sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Selinhos e desafio

Recebi da Remall, uma das almas mais poéticas da Blogosfera e autora do Blog Letrinhas Combinadas, o seguinte selo/desafio, que desde já agradeço:


Deixo agora as minhas respostas ao desafio.

05 coisas que quero fazer antes de morrer:- conhecer os EUA e o Brasil;
- viajar de Autocaravana;
- ter tempo disponível para dedicar à fotografia;
- passar a alimentar-me exclusivamente de produtos biológicos (por enquanto ainda é uma miragem);
- bem... a última é secreta, por enquanto não posso dizer.

05 coisas que mais digo :– Gosto muito de ti;
- Letícia;
- Felicidade;
- (Nome do meu local de trabalho), bom dia!
- Agora não posso.

05 coisas que faço bem (na minha opinião):- ser mãe;
- cozinhar;
- demonstrar afecto;
- planear actividades;
- saber ouvir (é verdade, sei segredos de muita gente).

05 defeitos :- stressada;
- penso demasiado nos problemas (mas estou a mudar aos poucos);
- perfeccionista;
- nem sempre sou organizada (mas estou a mudar e rapidamente);
- sem paciência para conversas fúteis: má língua, vida do jet 7 e críticas à aparência das pessoas (quando dou por ela, já estou a cortar a palavra à outra pessoa, é mais forte que eu).

05 coisas que adoro :
- a minha família;
- este blog e a pesquisa inerente ao mesmo;
- a minha colecção de fotografias;
- viajar;
- escrever.

05 coisas que detesto :- pessoas que sorriem pela frente e que dizem mal por trás;
- críticas sem conhecimento de causa;
- maldade;
- pessoas que culpam os outros pelos desaires da sua vida, mas que também não fazem nada para melhorar;
- má educação.

05 blogs para o desafio (por ordem alfabética):- A mamã é só minha da Ana;
- Aprender e Organizar da Catarina;
- Art and Life da L.;
- Casinha da Formiga da Formiguinha;
- Velud'Arte da Velud'Arte.
««»»

Recebi igualmente da fantástica Caminhante do blog A Estrada da Nossa Vida, este selinho doce:

Este selinho só tem uma regra que é oferecê-lo a 10 blogues que aprecio! Aqui vai:
1- Estórias da Cocas da Coquinhas;
2 - Imaculada - Artes da Imac by Artes;
3 - Letrinhas Combinadas da Remall;
4 - Longa vida aos 4 da Carla;
6 - Melhorando minha vida da Renata;
7 - Sissamar da Sílvia;
8 - Só por Amor da Tanita;
9 - Um blog pelo ambiente da Ana;
10 - Uma casa encantada.

Bom fim-de-semana para todos. Procurem ser felizes!

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Lâmpadas economizadoras

Eu e o meu marido às vezes temos uma sintonia incrível. Do género de dizermos exactamente a mesma coisa ao mesmo tempo, de um pegar no telefone para ligar e nesse exacto momento o telefone toca porque o outro se lembra de telefonar...

E perguntam vocês: mas que raio tem isto a ver com lâmpadas economizadoras?

Como sabem, gosto de medidas que defendam o ambiente e a minha carteira. Então na semana passada decidi que não podia continuar a adiar. Tinha de substituir as lâmpadas mais antigas que restavam cá por casa. Contabilizei, divisão por divisão, quantas lâmpadas economizadoras necessitava de comprar.

Pouco tempo depois, o meu marido chega a casa do trabalho, sabem com o quê? Com um saco cheio de lâmpadas economizadoras para substituir as antigas. Ficámos pasmos com a nossa sintonia e rimo-nos com a situação... como sempre!

Quanto à conta de electricidade, depois conto-vos o resultado.

Foto:Piccolo Namek

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Como manter as varizes à distância

Se há coisa que pode minar a auto-estima de uma pessoa é o facto de se ter varizes. Tenho uma amiga que deixou de ir à praia, outra que nunca mais usou saias curtas… Para além disso têm uma sensação desconfortável de peso e inchaço nas pernas.

Confesso que quando engravidei me surgiram pequenos derrames. Espero que não passem disso. Mas como tudo na vida, mais vale prevenir.

Mas afinal o que causa as varizes? Eis os factores na sua origem:
- a herança genética (oh não! O meu avô tinha varizes!);
- a gravidez (está explicado!), devido às alterações hormonais e ao peso do feto que interfere com a circulação sanguínea e submete as veias das pernas a uma maior pressão;
- o excesso de peso;
- permanecer de pé durante seis ou mais horas por dia (comum em algumas profissões como empregados de balcão, cabeleireiros, professores, etc.);
- estar sentado demasiado tempo;
- o calor localizado que favorece a dilatação das veias (banhos muito quentes, sol em excesso, calor de lareiras ou aquecedores muito acentuado sobre as pernas);
- o envelhecimento, que enfraquece e faz perder a elasticidade das paredes das veias.

Eis algumas 10 dicas para prevenir ou tratar as varizes:
1 – mantenha um peso saudável;
2 – faça exercício com regularidade, desde andar a pé, de bicicleta, correr, etc., assim como exercícios específicos para activar a circulação sanguínea (um dia prometo que faço um post com exercícios destes, mas para já vejam o primeiro exercício deste outro post);
3 – tente mudar as condições do seu trabalho. Se tem de estar demasiado tempo em pé, tente sentar-se um pouco, de tempos a tempos. Se é empregada de balcão, que tal adquirir um banco alto para colocar atrás do balcão? Se tem de estar demasiado tempo sentada, estique os músculos das pernas periodicamente ou eleve as pernas com um banquinho. Use a sua imaginação, provavelmente o seu patrão nem se vai importar;
4 – deite-se com uma ou duas almofadas sob as pernas, de modo a erguê-las uns 10 minutos (o ideal seria fazer isto algumas vezes por dia);
5 – não use vestuário ou calçado muito justo;
6 – evite usar saltos altos (estou tramada, na semana passada até andava com saltos agulha!);
7 – evite exposições prolongadas das pernas a fontes de calor (logo eu que gosto tanto de banhos de imersão… bem quentinhos);
8 – no final do banho ou duche, passe água fria pelas pernas;
9 – utilize meias de descanso, de acordo com indicação médica;
10 - quando o mal já está instalado procure ajuda médica, que indicará o tratamento adequado ao seu caso.

Foto: Matthew Bowden

terça-feira, 27 de setembro de 2011

A minha banda sonora

A música tem algo de mágico. Pode transportar a nossa mente para ambientes reconfortantes. Se for bem escolhida, pode ser um óptimo elemento para aumentar o nosso positivismo. Quem não fica com um sorriso nos lábios, quando de repende passa no rádio a sua música favorita?

