quinta-feira, 29 de março de 2012

Elogie o seu filho!

Há poucos dias, numa fila do hipermercado, uma avó gritava para o neto: "Saíste-me cá um parvalhão!". A mãe do miúdo assistia inpávida e serena, como se nada fosse com ela. A criança colocou o chupa-chupa no sítio e escondeu-se atrás do carrinho.

As crianças por vezes portam-se mal, é certo. Mas não concordo que critiquem mais a criança, do que propriamente o seu comportamento. Também acho triste quando as críticas são sobretudo negativas. Então e quando a criança se porta bem? Será que não nos esquecemos de elogiar?

Este ano, no jardim-de-infância da Letícia foi feito o desafio aos pais, justamente para elogiarem os seus filhos. Todos recebemos uma folha com algumas dicas e saímos dali motivados para implementar esta ideia na prática (faço uma excepçãozita a uma mãe que se saiu com o seguinte comentário, à frente do filho e de todos os outros pais: "Vou elogiar exactamente o quê? Só se for as parvoíces que ele faz". Sem comentários...).

Quero partilhar uma adaptação do texto que as educadoras nos entregaram, com dicas para elogiarmos os nossos filhos:
- elogie o seu filho sempre que este tenha um bom comportamento;
- diga sempre a verdade ao seu filho, a mentira nunca é uma boa saída;
- seja um exemplo de bom comportamento para o seu filho;
- se tiver dificuldades em expressar-se por palavras, demonstre o seu elogio por meio de carinho e afecto;
- faça elogios centrados no que você quer enfocar de positivo no comportamento da criança, por exemplo: por ter arrumado os brinquedos, por tê-lo ajudado em alguma tarefa, por ter tirado uma boa nota na escola...;
- não elogie de forma abusiva e gratuita (se elogiar tudo e mais alguma coisa, deixa de ter o efeito positivo que deveria);
- o elogio deve basear-se em algo concreto, numa habilidade ou talento que a criança tenha;
- ao elogiar o seu filho, não o compare com outras crianças. Não se esqueça que ele é único.

E agora, sabe quais as vantagens do elogio merecido?
- Fomenta um desenvolvimento emocional positivo;
- Aumenta a auto-estima da criança;
- A criança tende a ter mais confiança em si mesma;
- Desenvolve a capacidade de iniciativa e criatividade;
- Fará o seu filho mais feliz!!!

Pronto para elogiar?

Foto: Richard

18 comentários:

  1. Prontissima!

    Concordo com tudo isso! Aliás se pensarmos bem, nós adultos que (supostamente) gerimos melhor os sentimentos não gostamos que nos falem assim, porque haveremos de falar assim com as crianças?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois... nós também não gostamos. Há outras formas de lidar com a situação.

      Eliminar
  2. Ora realmente... pobre do miudo!
    Cá em casa gosto sempre de a elogiar quando faz algo bem feito e noto sempre o seu orgulho. É muito gratificante.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  3. Sofri muito e sofro até hoje com as criticas da minha mãe e infelizmente até hoje ela faz isso, esses dias falando ao telefonem percebi que ela me fez várias criticas, as vezes até disfarçadas, tipo já arrumou uma faxineira por que você sabe que não consegue dar conta da casa, vai fazer o curso de culinária para aprender colocar alho na comida, e isso fica e a gente acaba acreditando na pessoa, afinal é a mãe, mas Deus trabalhado na minha mente para não acreditar por que isso é mentira, imagina se acredito acabo não cozinhando mais, nem arrumando a casa. Agora o que mais me impressionou é que ela não consegue fazer um elogio, no meu caso é reflexo da separação dos meus pais, como me pareço com meu pai ela descarrega tudo dele em min, não consegue separar. Hoje procuro elogiar muito os meus filhos, ter esse cuidado, pois sei por experiência própria o quanto isso nos faz mau. Achei muito próprio o texto. Bjs Eliane

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É difícil ter uma mãe assim. Provavelmente, até ela foi bastante criticada ao longo da vida. Pode ter sido educada assim, daí a sua reacção (mas estou só a especular).

      O importante é quebrares esse ciclo e seres uma mãe diferente. Por vezes basta uma pessoa ser diferente, para mudar o legado de gerações.

