segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Pensamento/Lema da semana #21




"Uma poderosa ferramenta
para nos ajudar a gerir com habilidade a nossa vida
é perguntar antes de cada acto
se isso no trará felicidade".
Dalai Lama








Foto: Google images - Autor não identificado

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Selo de qualidade/desafio

Adoro receber selinhos! Por vezes atraso-me na sua colocação, mas só por falta de tempo, porque fico muito feliz por recebê-los. Desta vez, a minha querida amiga Sandra do blog Projectado Pessoas presenteou-me com o Selo de Qualidade. Obrigada Sandra! (Pelo selinho, pela partilha de ideias e, sobretudo, pela amizade).

Mas este selinho vem com algumas questões sobre as minhas preferências, que passarei a responder:
Nome - Mafalda S.
Música - "Nothing else matters" dos Metallica com a San Francisco Orchestra (ainda hoje me arrepio ao ouvir).
Humor - Adoro o Jay Leno, acho-lhe imensa piada.
Cor - Azul e violeta.
Estação - Verão (o Sol dá-me uma alegria/energia inexplicável).
Como preferes viajar - Com a família, para um destino onde possa conhecer outras culturas e que seja igualmente relaxante.
Série - CSI e Ghost Whisperer.
Frase ou palavra que é dita por ti -
Gosto muito de ti!
Tenho agora de passar este selinho a 15 blogs que me agradam. Aqui vai (atenção, a ordem é aleatória):
1 – Art and Life da L.;
2 – O nosso tesouro da Garfieldzita;
3 – There´s no place like home da Paula;
4 – Gestão Caseira da Ana P.;
5 – gracindatavaresdiaspintora da Gracinda;
6 - As Aventuras do Príncipe Pipoca da Rute;
7 – TOZIblog do S.;
8 – Blog da Marli da Marli;
9 – MM & TM da CC;
10 – Organizar a minha vida da JE;
11 –Lar…meu doce lar… da Patrícia;
12 – Diarios de Marie da Marie;
13 – Sobre Nós da Marilyn;
14 – Inspiração Inesperada;
15 – Constância. (vila poema.) do Manuel.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

TESTE: Qual o nível de stress na sua vida?

As coisas cá por casa já estão mais calminhas (ufa!). A minha pequenina já recuperou bastante, e já tem o sorrisinho lindo de sempre.

Voltei às minhas investigações e desta vez quero falar de um problema que, para ser honesta, me afecta bastante: stress.

Apesar de nem todo o stress ser necessariamente mau (aquele que nos motiva a agir, melhora a nossa concentração e nos dá a sensação de controle da situação), em dadas situações este pode ser um verdadeiro impedimento à nossa felicidade (quando nos sentimos dominados pelas dificuldades, esgotados e sem motivação para agir).

Deixo-lhe aqui um teste para descobrir qual o nível de stress na sua vida.

««»»

Classifique cada uma destas afirmações numa escala de 1 a 3:
1 = raramente ocorre;
2 = ocorre algumas vezes;
3 = ocorre regularmente.

1 – Fico acordado à noite, preocupado com o trabalho ou com outros assuntos que me afligem ou acordo com sonhos perturbadores.

2 – Reajo a pequenos problemas com raiva, ansiedade, sentimentos de mágoa e/ou ataques frequentes de choro.

3 – Como desenfreadamente ou perco totalmente o apetite.

4 – Aumentei o uso de álcool e/ou de tabaco.

5 – Passo por grandes períodos de tédio.

6 – Sinto-me incapaz de me libertar facilmente da tensão, ficando a remoer no mesmo assunto; tenho dificuldade em relaxar mesmo em momentos calmos ou nem sequer tenho tempo para relaxar.

7 – Perco o apetite sexual ou sinto algumas dificuldades a este nível.

8 – Manifesto uma quebra no desempenho no trabalho.

9 – Tenho dificuldade em determinar prioridades ou em tomar decisões.

10 – Aumentaram ocorrências como: dores de cabeça, problemas digestivos, dores de pescoço ou costas, problemas respiratórios, palpitações cardíacas, irritabilidade, fadiga excessiva, tonturas, dificuldades de raciocínio, ranger de dentes, espasmos musculares ou agravamento de problemas cutâneos (acne, eczemas, psoríase, etc.).

11 – Tenho uma maior susceptibilidade a apanhar gripes ou constipações.

12 – Tenho um desejo exagerado de aumentar o desempenho no trabalho ou preocupo-me demasiado em ser aumentado ou promovido.