Claro que há músicas que têm o efeito contrário, até conseguem pôr-nos mais deprimidos. Por isso, escolham bem a vossa banda sonora. Eis a minha (carreguem nas hiperligações para ouvirem):

Influências portuguesas
1 - Entre Aspas - Esqueci o nome das coisas - não sei porquê, lembra-me a noite, o mar, a liberdade...
2 - Klepht - Embora doa - acho-o arrebatadora;
3 - Quinta do Bill - No trilho do sol - uma celebração étnica, de uma banda daqui, de bem perto de casa;
4 - Quinta do Bill - Se te amo - linda;
5 - Quinta do Bill - Aljubarrota - inevitável não dançar com esta música;
6 - Da Weasel - Mundos Mudos - hip hop português (não é o meu género preferido, mas confesso que gosto desta banda);
7 - Pedro Abrunhosa - Eu não sei quem te perdeu - este senhor é um poeta... adoro!
8 - Pedro Abrunhosa - Se eu fosse um dia o teu olhar - sem palavras... sedução sob a forma de palavras!
9 - João Pedro Pais - Mentira - pode ser algo triste, mas evoca um amor arrebatador;
10 - The Fingertips - Picture of my own - na mesma linha da anterior, com um som incrível;
11 - Nelly Furtado - Say it Rigth - uma batida fantástica, de uma das portuguesas mais conhecidas pelo mundo;
12 - Amália - Foi Deus - a alma portuguesa do fado, recorda-me o tempo em que também cantava por aí...
13 - Delfins - A nossa vez - positivismo puro, em concerto arrepia.

Influências além fronteiras
14 - Paula Fernandes - Dust in the wind - magnífica, uma das vozes mais poderosas que já ouvi;
15 - Beyoncé - Halo - há algo nesta música de poderoso;
16 - Antonio Vivaldi - The Four Seasons, Summer, Presto - porque os clássicos também podem ser vibrantes;
17 - Metallica - Hero of the day - lindíssima;
18 - Metallica - Nothing else mathers - há alguém que não goste desta música?
19 - Metallica - For Whom the bell tolls - metal e clássico = lots of energy;
20 - The Offspring - Self Esteem - estes tipos dizem que não têm auto-estima, mas adoro o seu ritmo e recordam-me os tempos da adolescência...
21 - The Doors - Roadhouse blues - um grupo que não é exemplo de vida para ninguém, mas têm sem dúvida, um som fabuloso;
22 - Pink - Sober - uma das minhas cantoras favoritas;
23 - Pink - Who knew -linda!
24 - Pink - Just like a pill - adoro o som, a voz, a energia;
25 - E mais... Pink - It´s all your falt - adoro!
26 - Girls Aloud - I'll stand by you - devo dizer que é a minha versão preferida desta música;
27 - Within Temptation - Memories - sem dúvida, uma das minhas músicas preferidas;
28 - Snow Patrol - Chasing cars - um pouco triste, mas lindíssima;
29 - The Veils - Leavers dance - também algo triste, mas com um som perfeito;
30 - Bikini - Kosely helyeken - o encanto dos sons húngaros;
31 - U2 - One - esta recorda-me a adolescência, quando com meu grupo de amigos íamos todos para junto de um rio, ouvir música de um auto-rádio e admirar a beleza da noite (não fiquem já com ideias... recordo-me que na altura conseguíamos ver beleza nas mínimas coisas);
32 - Coldplay - Viva la vida - gosto imenso do som;
33 - Coldplay - Speed of sound - palavras para quê? Com os Coldplay o som é que conta mesmo;
34 - Bryan Adams - One world, one flame - uma verdadeira inspiração para a vida, do meu cantor favorito. Gosto :)
35 - Roy Orbison - You got it - quando ouço isto, garanto que ganho uma dose de positivismo extra (Ok, o facto de me recordar as férias, também ajuda). Mas esta música tem um quê de especial, que me faz acreditar que conseguimos alcançar os nossos sonhos...

E vocês, qual a música que vos inspira?

Foto: Gord Webster (Bryan Adams na foto)

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Pensamento/Lema da semana #51


"A melhor saída é seguir em frente."
Robert Frost

««»»

Este fim-de-semana foi de grande ponderação para mim. Fiquei realmente triste com o que se passou, por isso tive de decidir se manteria ou não o blog.

Antes de mais quero agradecer a todos os que comentaram aqui ou que me enviaram e-mails de incentivo. Acreditem que foi a maior influência para a minha decisão. As palavras não são suficientes para vos agradecer.

Nunca pensei em desistir da minha pesquisa, mas pensei seriamente em fazê-lo em privado (só a título pessoal, ou privatizando o blog).

Como prefiro centrar-me nas soluções em vez de ficar a remoer no assunto, decidi o seguinte:

- Vou manter este blog, porque me faz muito feliz, porque adoro a blogosfera e, especialmente, pela amizade que criei com algumas pessoas. Adoro o que se aprende aqui e sinto-me muito realizada por saber que também ajudei alguém.

- Vou manter o blog público, para chegar a um maior número de pessoas. Quero contagiar os leitores com pensamentos positivos. Quero dar o meu contributo para um mundo melhor.

- Sempre que alguém me roube textos, sem pedido de autorização (anteriomente já publicaram textos meus, mas com a minha autorização), será de imediato denunciado à google (foi o que fiz). A questão é que se não o fizer estarei a compactuar com comportamentos destes. E se queremos que os mesmos acabem, não podemos ficar sem reagir. Se alguém necessitar de fazer o mesmo, aqui têm o procedimento explicado pelo Marcos Lemos no seu blog, o Ferramentas Blog.

- No que respeita a imagens sempre tentei colocar imagens no blog de autores que permitem a sua republicação. Vou manter essa postura fazendo o seguinte: publicando fotos de minha autoria, recorrendo a Cd's com fotos autorizadas, a sites como o Wikimedia Commons (tem imensas imagens autorizadas para publicação) e às imagens autorizadas do google images (tem de se optar por "pesquisa avançada de imagens" e seleccionar nos "direitos de utilização" a opção "apenas imagens que tenham licença de reutilização").

- Vou pesquisar mais sobre a legislação acerca de "direitos de autor", até porque os plagiadores não andam só pela Internet.

- Vou guardar todo o meu blog no PC, afinal nunca se sabe... Tenho-me descuidado em relação a isso, e a Internet tem as suas falhas. Não quero perder todo o trabalho que tive até aqui.

