sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Como incutir regras nas crianças?

Creio que já me conhecem e estão a par da minha tentativa de melhorar enquanto mãe. Não o digo por dizer, pois todos os dias me esforço por melhorar: leio livros sobre o assunto, alterei o meu horário de trabalho, programo semanalmente uma actividade especial em família e tento aproveitar cada minutinho que passo com eles. Infelizmente (para mal dos meus pecados) os pais não nascem a saber tudo, e apesar de eu não ambicionar a perfeição, quero aprender e ser a melhor mãe que conseguir.

Com esse intuito, há dias estive numa palestra com o Prof. Doutor José Morgado do Instituto Superior de Psicologia Aplicada e autor do blog Atenta Inquietude (não deixem de visitar, a temática central é a educação e todo o conteúdo é muito interessante!). Só vos posso dizer que ficava a ouvir o Dr. Morgado por mais um bom par de horas: educativo, cativante e com imenso sentido de humor.

Eis algumas dicas que daí retirei e que convosco partilho, para incutir regras nos nossos filhos:

- “Os miúdos precisam de «nãos» como de ar para respirar”. Se se diz «não» este é para manter (nota minha: caso contrário, esperem só pelo resultado!).

- Quando se cede após ter dito «não», a criança irá sempre desafiar até conseguir aquilo que quer (nota minha: já ouviram falar nas famosas birras?). Contudo, se não cedermos, ao fim de algum tempo a criança apercebe-se que não resulta e acaba por desistir.

- O manter do «não» é útil para a criança aprender a lidar com a frustração.

- Os pais que querem que as crianças respeitem os professores, não os podem criticar à sua frente (nota minha: parece óbvio, mas acontece).

- O estabelecimento de rotinas é fundamental para a criança, uma vez que tem um cariz organizador (nota minha: ok, ao fim-de-semana podem deixar o filhote deitar-se mais tarde, mas não se lembrem de fazer isso dia sim, dia não).

- Como dizia Almada Negreiros “Educar é ajudar alguém a tomar conta de si próprio”. Por isso, quando se colocam questões como quando sair à noite, a resposta está na maturidade e não propriamente na idade (nota minha: Jesus! Conheço um tipo de quarenta anos que ainda não devia sair!).

- “Quando não há comunicação, não há educação”. (nota minha: acrescento aqui uma frase de Jay McGraw – “Se não conversar com os seus miúdos sobre as coisas menores, eles não conversarão consigo sobre as coisas maiores”).

- Os jovens têm de ter confiança nos pais, não podem duvidar que estes estão lá para eles nos bons e maus momentos.

- Para que os filhos não consumam substâncias menos próprias, é importante que os pais expliquem e mostrem os riscos (nota minha: é preferível que os miúdos recebam a informação dos pais, do que de outras fontes que podem até desvalorizar as consequências e incitar o consumo).

- Quando pensamos que os filhos andam com más companhias, não devemos hostilizar o grupo. Desse modo, estaremos a aproximá-los ainda mais.

- Devemos antes ter uma atitude pró-activa e criar oportunidades para os filhos se aproximarem de grupos mais positivos. Como? Por exemplo incentivando os miúdos a inscreverem-se num clube de futebol, nos escuteiros, num grupo de música, etc.

- Os pais deveriam ter mais literacia em termos de novas tecnologias. Se os filhos têm consciência de que os pais percebem do assunto, têm mais receio relativamente ao que fazem no computador.

- Os computadores devem ser proibidos no quarto, devem antes estar numa zona social. Deste modo evita-se que as crianças ao invés de dormir estejam em frente ao computador e previnem-se igualmente riscos desnecessários (nota minha: e infelizmente, hoje em dia os riscos são muitos, por isso nós, pais, temos obrigação de os prevenir!).

Um excelente fim-de-semana!

