se torna leve e consequentemente muito mais feliz. Bjs, saudades de passar por aqui.

    ResponderEliminar
  4. Este post parece que foi escrito para mim..... Luto todos os dias contra isso. Parece fácil, mas não é..

    ResponderEliminar

Related Posts with Thumbnails