Tenho de ver pelo lado positivo, estes acontecimentos menos bons estão a fazer com que tome precauções que anteriormente me passavam ao lado.

Mais uma vez OBRIGADA a todos! Acreditem que foram vocês que me levaram a tomar esta decisão... e, verdade seja dita, eu não seria tão feliz sem vocês!

Foto: Mafalda S. - Algures na França.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Valerá a pena continuar com o meu blog?

Pela primeira vez estou a ponderar se continuo ou não com este blog. Não estou a dizê-lo de ânimo leve e o fim-de-semana servirá para pensar e tomar uma decisão. Passo a explicar os motivos.

Estava eu a ler um post de um blog que muito aprecio, o Receitas da Belinha Gulosa, sobre pessoas que sem o menor dos escrúpulos roubam artigos/fotos de outros blogs.

Foi então que me lembrei de colocar excertos de posts que escrevi e pesquisar no google (experimentem fazer o mesmo) e aí descobri que sem qualquer pedido de autorização, pessoas criminosas me roubaram integralmente alguns posts.

Ao tornar a minha pesquisa pública, o meu objectivo passava por dar ideias que servissem de inspiração, para que quem lê-se o blog pudesse ser mais feliz. Gostava de poder contagiar os outros com pensamentos positivos e dar um pequeno contributo para criar um mundo melhor. No entanto, uma coisa é inspirar, outra é ter imenso trabalho, para outros o exporem como seu.

O meu blog é para mim um segundo trabalho, mas que me dá muito prazer fazer. Contudo implica comprar livros, pesquisar, reunir informação e escrever. Não admito por isso, que me copiem e publiquem posts como sendo seus.

No meu caso pessoal sempre que faço citações ou utilizo algum excerto de um livro, indico sempre a fonte (se reparem sempre o fiz, basta olhar para o final de alguns posts onde diz "fonte"). Utilizo algumas imagens próprias e outras da Internet. Tento utilizar imagens identificando o seu autor, ou que permitem a sua utilização.

Estou mesmo triste com esta situação e espero que quem fez isto medite no impacto das suas acções perante as suas vítimas.

Passo a anunciar alguns blogs que copiaram posts meus, sem qualquer autorização:

-Reiki Cura Holística da professora e terapeuta holística Nélia Lima que escreveu este post, copiando o meu post sobre 40 Dicas para Relaxar; esta senhora foi esperta, porque alterou um post dela, escrito a 7 de Abril de 2011 (o meu post só foi escrito a 28 de Junho de 2011), para fazer parecer que ela é que o escreveu primeiro (felizmente o Blogger não se deixa enganar) - atenção: só o poema inicial não é meu e creio que este deveria ser o post original. Mas se analisarmos bem, ela cortou algumas das minhas dicas (a 19 e a 20, juntou-as numa só) e na minha dica 32 tenho uma hiperligação para um post antigo (ela também diz para espreitar o post, mas não tem nenhuma hiperligação - claro, porque não escreveu nenhum post). Bem, mas se analisarem qualquer excerto deste blog e pesquisarem no google, esta senhora copia tudo (umas vezes refere a fonte, outras passa-lhe ao lado), sem qualquer qualquer respeito por quem trabalhou nos textos.

- Meu jeito Dani de Ser da Danielle Araújo que escreveu este post a 27 de Julho após eu ter escrito Como pensam e agem as pessoas mais felizes? a 26 de Julho (foi rápida a copiar, portanto). A senhora só se esqueceu de eliminar a hiperligação que deixei para o meu blog nas palavras «expressar a sua gratidão».

- Também no Orkut - Vida em Família, copiaram 2 posts meus: Como criar uma família feliz – as dicas do Dr. Phil #1 e A felicidade dos filhos e o bem-estar dos pais (neste até copiaram a parte em que falo da minha «filha»). Bem, aqui a pessoa identificou-se como sendo... anónima.

Encontrei mais posts copiados, mas já não estou com ânimo para continuar com isto...

Aconselho-vos a verficarem se também vos copiaram algum post!!! Quanto a mim, vou pensar muito bem no que vou fazer com este cantinho.

Para já não aviso as pessoas que cometeram este crime, para que estas mantenham os posts mais um tempo no blogger e para que possam confirmar o roubo que estas me fizeram. Mas quanto tiverem conhecimento de que eu já sei, quero que pensem no seguinte: tenham consciência e prefiram o caminho do bem. Parem de trazer infelicidade para a vida das outras pessoas!!

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Saboreando... Amêijoas à Bulhão Pato

Desde que escrevi a receita de "Pato com Laranja" no blog, que várias pessoas me pediram para colocar aqui outros sabores que aprecio. Não sendo este um blog de culinária, considero que a comida pode proporcionar-nos verdadeiros momentos de prazer. Assim sendo, deixo aqui uma receita que muito me agrada, pela sua simplicidade e sabor. Espero que apreciem. Ingredientes:
1 kg de amêijoas
0,5 dl de azeite
2 dentes de alho
1 raminho de coentros
3 colheres (sopa) de vinho branco
Sal e pimenta q.b.
1 limão
 
Receita:
Lave muito bem as amêijoas, retirando possíveis areias. Leve entretanto ao lume o azeite e frite nele os dentes de alho.
 
De seguida, adicione as amêijoas. Tempere com sal e pimenta e adicione os coentros picados. Vá sacudindo a frigideira até as amêijoas estarem todas abertas e cozidas. Regue-as com vinho.
 
Retire do lume e regue com um pouco de sumo de limão. Se for do seu agrado, sirva acompanhado com fatias de pão torrado e barrado com manteiga.
 
Simples e delicioso... para um momento feliz!
 
Foto: Mafalda S.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Natureza dentro de casa

E para trazer um pouco de Natureza para dentro de casa, eis a minha sugestão:


Utilizei jarras destas na festa de Sábado passado. Para além de ser simples e bonito, é uma solução bastante económica. Gastei menos de 5,00 € no aquário (numa loja de chineses) e bastam 3 flores para embelezar uma jarra. Se quiserem também podem substituir por hortênsias, ficam maravilhosas.

E com esta simplicidade, podem dar um toque alegre às vossas casas e melhorar igualmente o vosso estado de espírito.

Foto: Mafalda S.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

É mesmo possível ser mais feliz?

As boas notícias é que a resposta é SIM! Aliás, se tal não fosse, escrever neste blog seria uma perda de tempo. Mas felizmente é mesmo possível ser mais feliz... se fizermos por isso, claro está!