13 – Tenho um desejo frequente de consultar ajuda profissional, seja um médico, um padre, um psicólogo ou um grupo de aconselhamento.

14 – Necessito de muito apoio pessoal de amigos e família, frequentemente mais do que eles estão dispostos ou são capazes de dar.

15 – Estou constantemente apressado ou com a sensação de que não tenho tempo suficiente para fazer tudo o que pretendo.

Pontuação:
15 a 25 pontos (sem stress) –
Não há muito stress na sua vida ou, o que é mais provável, é que lida de uma forma muito eficiente com ele, quando ocorre. Deve continuar a fazer o que fez até aqui, dado que isso resulta consigo.

26 a 35 pontos (stress ligeiro) – Por vezes experimenta níveis elevados de stress, mas este desaparece ao fim de pouco tempo. Se tiver um total de 30 pontos ou mais, talvez devesse iniciar um programa de alívio de stress e de relaxamento (falarei disto em futuros posts).

36 ou mais pontos (stress elevado) – A sua vida tem mais stress do que aquele que pode comportar e não está a lidar muito bem com ele. Deve reflectir imediatamente sobre o seu modo de vida e tomar medidas para o controlar, pois o excesso de stress é um problema sério que poderá minar a sua saúde, relações, desempenho profissional, etc. Não deixe de agir! (Também falarei sobre formas de controlar o stress em posts futuros).

Foto: Google images – Autor não identificado
Teste adaptado de: Combater o Stress; Selecções do Reader´s Digest, 1.ª Edição; Lisboa, Março de 1998.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Aprender em velhos livros

Tenho de confessar-vos uma coisa. Como o meu tempo é escasso, costumo escrever os meus textos ao fim-de-semana e depois publico (por vezes com uma ou outra alteração) durante a semana. Mas nestes dias não tem sido fácil. Primeiro estive doente, depois foi o meu marido e ontem há noite... susto dos sustos... a minha linda estava com 39.º de febre :(

O meu coração tem estado apertadinho pela Letícia, pois apesar de já estar melhor, custa-me imenso vê-la doente.

Não sei por isso se vou ter tempo para a minha pesquisa, para visitar os vossos cantinhos ou até para escrever posts. Se o fizer, é bom sinal (sinal de que as coisas melhoraram cá por casa).

««»»

Mas mudando de assunto, tenho reparado que desde que algumas pessoas souberam da existência deste blog, começaram a dar-me material sobre o assunto, a informar-me sobre novas pesquisas, a emprestar-me livros... Tenho amigas que chegam a comprar livros/revistas sobre felicidade e formas de melhorar a vida. Fico francamente feliz por isso. Considero muito positivo a criação de um movimento de pessoas que luta por trazer felicidade para as suas vidas e para as dos que os rodeiam.

Um dos meus «chefes» (com quem tenho conversas fantásticas sobre o assunto) emprestou-me livros antigos que me deixaram fascinada (nas fotos abaixo).


Estou a adorar o livro do Dale Carnegie, "Como evitar Preocupações e Começar a Viver". Este livro foi escrito em 1948, e parece-me tão actual. Apesar de não utilizar conceitos actuais, aborda assuntos a que hoje chamamos inteligência emocional, stress, etc. O autor recorre sempre a dados científicos e a histórias de vida, o que torna o livro interessante. Gostei tanto, que o encomendei aqui.

Não querendo massar-vos com muito texto, mas se tiverem curiosidade, estes são os assuntos abordados no livro, de acordo com a sua sinopse:

- Fornecerá diversas fórmulas práticas e experimentadas para resolver situações difíceis;
- Ensinará um processo para eliminar imediatamente metade das preocupações comerciais;
- Indicará sete caminhos pelos quais se poderá alcançar uma atitude mental que dará paz e felicidade;
- Mostrará que os problemas financeiros não são tão aflitivos como parecem;
- Explicará uma regra que eliminará a maioria das preocupações vulgares;
- Demonstrará como se devem aproveitar as críticas alheias;
- Ensinará às donas de casa a maneira de evitar a fadiga e manter uma atitude de boa disposição;
- Dará as normas de trabalho que aumentarão os rendimentos sem esforço de maior;
- Mostrará como aumentar uma hora a cada dia de trabalho;
- Ajuda a evitar os problemas emocionais;
- Conta a história da vida de muitas pessoas que, por suas próprias palavras, revelarão os métodos que utilizaram para eliminar as preocupações e começar vida nova;
- Dará o método de Alfred Adler (famoso psicólogo), para cura da melancolia em 14 dias;
- Ensinará as palavras com que Sir William Osler, médico de renome internacional, ergueu uma barreira intransponível às preocupações;
- Explicará os três passos mágicos com que Willim H. Carrier, fundador da indústria de ar condicionado, venceu os aborrecimentos;
- Demonstrará o que se deve praticar o que William James classificou como "regime" para eliminar as preocupações;
- Contará pormenorizadamente como certas personalidades importantes e famosas venceram o hábito de se preocuparem - como henry Ford, John D. Rockefeller, Jack Dempsey, Gene Autry, o Almirante Bird e muitos outros.