Foto: Joy Coffman

27 comentários:

  1. Adorei o texto! E adoro o professor José Morgado, sem dúvida um grande senhor!

    :)

    ResponderEliminar
  2. Sempre ouvi dizer que a educação (boa ou má) vem de berço e o problema hoje em dia, é que muitos pais delegam nos professores e em todas as outras pessoas, a educação dos filhos.
    Muito bom texto!
    Bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  3. Adorei o texto.

    Já coloco em prática algumas dicas como o dizer não e mantê-lo (por enquanto o Tiago não tem feito muitas birras) e a rotina durante a semana e o à vontade ao fim de semana.

    Quanto ao resto são ideias que já pensava em aplicar mesmo antes de ter filhos. Adorei mesmo este post, tal como muitos outros que escreves. Só não tenho tempo para comentar tantas vezes mas venho cá religiosamente :)

    Bjs grandes,
    Anabela

    ResponderEliminar
  4. Adorei as dicas... como mãe recente, espero estar à altura do que se avizinha no futuro do meu menino.
    Obrigada por partilhares.
    Bjinhos

    ResponderEliminar
  5. Excelente texto!
    Concordo com tudo isso e com o que Paula escreveu aqui nos comentários.
    Eu ando a ler o "Não te volto a dizer" do pediatra Paulo Oom, estou a gostar bastante e tem-me ajudado bastante.
    Estou na fase de estabelecer bem os limites (filhos com 5 e 2 anos) e do "esticar a corda" por parte deles (principalmente o pequeno) e tem sido uma grande ajuda.
    Acho que a má educação vem da falta de os pais se reeducarem a si próprios para conseguirem educar os filhos como deve de ser. E educar crianças ao mesmo tempo que a pessoa tem de se reeducar a si dá muito trabalho... muita gente não está para isso e lá está a tal história... delega para os professores.
    Os professores de hoje em dia não têm metade de autoridade de antigamente, porque se faz alguma coisa lá vem o pai do menino querer bater no professor... enfim... hoje em dia ou têm uma educação como deve de ser ou acham que são o centro do mundo e tornam uns arrogantes e mal educados como se tem visto ultimamente.

    ResponderEliminar
  6. Adorei o texto não poderia deixar de comentar. Adoro o teu Blog, cheio de dicas e ensinamentos. Ser Mãe e ensinar e educar não é fácil. Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Adorei.
    Enquanto mãe sinto que falho muito, mas alguém me disse uma vez: Estás a fazer o melhor que sabes, não há doutoramento para ser mãe.
    O mais importante é ter consciencia de querermos fazer melhor.
    Todos os dias aprendemos:)

    ResponderEliminar
  8. É tão dificil colocar essas coisas em prática. Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  9. Olá Mafalda,acho o máximo essa sua preocupação em relação com sua filha em educa-la e trazer melhor bem-estar para sua vida!! PARABÉNS!!!
    Que todas as mães e futuras mamães siga seu exemplo!!

    Lindo Fim de Semana!!
    Paz e Luz!!

    ResponderEliminar
  10. Deve ter sido uma palestra fantástica, o professor deu ideias muito boas (se bem que por vezes tenho dificuldades de as pôr em prática).
    Conhecendo-te como conheço, não me admira de teres estado lá. Realmente estás sempre em busca de iniciativas para melhorar.
    O blog do professor é realmente muito bom. Obrigada por o teres divulgado.

    Abraço.