Assim, a nossa felicidade depende essencialmente do seguinte:

- 50% da nossa genética - aqui não há margem de manobra, é um facto que não podemos alterar os nossos genes (por isso, aqueles que herdaram uma predisposição para serem mais felizes, estão cheios de sorte);

10% das nossas circunstâncias de vida - do meio ambiente em que nascemos, de como fomos educados, se somos ricos ou pobres, se somos saudáveis ou doentes, se temos apoio da família ou não, se temos um bom casamento ou não, se somos bonitos ou feios... neste ponto já podemos alterar alguma coisa. Podemos sempre frequentar cursos para melhorar a nossa educação, podemos gerir melhor o nosso dinheiro para não vivermos ansiosos, podemos adoptar hábitos saudáveis, etc.

40% da nossa actividade intencional - 40% é muita coisa!!, e estes dependem essencialmente das nossas atitudes e comportamentos diários, das opções que escolhemos para a nossa vida, da nossa forma de pensar. As actividades que escolhemos realizar devem fazer sentido para nós, estar de acordo com os nossos valores (porque o que me faz feliz a mim, pode não ser tão significativo para outra pessoa). Irei falar sobre as mesmas noutros posts , mas posso adiantar que passa por saborear as alegrias da vida, expressar a gratidão pelo que se tem de bom, comprometer-se com objectivos de vida, fazer coisas boas pelos outros...

Sim, é mesmo possível ser mais feliz!

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Pensamento/Lema da semana #50

"Se queres ser feliz amanhã, tenta hoje mesmo."
Liang Tzu

Foto: Google images - Autor não identificado

sábado, 17 de setembro de 2011

Letícia na escolinha #2

E o balanço do segundo dia foi... muito bom!!! A Letícia vinha entusiasmada com tudo: com os brinquedos, com a história dos três porquinhos, com os baloiços, com o arroz com salsichas ao almoço, com o copo da Minnie para pôr os lápis...

Tinha um rol de novidades para contar: "Mamã, a Lara chorou muito! Estava triste porque a mãe dela tinha ido trabalhar", "He, he... houve um menino que fez chichi nas calças", "Mamã, eu já não sou bebé, não chorei o dia todo!", "Mamã, mas não tive vontade de ir fazer chichi o dia interinho. Caramba! Devo de ter algum problema..." (diz isto com um ar intrigado), "Mamã, mamã! Aprendi uma música nova do palhacinho. Queres ouvir?..." (nisto começa a cantar um rol de músicas que eu própria desconhecia).

O meu pai, que a foi buscar, disse que a minha filhota estava tão entusiasmada que nem queria vir embora. Deus a conserve assim! E eu que estava tão stressada... estou a suspirar de alívio. Adoro esta minha filhota!!!

««»»

Mudando de assunto, esta semana tem sido de doidos. Quase não tive tempo para passar pelos vossos blogs e ando tão cansadita... Isto porque tenho andado a organizar uma festa para 200 pessoas, lá no trabalho. E... é hoje! Wish me luck!!!

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Ovos biológicos - serão realmente importantes?

Recentemente aderi ao consumo de ovos biológicos (da marca NaturEgg). Devem perguntar-se porque é que compro produtos biológicos quase às prestações, mas é que na zona em que vivo não há supermercados bio, então tenho de me contentar com uma minúscula secção do hipermercado. E para ser franca, grande parte das vezes, os produtos só aparecem uma vez... é que não há quem os compre (excepto eu e «algumas outras pessoas que vá se lá saber porquê, dá-lhes na cabeça para comprarem produtos mais caros»).

Mas em minha defesa (e em defesa da saúde de muita gente), da próxima vez que forem ao hipermercado, tenham em mente as seguintes informações:

- mais de 75% das doenças que surgiram na última década (problemas cardiovasculares, resistência a antibióticos, cancro, etc.) estão comprovadamente relacionadas com os animais que comemos;

- de acordo com a Organização Mundial de Saúde, 61% dos agentes patogénicos que afectam os humanos têm origem animal;

- involuntariamente, todos nós consumíamos pequenas quantidades de antibiótico. Como é possível? Devido à excessiva e maciça utilização de antibióticos, para prevenir doenças em animais que viviam fechados e em grandes concentrações, bem como para promover o seu crescimento. Qual o mal disso? Voltaram a existir pessoas a morrer de pneumonia e tuberculose, por não responderem a nenhum tratamento disponível (apesar de ainda existirem abusos, felizmente o uso indiscriminado de antibióticos, foi proibido em 2006);

- as rações das «galinhas de bateria» (as que vivem em espaços confinados) levam um corante especial para que a gema seja amarela. É até provável que devido ao corante, estas gemas tenham uma cor bem mais viva que as dos ovos biológicos;

- mais de 90% das galinhas poedeiras a nível nacional, vivem em pavilhões fechados, numa área equivalente a uma folha A4 (sem terem sequer espaço para abrir as asas), empilhadas em vários andares, em pavilhões fechados, abafados, onde nunca entra a luz do dia. O stress é tal que chegam a atacar-se até à morte. E o resultado deste stress todo, é o facto de no seu organismo existirem mais toxinas (que depois serão consumidas por nós);

- os frangos de aviário foram seleccionados geneticamente para crescerem em metade do tempo das galinhas criadas no campo, ao ar livre. Será que isso importa? Bem, o crescimento dos músculos é acelerado, mas as patas e o coração não acompanham o ritmo de crescimento, provocando diversas deformações nos animais;

- se analisarmos sob a perspectiva ambiental, a criação de «galinhas de bateria» é responsável por 18% das emissões de gases com efeito de estufa a nível mundial - mais do que os 13% das emissões de todos os carros, aviões, barcos e comboios juntos. A criação destes animais é também a maior responsável pela desflorestação do planeta, para não falar da poluição das terras e dos cursos de água;

- pelo contrário, os 10% de galinhas de produção nacional que crescem ao ar livre, as chamadas «galinhas de campo», livres de stress, produzem mais e melhor, provocam menos poluição e são sem dúvida melhores para a nossa saúde.

Por isso, quando comprar ovos, pense duas vezes antes de fazer a sua escolha.

Foto: Google images - Autor não identificado.Fonte: Fonseca, Patrícia; "Os pecados da carne"; revista Visão, n.º 869, pp. 100-110; 29 de Outubro de 2009.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Letícia na escolinha


Finalmente chegou o primeiro dia da Letícia na escolinha. Planeámos este dia como se de uma festa se tratasse. A Letícia acompanhou-me em todos os preparativos, foi comigo às compras (até estou parva com a quantidade de material que me pediram: o que está na imagem... mais 2 sacos cheios), escolheu a roupinha...