««»»

Interessante, não é? Bem, e agora vou dar miminhos à minha filhota e ao marido, que estão a precisar. Boa semana para todos!

Foto: Mafalda S.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Pensamento/Lema da semana #20

"O segredo da saúde da mente e do corpo está em não lamentar o passado,
em não se afligir com o futuro e em não antecipar preocupações;
mas está no viver sabiamente e seriamente o presente momento."
Buda

Foto: Google images - Autor não identificado

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Selinho

Recebi um selinho "Muitos posts alegres para esse blog em 2011" da Maria José, uma amiga cujo blog da Arca do Autoconhecimento, nos transmite imensa sabedoria e paz de espírito.

Desde já agradeço por te teres lembrado de mim! Bem, mas agora vamos às regras:

1) Mencionar quem indicou e disponibilizar link para o blog do remetente - já está!

2) Dedicar este selo a cinco seguidores assíduos e a cinco seguidores novos do blog:
1 – Home alone… not da Sónia;
2 – Um T2 em Lisboa da Sofia;
3 – Coisas minhas da An@;
4 – Na América Profunda;
5 – Mil faces de Juliana da Ju;
6 – Meu cantinho de sonhar da Mari;
7 – Letrinhas combinadas da Remall;
8 – Constância. (vila poema.) do Manuel;
9 – As Aventuras do Príncipe Pipoca da Rute;
10 - Receitas da Tati da Tati.

3) Colocar uma frase, trecho de música ou citação que seja alegre:
"Em verdade vos digo: se tiveres Fé do tamanho de um grão de mostarda,
direis a este monte:«Transfere-te daqui para lá», e ele se transferirá,
e nada vos será impossível!"
Jesus Cristo

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

5 exercícios para trabalhar o corpo inteiro, em apenas 15 minutos

Olá amigos da blogosfera, já me sinto melhor (apesar do nariz avermelhado e a voz meio rouca), e já estava com saudades de vir aqui e de passar pelos vossos cantinhos.

O texto de hoje prende-se com um dos meus objectivos para 2011: o de realizar exercício físico pelo menos três vezes por semana. Mas como sou uma pessoa que anda sempre numa correria, necessitava de algo que trabalhasse o corpo inteiro no mínimo tempo possível. Fiz alguma pesquisa e encontrei estes exercícios no site da Oprah. Os mesmos foram indicados pelo Fisiologista Desportivo Mike Bracko, do Colégio Americano de Medicina Desportiva.

1. Exercício para os músculos das pernas
Este exercício ajuda a aumentar o fluxo sanguíneo para o coração e obriga-o a trabalhar mais, pelo que é uma boa rotina cardiovascular (pode inclusive prevenir varizes!).
Em pé, abra ligeiramente as pernas. Dê um grande passo em frente com o pé esquerdo. Dobre lentamente o joelho esquerdo até este fazer um ângulo de 90 graus e, simultaneamente, mantenha a perna direita esticada para trás (conforme a figura) com o joelho a tocar ligeiramente o chão. Erga-se, voltando à posição inicial. Faça 10 a 20 repetições, alternando os lados.

2. Exercício para aliviar a dor lombar

Apoie o corpo com as mãos e os joelhos no chão, conforme a figura. Arqueie as suas costas em forma de U invertido, enquanto baixa a cabeça. Depois, faça o inverso, erguendo a cabeça e encurvando as costas para baixo. Faça uma ou duas séries de 10 repetições.

3. Exercício para os músculos que sustentam a coluna e abdominais

Deite-se de barriga para baixo, com os cotovelos no chão (conforme figura). De seguida, erga o corpo lentamente com a força dos dedos dos pés. Mantenha-se a uma altura entre 25 a 50 cm do chão e, baixe-se novamente. Faça uma ou duas séries de 10 repetições.

4. Exercício para os músculos dos braços<>

Levante-se e abra os seus braços para o lado, ao nível dos ombros. Dobre as mãos ao nível dos pulsos, deslocando os braços para trás das suas costas, até ao máximo que conseguir. Mantenha esta posição enquanto conta até 5. De seguida, volte à posição inicial. Faça uma ou duas séries de 10 repetições.