      Não te deixes abalar com as suas críticas. Aproxima-te de pessoas que puxem o teu ânimo para cima, aquelas que acreditam em ti.São essas que te levaram a seres e dares o melhor de ti!

      Beijinho

      Eliminar
  4. concordo plenamente, não gosto nada de ver pais a criticarem as crianças por tudo e por nada, nem de os comparar com os outros, porque os outros conseguem fazer e ele nao, porque os outros gostam e ele nao...enfim...por vezes esquecem se que cada um é como é e cada um é especial á sua maneira..mas infelizmente ha muitas pessoas assim so sabem criticar e isso so prejudica a criança..
    bjinho:)

    ResponderEliminar
  5. Olá Mafalda!

    Realmente é lamentável este tipo de palavreado com os filhos :(

    Os meus não se podem queixar, sou uma mãe que estou sempre a agarrá-los a dar beijinhos e a apertar as bochechas (mesmo com o mais velho) e o pai faz o mesmo. Não escondemos nada e somos o mais francos que podemos ser para as idades de cada um, conversamos bastante e elogios não faltam, mas quando portam-se mau ... conversamos sobre o que se passou e conforme o ocorrido há um castigo, normalmente corta-se o computador :)

    Não somos pais perfeitos, crescemos com eles, mas temos a certeza de que o amor constrói um jovem com carácter e torna uma família muito feliz :)

    Beijinho grande e continuação de uma semaninha muito feliz.
    Patricia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo com o sistema de educação que dás. Aliás, o meu é mais ou menos semelhante.

      Beijinho

      Eliminar
  6. É uma pena que muitos pais não consigam enxergar as qualidades de seus filhos...Na maioria das vezes, o mau comportamento das crianças, nada mais é do que uma forma de chamar a atenção dos pais, que estão sempre envolvidos com seus problemas e não têm tempo para se dedicar aos filhos. Depois, quando na adolescência, se tornam jovens drogados, alcoolizados, marginalizados, colocam a culpa na sociedade.
    Tenha um excelente dia, querida Mafalda!

    Beijos!♥

    ResponderEliminar
  7. Sempre pronta. Confesso que tenho receio de cair no exagero, elogiando sempre todas as coisinhas boas que eles façam, mas tento medir os elogios.
    Uma coisa que faço é quando por exemplo peço para o meu filho ajudar a por a mesa e se faz de desentendido, digo-lhe que ele faz as coisas bem e a mesa fica bonita (mesmo com os garfos trocados e pratos com 2 facas). Ás vezes resulta, outras não, mas tenho momentos em que quer fazer sozinho porque lhe disse que faço bem.
    Uma coisa que detesto pela exclusiva razão de a ter ouvido milhentas vezes, é o "fizeste bem porque te ensinei", "fizeste bem porque te ajudei, senão" e a pior "não fizeste mais que a tua obrigação".
    Para mim, não custa dar a palmadinha nas costas, mesmo quando fomos nós que ensinámos, ajudámos e até é da obrigação.
    Nany

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, é importante não cair no exagero, para não deixar de ter o efeito positivo que tem.

      Também não gosto das frases que referiste do género "fizeste bem porque te ensinei", pois dá a sensação que a pessoa ao invés de elogiar a criança, se está a auto-elogiar.

      Beijinho

      Eliminar
  8. Acho que o que comentas aqui funciona não só com os filhos mas com as pessoas que mais gostas. Só tem efeitos positivos. Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Concordo plenamente. Cá em casa sempre tive por regra o elogio (ficam tão contentes!) e a verdade. Se eles não poderem confiar em nós, vão confiar em quem?

    Quanto a essa mãe, estou sem palavras para a qualificar. Pobre criança

    Bjos

    ResponderEliminar
  10. Ora nem mais, concordo! Não sou mãe, mas quando for espero fazê-lo. Isto porque sou filha e estou sempre a dizer aos meus pais "e dares-me os parabéns e elogiares-me pelo que fiz, não?! Só falam quando as coisas não saem bem". Às vezes é preciso um incentivo e uma palavra =)

    http://viverentrelacos.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  11. Oi Mafalda,
    A arte de elogiar, sem dúvidas, é um incentivo e tanto, seja para com nossos filhos ou para com qualquer pessoa.
    Abraços.

    ResponderEliminar

Related Posts with Thumbnails