Ao chegarmos ao edifício mal se podia conter com o entusiasmo. Gritava "Mamã, mamã! É a minha escolinha!"

A educadora apresentou-se e a Letícia cumprimentou-a com dois beijinhos. Nisto a minha princesa foi brincar e já nem me ligou nenhuma (bom sinal, pensei eu!). Fui-me embora.

Duas horas depois, regressei. A educadora disse-me que se portou muito bem, mas que chorou um pouco. Queria brincar com o computador de um menino, mas este não lho quis emprestar. E então chorou e chorou...

Enquanto falava com a educadora ela estava sossegadinha, mas assim que me viu, começou a chorar e a correr na minha direcção. Acalmou e disse: "Mamã tinha tantas saudades tuas! Por onde andaste? Um menino mau atirou os brinquedos para o chão". E já não se quis despedir da educadora.

Sei que isto é normal, mas coração de mãe fica apertadinho. Ai, ai... e amanhã vai ficar lá o dia inteiro... Espero que corra melhor.

Foto: Mafalda S.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

J. K. Rowling, a senhora que nunca desistiu

A história de vida de J.K. Rowling é, sem dúvida, uma inspiração para mim.

Joanne Rowling nasceu a 31 de Julho de 1965 e desde pequena que tomou o gosto pela leitura. Com apenas 6 anos escreveu o seu primeiro livro Rabbit, a história de um coelho chamado Rabbit que apanha sarampo e que é visitado pela Miss Bee (Sr.ª Abelha).

Ao longo da vida foi recebendo influências de diversos escritores, fazendo eclodir em si o sonho de ser escritora.

Foi numa viagem de comboio para Londres que lhe surgiu a ideia precursora do seu sucesso: a criação da personagem Harry Potter. Como refere a própria escritora “A ideia de Harry Potter surgiu de repente na minha mente (...) e nenhuma outra ideia me tinha animado tanto quanto essa.” Foi assim que com 25 anos, Joanne começou a rabiscar os primeiros textos de Harry Potter.

Contudo, esse ano viria a ser marcado pela tragédia pessoal. A mãe faleceu de esclerose múltipla, com apenas 45 anos. De regresso ao seu apartamento, descobriu que havia sido assaltado, e depois de uma briga séria com o namorado, acabou por sair de casa. Decidiu assim rumar a Portugal, após responder a um anúncio para dar aulas de Inglês.

Já no Porto, Joanne conheceu aquele que viria a ser o pai da sua primeira filha, o português Jorge Arantes. Conheceram-se num bar e pouco depois passaram a viver juntos. No entanto o relacionamento tempestuoso e repleto de brigas não viria a durar muito. No calor de uma discussão com o então marido, Jorge expulsou-a de casa. Ela acabou por pegar na bebé e abandonou o país.

De regresso ao Reino Unido, Joanne viu-se envolvida nas malhas da pobreza. Sem dinheiro e sem esperança, acabou por cair numa depressão. Mudou-se para um apartamento na Escócia, onde com muitas dificuldades, vivia da ajuda do governo.

Por esta altura Joanne passeava a filha no seu carrinho de bebé. Quando ela adormecia aproveitava para ir a bares, escrevendo até que a filha acordasse. E assim ia criando a história de Harry Potter.

Finalmente, algum tempo depois começaram a surgir as boas notícias: conseguiu um emprego, divorciou-se do primeiro marido e após recusa de várias editoras, conseguiu publicar o seu primeiro livro “Harry Potter e a Pedra Filosofal” (isto após 7 anos de o ter começado a escrever). A primeira edição foi pequena, é certo, (1000 exemplares, sendo que 500 destinaram-se a bibliotecas), mas mesmo assim Joanne ficou felicíssima.

Logo de início o livro obteve imenso sucesso. Com o dinheiro que ganhou Joanne comprou um apartamento mais espaçoso e num lugar mais seguro. Quando se mudou dessa casa, ofereceu-a a uma mãe solteira de quem se tornara amiga.

O sucesso do primeiro livro abriu as portas para um e mais outro, e assim sucessivamente - tal como ambicionado por Joanne. Conseguia assim concretizar o seu sonho de ser escritora.

Acabando por tornar-se milionária, encaminhou parte da sua fortuna para causas sociais: ajuda aos portadores de esclerose múltipla, apoio a mães solteiras, combate à pobreza, ajuda a crianças com deficiência mental, a artistas incapacitados, a crianças carenciadas…

O amor acabou por voltar a sorrir-lhe, tendo casado com o médico anestesista Neil Murray. Teve mais dois filhos.

O sucesso editorial continuou, superando todos os sonhos de infância.

E quais as lições que retiro da vida de JK Rowling? Passo a citá-las:

1 – Para concretizar os nossos sonhos, é necessário trabalhar neles todos os dias. - Tal como Joanne fazia, escrevendo os seus textos sempre que podia.

2 – Devemos ser persistentes, se queremos alcançar algo. – Mesmo nos piores momentos, Joanne nunca deixou de escrever. Para além disso, teve de aguardar 7 anos desde que começou a escrever, até à publicação do seu livro.

3 – Não devemos ficar desanimados quando ouvimos um não. Há que continuar a lutar. – Quantas vezes a Joanne ouviu recusas de editoras, mas mesmo assim não desistiu.

4 – Devemos animar-nos com os pequenos sucessos e estes devem servir de motivação para continuarmos a lutar. – A escritora ficou felicíssima mesmo com uma edição tão limitada como foi a primeira (somente 1.000 exemplares do seu livro). Esse foi o primeiro passo na sua escalada de sucesso.

5 – É importante praticarmos solidariedade, para também darmos esperança aos que nos rodeiam. – Quando teve possibilidade, a escritora ajudou causas que de alguma forma até estiveram relacionadas com os piores momentos da sua vida, como a doença da sua mãe, a sua situação de pobreza e o facto de ter sido mãe solteira.

6 - Há que ter esperança que a nossa vida pode melhorar. – A história de vida de J.K. Rowling é exemplo disso mesmo. Acontecerem-lhe diversas tragédias pessoais, mas deu-se uma reviravolta tal na sua vida, que superou em muito as suas expectativas. Ser feliz, afinal era possível.

Foto: Daniel Ogren

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Seria feliz se fosse mais bonito(a)?

As pessoas mais bonitas, em geral, são de facto mais felizes. Mas estas não se sentem mais felizes necessariamente por serem belas, mas porque a vida costuma ser-lhes mais risonha: costumam ter mais oportunidades, a simetria dos rostos revela um sistema imunitário mais saudável, atraem mais as pessoas em seu redor...