5. Exercício para braços, ombros e costas
Para além de fortalecer os músculos, este exercício ajuda a combater a osteoporose relacionada com a perda de densidade óssea.

Segure um peso de 2 a 5 Kg com a sua mão esquerda, deixando-a descansar perto da sua coxa. Coloque a sua outra mão sobre o assento de uma cadeira, que deve ficar na sua frente. Mantenha os joelhos levemente dobrados. Dobre então o cotovelo e levante o peso na direcção da axila. Depois, baixe-o novamente. Faça uma ou duas séries diárias de 10 repetições, para cada braço.

««»»

Para a semana prometo começar com estes exercícios. Só não o faço agora, porque ainda tenho te tomar mais uns antigripines para isto ir ao sítio. Mas fica a sugestão, para quem quiser iniciar a fazer exercício físico, ou para variar um pouquinho (para os corajosos que já o fazem).

Imagens: http://www.oprah.com

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Pensamento/Lema da semana #19




"O Amor é como uma flor, cresce de cada vez que é regada.
Mas se ela é esquecida e não é regada,
além de não crescer ela morre".
Miedson Fernandes

««»»

Bem, este pensamento é para me inspirar... mas no resto da semana e daí por diante. É que hoje estou com uma valente gripe, que vou já direito à caminha. O meu maridinho que me desculpe, mas o Dia de São Valentim é quando o homem (e a mulher) quiser(em), por isso, vamos «regar o nosso amor», mas noutro dia.

Beijos para todos e um feliz Dia de Namorados!

Foto: ElizabethMessinaWeddings - MaryRuffle

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Desafio dos 7

A Juliana do blog Mil Faces de Juliana (um blog por onde adoro passar, em que a Ju vai dissertando sobre as aventuras do seu dia-a-dia), enviou-me um desafio.

Então vamos começar.

7 coisas que tenho que fazer:1 – Manter a minha pesquisa sobre a felicidade;
2 – Organizar, semanalmente, a «actividade especial em família»;
3 – Fazer um «pé-de-meia»;
4 – Organizar a minha casa;
5 – Falar com os amigos mais vezes;
6 – Adquirir hábitos de vida mais saudáveis e ecológicos;
7 – Cultivar a minha espiritualidade.

7 coisas que mais digo:
1 – Olá… meu amor!
2 – Gosto muito de ti.
3 – Agora não posso.
4 – (Nome do meu local de trabalho), bom dia!
5 – Letícia.
6 – Felicidade. (Esta palavra já é sinal da minha evolução).
7 – Sinto-me tão cansada.

7 coisas que faço bem (na minha opinião):1 – Ser mãe;
2 – Cozinhar;
3 – Tirar fotos;
4 – Escrever;
6 – Planear;
7 – Demonstrar afecto.

7 defeitos (aos meus olhos):1 – Perfeccionista;
2 – Stressada;
3 – Por vezes deixo-me influenciar por pessoas negativas;
4 – Controladora;
5 – Com dificuldade em esquecer situações más;
6 – Impulsiva;
7 – Nem sempre sou organizada (mas estou a mudar isso aos poucos).

7 qualidades (com toda a humildade):1 – Boa mãe;
2 – Amiga;
3 – Leal;
4 – Lutadora (não fico à espera que as coisas venham ter comigo);
5 – Positiva;
6 – Caridosa;
7 – Simpática.

7 coisas que adoro:1 – A família;
2 – Fotografar;
3 – Viajar;
4 – Ler/aprender;
5 – Fazer actividades relaxantes;
6 – Escrever;
7 – Culinária.

7 coisas que detesto:1 – Falsidade (quando se riem para ti pela frente e por traz criticam);
2 – Negativismo (porque é contagioso e afasta-nos dos objectivos);
3 – Má língua;
4 – Ser subestimada;
5 – Mentiras;
6 – Críticas sem conhecimento de causa;
7 – Maldade.

7 blogs amigos para responderem a este desafio:1 – L. – Art and Life;
2 – Sonhador – Diário do Pai;
3 – Mary – aMarycan Life;
4 – Sandra – Projetando Pessoas;
5 – Mónica – A Dona de Casa Perfeita;
6 – Lu – Decore Feliz;
7 – Patrícia – Lar… meu doce Lar.

Foto: Dreamstime

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Avaliação contínua, do plano para alcançar os seus sonhos

Este ano, tal como muita gente, fiz uma série de resoluções para 2011. Redigi um plano e dividi-o em pequenas metas.