    ResponderEliminar
  11. bem eu nao sou mae,por enkuanto, mas concordo plenamente com este post. axo fundamental existir o nao mas tb axo k nao nos podemos eskecer k sao crianças e por vezes a pais k so impoem regras..conheço pais que sao muito proibitivos com o filho nao pode fazer nada tudo anda a volta de regras e depois basta olhar para a criança e ver k ela esta infeliz é uma criança triste nao sorri como as outras e comparando com as outras crianças destacase perfeitamente, é claro que é uma criança super educada e super respeitadora, mas nao deixa de ser uma criança com apenas 7 anos...Acho k para alguns pais deveria haver um meio termo pois muita proibição por vezes torna se em revolta e por vezes as crianças ao entrarem na adolexencia acabam por kerer fazer o k nao esta corecto..pois o fruto proibido é o mais apetecido..Acredito que quando tiver um filho irei educalo da melhor forma com amor respeito e claro regras e o fundamental é o amor sem duvida..ninguem naxe ensinado e com amor tudo se cria e tudo se constroi...gostei muito do post mas aki fica a minha opiniao tendo em conta um caso k conheço, claro k dizer nao tb é educar mas axo k é preciso haver bom censo e nao o dizer constantemente e proibir as crianças de tudo e mais alguma coisa...bjinho e boa sorte nessa tua tarefa de educar, acredito k temos k tentar sempre ser melhores, e as crianças sao o melhor k ha no mundo sem duvida...

    ResponderEliminar
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  13. Olá Diana. Gostei que tivesses colocado essa perspectiva.

    Eu não o disse, mas o professor falou que também temos de ser racionais e dar alguma flexibilidade. Por outras palavras, se as regras estão definidas de determinada maneira, não significa que em ocasiões especiais não se possa fazer diferente (daí ter falado na rotina do deitar, por exemplo ao fim-de-semana).

    Tem que haver equilíbrio, muito amor e coerência.

    ResponderEliminar
  14. É engraçado como temos tanta teoria e depois no dia a dia é tão dificil cumprir. Eu luto diariamente para dar uma boa educação ao meu filho. Por vezes tenho receio de ser dura de mais, mas tenho consciencia que nos dias que correm... toda a prudência é pouca!

    Adorei o texto!

    ResponderEliminar
  15. Mas que óptimas dicas. Mais do que nunca precisamos desses reforços, pois educar é uma tarefa super difícil, principalmente se forem os nossos filhos, por incrível que pareça. Para mim, ´w muito mais fácil impôr limites a uma turma de mais do que 20 crianças, educadas de formas diferentes, do que impor limites ao meu próprio filho, acreditas. Quando são os nossos filhos, há uma tendência para ceder por deixar o coração falar mais alto. Na escola, acabamos por por em prática, de forma muito mais eficiente, as teorias que se adaptam mais eficazmente à prática. E quando dizes que há pais a desautorizarem os professores, há pois há! E quando pensam que estão a fazer bem porque "eles" é que sabem e "eles" é que são os pais, estão tendencialmente a criar pestinhas que desafiam o adulto, sem receio.
    Um post muito bom. Posso partilhar? (referindo, como é óbvio, de onde é a fonte)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  16. Olá Aline, fico contente por teres gostado :)

    Sim,podes partilhar, mas há que realçar que apesar destes serem os meus apontamentos, as ideias partem do Prof. Doutor José Morgado.

    Beijinho e bom fim-de-semana.

    ResponderEliminar
  17. MAFALDA
    digno de ser lido e relido. hoje em dia todas as dicas sao importantes para fazer crescer uma criança
    kis :=( BFSEMANA

    ResponderEliminar
  18. Dicas optimas que todos os pais deviam seguir!
    Acho que assim teriamos crianças bem mais educadas e respeitadoras do que a que as que temos.

    ResponderEliminar
  19. Adorei o texto! Eu tambem me esforço todos os dias para melhorar enquanto mãe, pesquiso e leio vários livros sobre o assunto. Concordo com todas as dicas.

    Bjos

    ResponderEliminar
  20. Importantíssimo, tudo isso.
    Abraço, BShell

    ResponderEliminar
  21. Voltei...para desejar uma boa semana.

    BShell

    ResponderEliminar
  22. Completamente de acordo. Muitas vezes nao é fácil mantermo-nos firmes ou dizermos que não, mas é o único caminho para educarmos os nossos filhos.

    ResponderEliminar
  23. Li cada frase com tanta calma que ainda me custa escrever...sem palavras...Adorei...

    ResponderEliminar

Related Posts with Thumbnails