Mas se perguntarem a estas pessoas se são muito felizes, a resposta não seria necessariamente positiva. Porquê? Porque o que mais importa para a felicidade não é necessariamente ser-se bonito(a), mas sim sentir-se bonito(a)!

Assim, o que importa é você acreditar que é bonito(a) ou que tem potencialidade para tal. Por isso o melhor que há a fazer é valorizar o corpo que tem. Use um corte de cabelo que o(a) favoreça, coloque uns acessórios, use vestuário adequado ao seu corpo, utilize maquilhagem para disfarçar imperfeições e realçar o que tem de melhor. Se tiver dúvidas, recorra a um profissional que o ajude a melhorar a sua imagem. Se não tiver dinheiro para tal, pesquise, recorra à Internet, leia livros sobre o assunto.

Mas lembre-se que a par da mudança exterior, deve mudar interiormente. Aconselho por isso que siga as dicas que deixei num outro post para aumentar a sua auto-estima. Só tendo confiança sem si, acreditando no seu valor e potencial, se poderá sentir mais bonito(a). E se emanar essa energia para o exterior até os que estão em seu redor se sentirão mais atraídos pela sua figura.

Ser feliz é possível!

Foto: Google images - Autor não identificado

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Pensamento/Lema da semana #49

"Livros não mudam o mundo, quem muda o mundo são as pessoas.
Os livros mudam as pessoas
. "
Caio Graco

Foto: Google images - Autor não identificado

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

O homem valioso

Outrora, existiu um homem rico que tinha um barco a vapor maravilhoso, mas tal como acontece com as coisas caras, o navio tendia a avariar-se. Um dia, depois de uma viagem particularmente difícil num país estrangeiro, o motor falhou e ninguém conseguia pô-lo a trabalhar novamente.

Um por um, todos os mecânicos e engenheiros do país foram chamados para tentar arranjar o motor, e um por um, falharam. Finalmente, chegou aos ouvidos do homem rico que um velho artesão de navios poderia ajudá-lo, mas por um preço elevado. O homem rico concordou imediatamente.

Pouco tempo depois, um homem idoso, que parecia ter andado a consertar navios há cem anos, chegou. Trazia um saco pesado de ferramentas e pôs-se imediatamente ao trabalho. Inspeccionou cuidadosamente a vasta rede de canos que ligava o motor em vários pontos, colocando ocasionalmente as mãos nos tubos para verificar a sua temperatura.

Finalmente, o velho fabricante de navios foi buscar o saco e retirou dele um pequeno martelo. Bateu ligeiramente num dos canos. Instantaneamente, o som do vapor a sair dos tubos fez-se ouvir e o motor soluçou para a vida, enquanto o artesão arrumava cautelosamente o seu martelo.

Quando o homem rico perguntou ao fabricante de navios quanto lhe devia, a conta era de dez mil euros - uma soma principesca nessa altura.

"O quê?", perguntou o homem rico, ultrajado. "Quase não fez nada! Justifique a sua factura ou farei com que o atirem para a cadeia!"

O velho artesão começou a escrevinhar algo num pedaço de papel que retirou do bolso. O homem rico sorriu ao lê-lo, e pediu desculpa ao fabricante de navios pelo seu comportamento rude.

Eis o que dizia:
Por bater com o martelo - 1,00 €
Por saber onde bater - 9.999,00 €

««»»

A moral da história é que se queremos ter sucesso, ou até ganhar mais dinheiro com o que fazemos, temos de nos tornar mais valiosos perante os outros. Não se fique pelo sonhar, realize acções concretas para alcançar os seus sonhos. Invista em formação, faça pesquisas sobre o assunto na Internet, inspire-se em exemplos bem sucedidos... ao ter mais confiança no seu próprio valor, os outros também começarão a valorizá-lo.

Um excelente fim-de-semana!

Foto: Google images - Autor não identificado
Metáfora In: McKenna, Paul; Mude a Sua Vida em Sete Dias; Lua de Papel, 3.ª Edição; Alfragide, Fevereiro de 2009.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Renovando a decoração cá de casa

A minha casa não está completamente decorada - o que até tem piada, assim tenho sempre espaço para inovar. Gosto de elementos antigos, românticos e meio rústicos (que contem uma história). Gosto igualmente de decoração étnica, que evoque viagens e diferentes culturas. Gosto de madeira e de pedra, elementos que me lembrem a natureza.

Por outras palavras, o meu estilo é sim uma profusão de estilos. Mas é assim que gosto, é assim que sinto a minha casa como o meu refúgio, a comunhão com a minha personalidade. É assim que sou feliz no meu espaço. Quer dizer... na verdade ainda tenho um longo caminho até a casa estar ao meu gosto.

Apesar de haver muito que fazer, este ano resolvi substituir as cadeiras e mesa de plástico branco da varanda (que eram feiinhas, diga-se), por estas de madeira:

O vaso não é grande coisa, preferia em pedra. Falta-me substituir o chão, arranjar a zona de barbecue e também gostava de umas espreguiçadeiras...

Já para a sala, comprei aquelas duas almofadas com um azul bem forte, que conjugam bem com o quadro a lembrar a cultura egípcia. As cadeiras têm origem turca, mas hoje em dia já há bem parecidas por todo o país.

Também fizemos obras na casa-de-banho (como já tinha dito), mas não coloco foto porque me falta algo tão básico como o espelho. Ainda não encontrei um que gostasse.

São pequenas mudanças, mas que gosto de ir fazendo.

Um aparte: ainda gostava de perceber porque é que quando coloco fotos aqui estas perdem a qualidade. Também acontece convosco?



Fotos: Mafalda S.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Pequenos nadas que nos fazem felizes

Muitas pessoas perdem as pequenas alegrias
enquanto aguardam a grande felicidade
”.
Pearl S. Buck, Prémio Nobel de Literatura

Por vezes estamos tão concentrados na felicidade futura, que algures, algum dia iremos encontrar, que nos esquecemos de apreciar a jornada. Acontece que a felicidade não é propriamente um estado permanente a que se pode chegar, mas é feita de pequenos prazeres que façam sentido para cada um de nós. É nos pequenos nadas do dia-a-dia, na forma como encaramos o mundo e como apreciamos o que é belo, que reside a chave para a felicidade.

Eis 45 coisas tão simples e banais, mas que nos podem fazer felizes – basta dar-lhes o devido valor:
1 – Ler um bom livro – sabem aqueles livros que nos fazem ficar acordados até tarde, só porque são bons de ler? Então e aquele cheirinho a livro novo? Os títulos apelativos que nos enchem de curiosidade?