No entanto, parte importante de um plano bem sucedido reside na avaliação do mesmo (sei do que falo - tive uma cadeira na universidade inteiramente dedicada ao tema). Devemos avaliar periodicamente os resultados alcançados (vou fazê-lo mensalmente, mas cada um pode escolher o tempo que mais lhe convier). Caso tenhamos atingido os resultados pretendidos é um estímulo a continuar, caso contrário, é sinal de que temos de reajustar o nosso plano (ao nível das tarefas a concretizar, do prazo para alcançar determinado objectivo, etc.).

««»»

No meu caso pessoal para os objectivos a que me tinha proposto, eis o que já concretizei:

Evolução pessoal:
- Manter a minha pesquisa sobre o tema da felicidade – tenho feito pesquisa na Internet, comprei mais dois livros sobre factores que a influenciam (um sobre poupança e outro para saber lidar com pessoas difíceis) e comprei 3 revistas com artigos sobre o tema;
- Manter este blog actualizado com alguns dados da minha pesquisa - redigi 16 posts, o que é uma boa média, para o tempo que tenho disponível;

Dinheiro:
- Fazer uma gestão eficaz do dinheiro, de modo a engordar a minha poupança – aderi ao método do pague-se a si em primeiro lugar (e em Fevereiro mantive-me cumpridora);

Organização da casa e gestão de tempo:
- Eliminar a tralha que se foi acumulando na minha casa - para já separei os brinquedos da Letícia por categorias - e fi-lo com ela - mas ainda me faltam comprar organizadores; deitei fora alguns brinquedos que estavam danificados e guardei outros com que ela já não brinca;
- Utilizar técnicas de gestão que me permitam ter mais tempo para o que é realmente importante - passei a organizar-me melhor na cozinha, cozinhando mais rapidamente e fazendo uma alimentação mais saudável; também comecei a fazer um modelo de agenda pessoal ajustada às minhas necessidades;

Saúde:
- Fazer um planeamento das refeições, de modo a fazer uma alimentação mais saudável - passei a planear as refeições mensalmente;
- Optar pela compra progressiva de produtos biológicos - este mês optei pelo leite, mas ainda ando a experimentar marcas para ver a qual me agrada mais;

Espiritualidade/relaxamento:
- Fazer uma oração diária - na realidade gostei tanto que até estou a fazer 2 orações – uma pela manhã para ficar motivada para o resto do dia e outra à tarde, a agradecer as coisas boas que tenho na minha vida (mesmo que o dia tenha sido dos melhores);

Ambiente:
- Adquirir hábitos ecológicos, que preservem o meio ambiente - passei a utilizar guardanapos em tecido - está a ser um sucesso cá em casa;

Solidariedade:
- Participar periodicamente em campanhas de solidariedade social - fiz um pequeno donativo a uma Instituição que apoia crianças em risco.

««»»

Analisando bem, acho que é o primeiro ano em que me mantive tão cumpridora nas tarefas para alcançar os meus objectivos.

Não deixe de avaliar também o seu plano. É uma forma óptima para o estimular a continuar, e para permitir que os seus sonhos se tornem uma realidade.

Fotos: Google images – Autor não identificado

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Por favor, sorria!

Durante a minha pesquisa constatei que o sorriso e a gargalhada (mesmo que inicialmente não tenhamos vontade de o fazer), estimulam a nossa felicidade.

Não acredita? Pois eu diria para pensar duas vezes antes de mostrar cara de poucos amigos.

De acordo com o psicólogo Israel Waynbaum, franzir o sobrolho (como o amiguinho aqui ao lado), induz a produção de «hormonas do stress», tais como o cortisol, a adrenalina e a noradrenalina. E é que as mesmas conseguem ser mazinhas, pois veja só: aumentam a pressão sanguínea (ai, ai… depois admiram-se que hajam tantos problemas cardíacos), reduzem a imunidade (já não basta estarmos deprimidos ainda apanhamos gripes, viroses e afins) e tornam-nos mais susceptíveis à depressão e à ansiedade.


Agora as boas notícias. Sorrir reduz as ditas «hormonas do stress» e ainda ajuda a produzir uma série de «drogas naturais» que induzem a felicidade, como as endorfinas (só esta substância é 3 vezes mais forte que a morfina – ai se muita gente soubesse disto, as desgraças que se evitavam…), assim como os linfócitos T, glóbulos brancos responsáveis pela imunidade celular (prevenindo doenças, reduzindo a dor e acelerando a cura). Já agora, se puder dar uma boa gargalhada, melhor ainda – o efeito do sorriso é multiplicado.


Quanto a mim, vou tentar sorrir mais vezes. Até porque a boa disposição é contagiosa e poder gerar uma corrente indutora de felicidade, é uma ideia que me agrada.

Fotos: Google images - Autor não dentificado

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Pensamento/Lema da semana #18





"O nosso maior erro é fazer sempre as mesmas coisas e esperar resultados diferentes."
Albert Einstein








Foto: Google images - Autor não identificado

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Dormir bem contribui para a saúde e beleza

Um estudo do Instituto Karolinska de Estocolmo (Suécia), comprovou o que eu e muita gente já suspeitávamos - que a qualidade do sono interfere na saúde e na beleza.

Uma equipa de cientistas, liderada por John Axelsson fotografou um grupo de 23 pessoas, entre os 18 e os 31 anos, após terem dormido 8 horas de sono e fotografou-as novamente, depois de ficarem acordadas 31 horas. Entretanto 65 observadores comuns ao analisarem as fotos, denotaram que os voluntários privados de sono tinham um aspecto menos saudável, mais cansado e menos atraente. Já as fotos das pessoas que tinham dormido 8 horas, foram identificadas como tendo um aspecto mais bonito e saudável.

Concluiu-se assim que a privação de sono afecta quer os sinais faciais da pessoa, como a perceção que os outros têm da sua beleza.

Agora imaginem só os efeitos que a má qualidade de sono pode ter a longo prazo. Em tempos escrevi um post sobre o assunto, com dicas para um sono reparador. Caso necessitem, não deixem de experimentar algumas.

Fonte: British Medical Journal

Foto: Google images - Autor não identificado

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Como a sua casa poderá contribuir para a sua felicidade?

Não sei se repararam, mas no post que escrevi sobre os países mais felizes do mundo, uma característica comum a quase a todos é o facto de possuírem paisagens lindíssimas. A verdade é que o ambiente influencia o nosso estado de espírito, tanto pela positiva, como pela negativa. Quantos de nós já entrámos em casas de pessoas cujo ambiente pesado e sombrio só nos faz desejar sair dali? E, pelo contrário, também já entrámos em casas (espero bem que sim!), cujo ambiente tão agradável e acolhedor, parece convidar-nos a ficar. A nossa própria casa pode reflectir o estado da nossa vida presente. Como refere o psicólogo James Hillman “Existe uma relação entre os nossos hábitos e as nossas habitações, entre o interior das nossas vidas e o dos lugares onde vivemos”.

Existe um ramo da Psicologia, chamado de Psicologia do Design de Interiores (as coisas que eu descubro), cujo objectivo passa por tentar promover a felicidade, através da criação de espaços que fomentem emoções e vivências positivas nas pessoas que lá vivem ou trabalhem. Com base nos estudos desta área científica, deixo algumas dicas para que a vossa casa possa contribuir para a vossa felicidade:

««»»
1) Na hora da compra, pondere na escolha da localização – Desde sempre que os humanos privilegiaram o sentimento de segurança. Por isso ao escolher uma casa dê preferência a aspectos como: boa manutenção das ruas, boa iluminação, inexistência de criminalidade, bons equipamentos (escolas, serviços públicos, etc.), boa iluminação, elementos naturais bem cuidados (como árvores e flores). Evite a proximidade de cafés e bares nocturnos, estradas muito movimentadas, estações de serviço, fábricas e ruas com sinais de deterioração e lixo.
2) Tenha em atenção o ambiente interno da casa – Apesar do aspecto exterior ser muito importante, é primordial que o interior da casa lhe agrade. Na altura em que comprei a minha casa estive numa zona verdejante lindíssima, mas ao entrar nos apartamentos, tive a nítida sensação de me sentir sofocada. Os apartamentos com divisões minúsculas e sem varandas, mais pareciam gaiolas. É bom estar atento às sensações que as casas nos dão.

3 – Opte por uma casa onde possa ter a liberdade de fazer alterações – Investigações levadas a cabo por Gary Evans (Universidade de Cornell, Nova Iorque) demonstraram que os moradores se sentem mais felizes em casas onde possam fazer alterações. Por isso, se pensar em alugar ao invés de comprar uma casa, assegure-se que o senhorio lhe dê autonomia para isso (imagine o que seria ter de conviver com uma parede bordeaux que detesta).