2 – O cheiro do café acabado de fazer - o aroma do café fresco é das coisas mais deliciosas que existe, experimente cheirá-lo.

3 – Ter a casa limpa e arrumada – sabe aquela sensação de leveza que encontramos, quando vemos um espaço livre de tralha e com cheirinho a limpo? Aprecie a calma e paz de espírito que a limpeza e arrumação podem trazer.

4 - Um passeio matinal numa manhã solarenga – é tão agradável andar com calma num dia de sol, a apreciar a paisagem, as montras, as pessoas, sem horários para cumprir.

5 - O som dos passarinhos – já reparou no canto dos passarinhos e em como este som pode ser relaxante? Repare e aprecie o momento.

6 – Tomar o pequeno-almoço numa esplanada ou varanda – já imaginou deliciar-se com comida saborosa, num espaço destes. A experiência é obviamente mais intensa se a paisagem em redor for encantadora. (Este é um dos pequenos luxos a que me posso dar, pois a vista da minha varanda é realmente lindíssima).

7 - Programar uma actividade especial com a família – estou a falar de actividades com o núcleo familiar mais importante para si (por ex. o(a) seu(sua) companheiro(a) e filhos). Pode agendar um piquenique, ver um filme, um passeio pelo campo, etc.

8 – Visitar locais de interesse cultural experimente visitar galerias de arte, museus, palácios, teatros. Vai ver que sai de lá muito mais leve e feliz.

9 - Recordar-se dos bons momentos passados dê uma olhadela aos seus álbuns de fotografias, assista aos filmes das férias, pegue na primeira roupinha que o seu filho usou quando nasceu…

10 – Escrever um diário de gratidão registe o que lhe acontece de bom: conseguiu concluir aquele projecto a tempo, aquelas palavras carinhosas que a sua filha lhe disse, a melhoria do tempo… Ao escrever começa a dar valor às pequenas coisas e a aperceber-se do que tem de bom na vida.

11 – Melhorar a sua aparência - por vezes para melhorar o seu astral, basta um corte de cabelo diferente, fazer a barba, colocar uns acessórios, usar maquilhagem, utilizar vestuário adequado ao seu corpo...

12 – Mimar-se – isto significa não viver só para os outros, mas reservar tempo para actividades que imprimam prazer à sua vida. Todos os dias, dedique pelo menos 30 minutos para fazer algo que o(a) deixe feliz: passear, ler, ouvir música… O que importa é que sinta que merece ser mimado(a), que é especial

13 - Escrever um blog – eu que o diga, para além de desanuviar do stress do dia-a-dia e de aprender algo de novo, é um prazer encontrar pessoas interessantes na Internet e sobretudo receber comentários positivos (sim, estes motivam-nos mesmo a seguir em frente).

14 – O cheiro e o sabor da sua comida favorita – nada melhor do que deliciarmo-nos com aquela comida que nos enche a alma.

15 – Comer um delicioso pedaço de chocolate – mesmo para quem não é um louco por chocolate (como é o meu caso), creio que todos apreciamos o prazer do seu sabor único.

16 – Uma cama macia quando o corpo está cansado – é realmente relaxante podermos descansar o corpo numa cama confortável, especialmente quando estamos muito cansados.

17 - Uma massagem relaxante - vá a um Spa ou peça ao(à) seu(sua) companheiro(a) para que lhe faça uma massagem de relaxamento. Ficará como novo(a).

18 – Um banho relaxante - um banho morno cheio de espuma, velas acesas, gotas de óleo tranquilizante, sais minerais e uma música calma são os ingredientes ideais para alguns momentos de puro prazer.

19 - Entrar numa igreja vazia e entrar em contacto com Deus – aprecie o silêncio, ore, entre em contacto com Deus. Aprecie a paz interior que este momento lhe pode trazer e sinta o lado espiritual da vida.

20 - O nascer ou o pôr-do-sol - vale a pena dedicar alguns minutos do dia a apreciar este espectáculo de luz e de cor. A beleza destas imagens iluminam o nosso estado de espírito.

21 – A lua grande e amarela no horizonte – é das imagens mais belas que a Natureza nos pode oferecer. Esqueça qualquer mito em torno da Lua e deixe que esta lhe encha o coração de alegria com a sua luz mágica.

22 – O cheiro da erva ou terra molhada, após a chuva – há qualquer coisa neste cheiro que desperta os nossos sentidos e nos dá uma sensação de prazer interior. Aprecie o momento.

23 – Um arco-íris no horizonte – mais um fenómeno natural que nos pode encher de felicidade, se o soubermos apreciar.

24 – A neve a cair – este é um espectáculo maravilhoso, especialmente em Portugal, onde a neve é tão rara. Basta um pouquinho de neve e ficamos todos sorridentes (para além de dar para uns 3 dias de notícias no telejornal!).

25 – Andar descalço(a) sobre a relva - se tiver um jardim (ou conhecer algum) procure andar descalço(a) sobre a relva. Especialmente após um dia de trabalho, é super-relaxante.

26 – Receber e dar miminhos a um animal de estimação – podem ser os gestos ideais para levantarem o nosso astral e acalmarem o nosso sistema nervoso.

27 - Rir-se – rir é uma das melhores formas de descontrair e reduzir o stress. Pode fazê-lo em encontros com amigos, vendo programas cómicos de TV, assistindo a stand-up comedy ou até lendo piadas na internet. O que importa é dar uma boa gargalhada.

28 – O riso de uma criança – haverá som mais bonito do que ouvir uma criança a rir. Delicie-se e deixe-se contagiar pela sua alegria e felicidade genuínas.

29 – Ter um hobby – dedique parte do seu tempo a um hobby que lhe dê prazer, como fazer uma colecção, pintar, praticar jardinagem, bordar, tirar fotografias, escrever um blog (gosto especialmente deste!), etc.

30 – Ter um sonho e fazer algo todos os dias para o concretizar – ter um sonho é o que dá sentido às nossas vidas. Sentir-se-á feliz se acreditar que o pode concretizar e isso só acontece se fizer algo todos os dias para isso.

31 – Ser elogiado – sabe tão bem, até nos motiva a fazer mais e melhor. Aprecie e valorize os elogios que lhe façam.

32 – Mudar o humor de alguém com um elogio – por vezes somos tão rápidos a criticar e esquecemo-nos de elogiar quando é merecido. Diga aos outros o que aprecia neles, que gestos o encantaram, que tarefas concretizaram na perfeição. Para além disso, fazer os outros felizes também aumenta a nossa felicidade.