4 - Torne o seu Lar, num refúgio para relaxar do stress do dia-a-dia – Uma casa com aspecto acolhedor, dar-lhe-á a sensação de conforto e segurança. Opte por materiais como pedra e madeira, divisões compartimentadas que permitem ter espaços mais privativos, lareiras. É importante que a nossa casa seja o local em que nos sintamos tão confortáveis, que nos permita abandonar as preocupações que trazemos do exterior.

5 - Dê primazia ao seu estilo e não às tendências da moda – A nossa casa deve ser um reflexo da nossa personalidade. Por vezes compramos objectos decorativos por estarem na moda, mas quando os tentamos enquadrar em casa, percebemos que não fazem qualquer sentido. Prefira objectos que estejam de acordo com o seu estilo e que, mesmo que inconscientemente, certamente o farão sentir melhor.

6 – Deixe entrar a luz natural – O nosso organismo necessita de receber luz natural, pois esta regula os nossos ciclo biológicos de sono e estado de vigília. Respeitar o ritmo de luminosidade natual, ao longo do dia, promove o nosso bem-estar. Assim, logo pela manhã abra as cortinas e inunde a casa de luz.

7 - Adapte a iluminação artificial à divisão da casa – Divisões como a cozinha ou sala-de-estar, onde se realizam actividades em família, requerem luzes mais brilhantes. Já nos quartos e casas-de-banho, áreas mais voltadas para o recolhimento e privacidade, opte por iluminação mais suave. Crie focos de luz mais intensa, por exemplo com candeiros ou apliques em zonas de leitura ou junto dos espelhos das casas-de-banho.

8) Crie ambientes misteriosos – Vários estudos indicam que os seres humanos têm prazer e atracção pelo mistério. Pode incluir esses elementos através de pequenos recantos, escadas, corredores com esquinas, caminhos de acesso à entrada da casa com curvas, ou seja, espaços que não mostram tudo à primeira vista. A inclusão de velas, cortinas, portas sólidas, são outros elementos atactivos e que incutem um certo encanto à sua casa.


9) Crie um espaço só seu – A falta de privacidade numa casa contribui para o stress. Daí a importância de criar um espaço individual, onde possa relaxar da rotina do dia-a-dia. Crie um espaço mais reservado, que pode ser uma poltrona num canto de uma divisão, um banco no jardim, um pequeno «santuário» numa divisão rodeado de almofadas, velas e outros elementos que convidam ao relaxamento.

10) Incorpore elementos da natureza – Elementos naturais melhoram o humor e a saúde da pessoa. Pode incorporá-los com vasos de plantas, fotos ou pinturas de paisagens, aquários, pequenos troncos de árvores, arranjos florais. Se tiver um jardim (que sorte a sua), mantenha-o bem cuidado e com aspecto agradável.

11) Aproveite a tecnologia, mas com moderação – É óbvio que os electrodomésticos vieram melhorar a nossa vida (painéis solares, máquinas de lavar loiça e roupa, frigorífico…). No entanto é necessário evitar o excesso de tecnologia, de modo a que esta não nos ocupe demasiado tempo, dificultando o diálogo em família ou interferindo com o nosso sono (bem me parecia que não devia ter colocado uma televisão no quarto…).

12) Opte por um ambiente ordenado e com padrões que combinem – Tal como preferimos rostos simétricos, isso também se aplica à decoração. Sentimo-nos mais relaxados perante o equilíbrio de proporções, a ordem, os padrões. Já a desordem e o caos numa casa fazem com que nos sintamos mais ansiosos e stressados. Por isso, é importante manter a tralha controlada e fazer com que a nossa decoração de algum modo siga um padrão (ao nível do tema, da cor, do tamanho, da forma, etc).

13) Tenha sempre em mente a funcionalidade – Os objectos da sua casa, para além de serem bonitos aos seus olhos, devem ser funcionais. Coloquei a foto anterior propositadamente. Em termos de simetria a casa de banho é óptima, mas seria preferível que os lavatórios fossem mais arredondados. É que lavatórios demasiado rasos acabam por ser stressantes na altura de os limpar. Experimente lavar as mãos sujas de terra numa superfície rasa. Logo perceberá a dificuldade de remover a dita terra do lavatório.

14) Opte por pintar a casa com cores neutras – Se gostar de ver cores mais ousadas na sua casa, prefira utilizá-las em materiais que podem ser renovados facilmente (almofadas, mantas, arranjos florais…). Cores de paredes menos sujeitas a tendências, podem evitar ter de pintar tudo de novo assim que se canse destas.

15) Opte por divisões amplas – A sensação de amplitude costuma proporcionar bem-estar aos moradores. Por oposição, divisões demasiado pequenas e/ou atravancadas com objectos e tectos rebaixados, costumam dar uma sensação de ansiedade e sufoco.

16) Inclua elementos alusivos às suas lembranças felizes – A nossa casa acaba por contar a nossa história. Por isso inclua elementos que lhe tragam boas recordações, tais como: fotografias, mobiliário da sua avó restaurado, uma jarra que comprou numa viagem de sonho, os seus livros preferidos, etc.

17) Vá renovando a decoração – A sua decoração não se deve fixar unicamente no passado. A casa deve ir incluindo elementos novos, acompanhando as transformações dos seus moradores. No fundo, deve misturar elementos que contam a sua história com novas decorações, que dão uma lufada de ar fresco à sua casa.
««»»

Em suma, para que a sua casa contribua para a sua felicidade é necessário que a sinta como um lar no verdadeiro sentido da palavra – um espaço que lhe traga conforto, paz, estabilidade… e sobretudo um espaço de relaxamento face à correria do dia-a-dia.

Espero sinceramente que estas dicas o ajudem!

Fotos: Google images - Autores não identificados

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Há 3 anos nascia uma princesa


Carta à minha filha:

"Querida Letícia,

ainda não sabes ler, mas estou certa que um dia receberás esta mensagem.

Foste uma bebé muito desejada. Ainda não existias e a minha mente já imaginava o sorriso do teu rosto, o cheiro da tua pele e a intensidade do teu olhar. Mas a realidade superou, de longe, a minha imaginação.


Recordo o sorriso do papá quando ao abrir um presente encontrou umas botinhas de bebé. Foi assim que soube da tua existência. Mais feliz não podia ter ficado.


Recordo a primeira vez que te vi. Parecias um feijãozinho pequenino naquela ecografia. Mas aos meus olhos, era a foto mais bela que até então tinha visto.


Recordo o primeiro pontapé, quando soluçavas no meu ventre e quando parecias fazer uma verdadeira dança.


Soube que eras uma menina e escolhemos dar-te o nome de Letícia, que em latim significa «alegria», por ser este o destino que desejamos para ti.


Quando nasceste simplesmente não dormi nessa noite. Fiquei todo o tempo a olhar para o ser pequenino que estava ao meu lado. Aí tive consciência do milagre que é a vida e de quão grata estava por te ter. Dessa noite recordo que não me podia levantar e tu começaste a chorar. As enfermeiras tentaram de tudo. Pedi para te colocarem junto a mim, na minha cama. De imediato o teu choro cessou, dando lugar a um sono sereno. Senti-me nas nuvens!


O teu primeiro sorriso intencional foi aos 8 dias de idade, quando chegaste a casa. Coloquei a música de embalar que todas as noites ouvimos durante a gravidez. Esboçaste um sorriso lindo que parecia não terminar. Jamais esquecerei esse momento.


Depois vieram as birras, os sorrisos, as conquistas. O primeiro som que disseste foi «é, é, é» (o papá passava o dia a imitar-te), depois seguiu-se o «ah... gue», o «ela»... até às primeiras palavras (que saudades de quando dizias «chuche», em vez de chucha!). Deste os teus primeiros passinhos com 10 meses... e a partir daí não houve flor, nem revista da mamã que sobrevivesse... he, he... a mamã perdoa-te.


Depois disso vieram as traquinices e as tentativas de me ajudares em todas as tarefas domésticas (nem sempre com os melhores resultados...). Tal como o teu nome indica, parece que tens a alegria em ti, pois passas o dia a cantar e a dançar, entre umas pausas para ver o Ruca e brincar com os legos. És muito extrovertida e metes-te com toda a gente (claro que pedir um chupa-chupa em cada loja que passas, não é uma opção muito saudável).


E o que já aprendeste? Sabes contar até 20 em português e aprendeste (sozinha) a contar até 10 em inglês. Reconheces quase todas as letras do abecedário, conheces uma série de palavras em inglês (às vezes até me chamas mammy), uma data de lengalengas e outras tantas coisas.


Todas as noites te digo o quanto te amo, e tu presenteias-me com os teus beijinhos, dizendo «és a melhor mãe do mundo, gosto muito de ti». E eu agradeço a Deus, por te ter na minha vida.


Melhor que recordar estes momentos, é viver este amor inexplicável que só uma mãe sente. Amo-te muito! E sei, sem sombra de dúvida que és o maior motivo da minha felicidade!


Parabéns filha,
da tua mamã Mafalda"


Foto: Google images - Autor não identificado.

Related Posts with Thumbnails