33 - Levantar-se mais tarde ao fim-de-semana – ok, até nem é o meu caso (levanto-me cedo para agendar os posts da semana aqui no blog – ou seja, é por uma boa causa). Mas sem dúvida que levantar um pouco mais tarde e fugir da habitual rotina, nos consola a alma.

34 - Ouvir a nossa música preferida – há algo de especial na música, consegue levar a nossa mente para longe, melhorar o nosso estado de espírito, trazer alegria às nossas vidas.

35 – Andar sem pressa pela praia – aprecie cada pormenor: as águas brilhantes, o horizonte longínquo, o som das gaivotas, o cheiro do mar, o toque delicado da areia, o prazer dos pingos molhados no rosto…

36 - Passear por uma paisagem deslumbrante - a vegetação pode melhorar o estado de espírito. Que tal ir dar um passeio no campo e apanhar umas flores silvestres?

37 – Cuidar de plantas as plantas, flores, no fundo toda a Natureza, fazem bem à nossa alma. As plantas em casa aumentam a beleza e a tranquilidade. Se tiver um jardim aproveite para o tornar num refúgio perfeito onde possa relaxar diariamente.

38 - Olhar para o céu repleto de estrelas – encante-se com a beleza do Universo, observe como tudo é tão perfeito e belo.

39 – Dormir ao som da chuva – é extremamente acolhedor e confortável, ouvir o som da água caindo lá fora, enquanto estamos aconchegados na nossa cama.

40 – Observar alguém que ama dormindo – se parar uns segundos e observar quem ama dormindo, quase que de imediato surgirá um sorriso no seu rosto. É enternecedor vê-los assim tão serenos, sentir que fazem parte da nossa família, do nosso mundo, sentir o quão especiais são e como é bom tê-los ao nosso lado.

41 - Encontrar velhos e bons amigos – apesar de nem sempre ser fácil na corrida do nosso dia-a-dia, é muito bom encontrarmo-nos com os bons velhos amigos e passar horas rindo e conversando, sem qualquer horário. Ficará muito mais animado, garanto.

42 - Fazer uma boa acção – ajudar os outros e fazê-los felizes contribui para a nossa própria felicidade. Esteja lá para o(a) seu(sua) parceiro(a), ajude um amigo, participe em campanhas de solidariedade.

43 - Estudar algo novo e aplicá-lo na sua vida – comece a estudar algo do seu interesse e mude a sua vida aos pouquinhos, consoante o que aprendeu. É entusiasmante ver as mudanças que se podem operar para melhor, quando nos esforçamos para tal. (Eu que o diga, pois já aprendi e mudei muito ao escrever este blog).

44 – Renovar a decoração da sua casa pode ser um pequeno pormenor como comprar umas almofadas novas ou algo mais dispendioso como substituir a mobília. Pode somente mudar a disposição das coisas ou pintar umas paredes. Estas mudanças fazem muito bem ao nosso estado de espírito, são como uma lufada de ar fresco para a nossa alma.

45 - Viajar e conhecer novos lugares e culturas – não há nada melhor para renovar a nossa energia e melhorar o nosso estado de espírito. Por vezes basta mudar de ares ao fim-de-semana para ficarmos com outro ânimo (esta é sem dúvida uma das minhas sugestões preferidas).

Bom, mas como somos todos diferentes, o que agrada a uns, poderá não aumentar a felicidade de outros. Por isso, estou curiosa por saber: e a vocês, o que vos faz felizes?

Foto: Google images – Autor não identificado.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Pensamento/Lema da semana #48

"Vive em harmonia com as leis da natureza e nunca serás pobre.
Vive em harmonia com as opiniões e nunca serás rico
."
Séneca

Foto: Scarabuss

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Casamento feliz, coração saudável

De acordo com um estudo da Universidade de Rochester nos Estados Unidos, os casamentos felizes são benéficos para o coração.

Pessoas que fizeram uma cirurgia de revascularização cardíaca têm três vezes mais hipóteses de viverem mais 15 anos, do que as que têm casamentos infelizes (no caso das mulheres este valor aumenta para quatro vezes mais hipóteses de sobreviver). O efeito do casamento é tão importante para a sobrevivência após a cirurgia, quanto outros factores de risco como o tabagismo, a obesidade ou a hipertensão.

Para além disso, estudos anteriores demonstram que as pessoas que têm casamentos felizes são menos susceptíveis a algumas inflamações relacionadas com doenças cardíacas.

Em conclusão, eis mais uma área da sua vida onde deve procurar ser feliz. Melhora o seu casamento e ainda tem benefícios na saúde.

Foto: Goggle images - Autor não identificado
Fonte: http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=50597&op=all

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Ajuda para tarefas domésticas

Quando a minha filha nasceu fiquei renitente em relação a arranjar ajuda para as tarefas domésticas. Estava mais que habituada a fazer as coisas à minha maneira e, honestamente, não me agradava a ideia de ter alguém a mexer nas minhas coisas. Depois havia a questão dos gastos, pois achava ser uma despesa desnecessária.

Mas a verdade, é que a minha vida é uma autêntica correria. Faço 75 km’s diários entre casa e o trabalho e tenho sempre inúmeras solicitações. Conclusão: o meu maridinho arranjou-me uma empregada doméstica que vai uma vez por semana lá a casa. Faz limpeza e passa um pouco a ferro.

Este mês a senhora foi de férias, e a verdade é que tenho uma sobrecarga enorme sobre mim. Deito-me às 22h30 ou 23h00 e no dia seguinte, lá tenho eu de me levantar às 6h30. O meu marido faz o que pode, mas também chega tarde. Mas o que é complicado, e que mais me entristece, é não ter tempo suficiente para a minha filha.

Creio que a decisão entre pagar ou não este tipo de serviços deve ter sempre em conta custos e benefícios. Cada caso é um caso, e há pessoas em que basta fazer uma partilha das tarefas domésticas, bem como uma maior organização lá em casa. Noutros casos, compensa contratar alguém.

No meu caso pessoal foi uma questão de prioridades: tive de escolher entre disponibilizar o meu tempo para as limpezas ou para a minha filha. Mesmo que não fique tudo como gostaria, e que ainda assim tenha uma série de tarefas, a minha escolha recaiu pela minha filha. Hoje não estou arrependida e estou a desesperar pelo regresso da senhora.

E vocês, também recorrem a ajuda para as tarefas domésticas?

Foto: Google images - Autor não identificado
Related Posts with Thumbnails